30 de novembro de 2013

Potinhos de Neve

Como fazer Globos de Neve (usando os potinhos de comida para bebê)

Quem nunca utilizou esses potinhos para seu bebê não é verdade! 
E depois fica a pergunta: o que fazer com eles?
Com o Natal se aproximando aí está uma boa ideia de reciclar e presentar os amigos. Eles podem também ser feitos pelos alunos. É uma maneira de envolver a todos e daí extrair muitas ideias.



Materiais que vamos precisar:

 frascos de comida para bebê, (ou qualquer outro recipiente)
 Brinquedos de plástico que se encaixam em seu frasco (eu usei pequenos enfeites de Natal)
 Glitter
 Selante de Silicone


PASSO A PASSO:
  1. Lave e seque o seu potinho e a tampa.
  2. Anexar o objeto de sua escolha no interior da tampa do frasco usando pistola de cola quente. Certifique-se que você usa a cola à prova d'água e não se dissolvem. 
  3. Preencha frasco quase até o topo com água fria. Em seguida, polvilhe um pouco de brilho, ou "neve" na água.
  4. Em seguida, insira estatueta em água e feche com a tampa. Faça isso em cima da pia, como o excesso de água vai derramar. 
  5. Seque seu globo de neve completamente. Aplicar uma camada de cola quente ou selante de silicone em torno do aro da tampa para selar. Deixe descansar e secar durante a noite.
     

O resultado é lindo.
Você pode utilizar essa ideia em qualquer ocasião.





26 de novembro de 2013

"Não podemos perder bons professores!"

A revista Nova Escola, edição de novembro/2013, trouxe uma matéria muito interessante sobre a profissão de Professor, destacando o desinteresse pela profissão daqueles que ainda nem ingressaram e exoneração crescente daqueles que já estão na rede pública em diversos estados e municípios.
Um estudo realizado pela Fundação Varkey Gems, com 21 países (pesquisa quantitativa com mil entrevistados por país) sobre o  status que os professores têm em seu país, o Brasil só fica atrás de Israel na pior valorização do professor. 


De acordo com essa pesquisa na China 50% dos pais encorajam seus filhos a seguir a carreira de professor, contra 20% no Brasil.  As respostas apontam que Valorização nada tem haver com formação, mas sim com o Profissional e sua atuação. 

No Brasil, em Curitiba, Andréa do Rocio Caldas realizou uma pequisa com professores da rede municipal sobre os fatores que levam ao abandono da profissão,  "baixos salários, problemas psicológicos e físicos, infraestrutura precária, violência no ambiente de trabalho, pressão e cobrança por resultados, falta de apoio dos familiares e desvalorização da profissão pela sociedade. 

De acordo com a pesquisa da Fundação 88% dos  entrevistados concordam que o professor deve ser remunerado de acordo com o desempenho dos seus alunos, por outro lado, o maior número de respostas indicam que a sociedade sabe que os alunos não respeitam os professores, e portanto esses acabam desmotivados para permanecer na profissão.


"Sem perspectivas convidativas de formação, carreira e condições de trabalho" será muito difícil  reverter esse quadro" (Nova Escola) e acredito que será muito difícil valorizar o professor, seja do ponto de vista da sociedade ou do estudante do curso de pedagogia ou licenciatura. Aqueles que ingressam na universidade para seguir a carreira o fazem pensando nos concursos públicos e na estabilidade da carreira, sem sequer se preocupar com a carreira profissional. Assim aceitam ganhar, inicialmente, o salário oferecido, sem cogitar a formação constante para atualização e melhoria na qualidade do ensino. Ao longo dos anos de atuação sentem-se oprimidos pelo sistema que os considera inaptos, aplicando avaliações aos alunos e atribuindo a culpa dos resultados apenas ao professor. Na sequencia vem a desmotivação com a profissão e a procura por novos trabalhos, daí a exoneração. 

             Notícias do Portal G1
            Fundação Valkey Gems 

Beijocas
Cris Chabes


24 de novembro de 2013

Leituras de Natal para crianças

Leituras de Natal para crianças

(Anne Lieri)


Nada como uma boa história para envolver os alunos no espírito do Natal, despertando bons sentimentos para essa época.

Pensando nisso trago algumas sugestões de livros que pesquisei especialmente para pais e professores.


Alvinho e os presentes de Natal

Ruth Rocha

Alvinho é um menino parecido com muitos que você conhece: é curioso, adora bichos e gosta de colecionar coisas. Até aí tudo normal. Mas você não conhece o Alvinho, então não imagina o que ele é capaz de fazer para conseguir o que quer! Alvinho agora anda com mania de comprar. E, quando chega o Natal, tem uma lista de presentes que não acaba nunca. Mas um pesadelo daqueles faz Alvinho mudar de idéia...



O pinheirinho de Natal

(Hans C. Andersen/ Tatiana Belinsky)


Cercado por árvores altas e esplendorosas em meio à floresta, um pinheirinho passa o tempo todo sonhando em crescer e ser tão majestoso quanto suas companheiras. Ao saber que muitas delas eram derrubadas para virarem árvores de Natal, este passa a ser o seu maior desejo. Mas, quando ele finalmente se realiza, o pinheirinho acaba aprendendo uma inesperada lição.



O Natal de Manoel

(Ana Maria Machado)




André não sabia bem o que era o Natal e resolveu perguntar. Mas as respostas eram muito diferentes, cada um tinha um jeito de ver de acordo com as suas preocupações e necessidades. Quanto mais André procurava, mais complicado ficava. Até que um colega da escola deu-lhe uma dica preciosa. 



Quer ver mais dicas de leituras?

Clique aqui.

21 de novembro de 2013

Projeto: Vinícius de Moraes - Parte 2

E as comemorações para os 100 anos de Vinícius de Moraes, continuam.

Confira a segunda parte da exposição de inglês:


CANÇÃO DA NOITE



O ELEFANTE



A CASA




O RELÓGIO



AS BORBOLETAS 


O LEÃO



Todas as poesias foram traduzidas (por mim) para o inglês e trabalhadas com os alunos. Depois, realizamos as artes e montamos os painéis.

Ficou um calçadão cheiinho de trabalhos em inglês, gostaram?

Abraços,

Projeto: Vinícius de Moraes - Parte 1



19 de novembro de 2013

Guia de estudos para a Família

Cartilha da Família 
O fim do ano se aproxima e agora todos começam a se preparar para as últimas avaliações antes das férias. 

O mês de novembro passa rápido e temos +- 15 dias de dezembro, porém antes que o ano termine, é preciso conversar com as crianças sobre essa etapa final do curso. É hora de tirar dúvidas, de orientar-se para as avaliações finais e preparar-se para o novo ano. Mas de que forma a criança estuda e ela tem a ajuda e orientação da família neste momento?


Pensando nisso o site Educar para Crescer, elaborou uma Cartilha de Orientação para ajudar a família neste momento. É possível baixar em seu computador e imprimir, tendo o guia sempre em mãos ou colado em um mural próximo ao local de estudos . 


Mesmo cansados das lições de classe, casa, trabalhos e estudos é muito importante manter a turma motivada, para isso Separe 10 ou 15 minutos antes do intervalo para o lanche ou ao final da aula para um "tempo livre" em que eles possam conversar, se movimentarem pela sala, leiam gibis, etc, mas avise-os logo no início da aula sobre esse tempo, assim todos já sabem antecipadamente que terão um descanso. 



Educar para Crescer 

No Educar para Crescer vocês também podem encontrar outras dicas super importantes de como participar da educação de seus filhos. 

Educar para Crescer 

Beijocas
Cris Chabes



16 de novembro de 2013

Consciência Negra - Dica de leitura

Dia da Consciência Negra. Vamos comemorar com bastante leitura?
Usando muita criatividade podemos tirar boas atividades para se em trabalhadas com as nossas crianças.

Deixo aqui três dicas  de livros pra você professor!


O primeiro livro "O Cabelo de Lelê", de Valéria Belém,  fala sobre uma menina que não gosta de seus cachinhos... Quando, um dia, encontra um livro que fala sobre a herança africana.


O segundo livro já é bastante conhecido: "Menina bonita do laço de fita", de Ana Maria Machado, fala do coelhinho gostava muito daquela menina e queria saber qual era o segredo pra ela ser tão "pretinha"... A menina, não sabendo dar a resposta certa, falava muitas coisas para o coelho. Até que, um dia, sua mãe a explicou o por quê daquela cor tão bonita!



O terceiro livro "Bruna e a galinha D'Angola", de Gercilga de Almeida, fala de Bruna, que por não ter muitos amigos, ganhou uma galinha d'angola de presente da avó.








12 de novembro de 2013

Chega seu bobo!!! Não aguento mais prô!!!

Bullying - todos já ouvimos falar sobre isso e somos capazes de explicar direitinho o que é, mas e as crianças como lidam com isso e quando essa prática começa?

Enquanto as crianças estão na pré escola, 1o. ou 2o. ano as queixas são: 
_ Prô ele me chamou de boba!
_ Prô ele me empurrou!
_ Prô ela disse que não vai mais ser minha amiga!
Tudo isso acompanhado de choro e conversa dos pais com os professores, quando os casos se repetem várias vezes. Até aqui tudo é encaminhada como fase de adaptação da criança ao novo grupo social (amigos e escola)
A partir do 3o. ano esses casos não resolvidos começam a ganhar novas dimensões: 
_ Prô ele me deu um soco!
_ Prô ele disse que vai me pegar no recreio!
_ Prô ela me empurrou e me xingou de .........
Agora a questão começa a ser tratada como indisciplina e ninguém fala das questões emocionais envolvidas e o quanto elas podem acarretar em novas situações no futuro breve. Então nas séries seguintes se ouve:
_ Prô eu bati nela sim, pois vivem dizendo que sou ridícula, que meu cabelo é seco, que minha roupa é velha!
_ Prô eu chutei pois todo dia ele me empurra e diz que sou baixinho ou gordinho. 
Daí começamos a tratar dessas questões como BULLYING e nem percebemos o quanto essa criança e todos os envolvidos estão abalados emocionalmente.
É comum nesta fase as escolas passarem vídeos ou convidar palestrantes para falar sobre o assunto com as crianças, mas e quando eles mesmos não conseguem reconhecer que estão cometendo ou sendo vítimas de bullyng ou qual a proporção que isso pode chegar?


Dê um basta 
"O bullying acontece quando uma criança ou adolescente intencionalmente diz ou faz algo para prejudicar um(a) colega que, por sua vez, tem dificuldade para se defender. É um padrão de comportamento agressivo que ocorre entre pares e envolve ações indesejadas, negativas e repetidas ao longo do tempo. O bullying implica um desequilíbrio de poder ou força.
Na América Latina, cada vez mais estudos sobre o bullying mostram que se trata de um problema crítico e sério em níveis individual, escolar e social. Uma pesquisa recente mediu a prevalência do bullying nessa região, em comparação ao resto do mundo, e concluiu que a América Latina apresenta os níveis mais elevados de bullying escolar"


Pesquisando encontrei um site com material disponível e muitas explicações interessantes tanto para pais, professores e crianças. www.chegadebulling Acesse aqui 

Se essa situação não parar ainda na fase dos 8 a 11 anos, a situação pode se agradar e tomar dimensões na WEB via redes sociais. 

Chega de Bullying
Os pais, professores e todos os funcionários da escola têm a responsabilidade de se unir para tornar as escolas ambientes livres de violência e de bullying. Como um adulto – seja no papel de pai ou de funcionário da escola –, você pode fazer muito para acabar com o bullying. A campanha "Chega de bullying, não fique calado" precisa do envolvimento dos adultos por meio de muito diálogo e com o aprendizado de estratégias efetivas, o estabelecimento de regras claras e vigilância. As crianças precisam saber que você está presente para guiá-las e protegê-las. Elas precisam de adultos que identifiquem o bullying rapidamente e intervenham de forma confiante e consistente. As crianças precisam de orientações práticas e admiram adultos com os quais podem conta

É importante levar essa conversa para a escola como tema das reuniões de pais ou entre os funcionários da instituição.
Vamos dar um basta já!


10 de novembro de 2013

Artesanato de Natal com os alunos

Artesanato de Natal com os alunos

(Anne Lieri)


Nessa época de final de ano as professoras ficam preocupadas em fazer trabalhos de artesanato de Natal com seus alunos.

Sabendo que o tempo é curto para pesquisar e o material disponível nem sempre é variado, trouxe algumas ideias que encontrei nesse site aqui.

O importante nessas atividades é deixar que os alunos façam seus artesanatos, sem exigir a perfeição de um trabalho adulto. O bonito é a criatividade deles.


Bota de Natal

Com papéis de presente antigos, que guardamos de um ano para o outro é facil confeccionar essa bota de Papai Noel com o nome da criança na frente.

Podemos oferecer a bota recortada em cartolina e as próprias crianças fazem a colagem com pedaços de papel de presente picados por elas.



 Cartão de árvore de Natal

Este cartão pode ser feito a partir de um triangulo recortado que os pequenos colam num papel craft ou cartolina e decoram com tintas, lápis de cor e purpurina, usando sua imaginação.



Enfeite de árvore de Natal

Vejam que simplicidade esta atividade!
Pode ser feita com um copo descartável ou um cone feito de sulfite que a criança pinta e decora a seu gôsto.
A estrelinha pode ser dada recortada em cartolina para a criança colar purpurina.
Fica lindo!




Espero que tenham gostado e possam desenvolver outras ideias a partir dessas sugestões!



Vejam mais dicas neste site:



9 de novembro de 2013

Guirlandas totalmente ecológicas


Com o Natal chegando temos muitas coisas pra fazer em casa e na escola.
Que tal partimos com ideias bem criativas? Nossos alunos podem confeccionar e deixar sua casa ou escola bem bonita.

Guirlandas Recicladas

Material Utilizados: arame, copo descartável, garrafa pet e copo de danoninho.


Material Utilizados: fita de papel de presente, arame, revista e muita criatividade na hora de montar.


Material Utilizado: CD ou DVD, papel cartão ou papelão para o círculo, flores de silhueta vermelho, silhueta verde para folhas, purpurina dourada e verde e cola de isopor para fixação. 


Material Utilizado: porta docinhos vermelho e verde, papel cartão ou papelão para o círculo e cola de isopor.


Material Utilizado: papel crepom, um laço para presente e muita purpurina.
A decoração fica por conta de sua criatividade. aqui foi colocado duas pombinhas.


Material Utilizado: arame, garrafa pet, papel ou EVA para flores e folhas e muita purpurina.
A criatividade da hora de decorar ficar por conta de sua imaginação.




E aí gostaram!
Que tal confeccionar a sua agora! Mãos a obra então...


5 de novembro de 2013

Recreio iuppppppppp

imagem do google

HORA DO RECREIO

Trabalho em uma escola pública do estado de São Paulo e este ano resolvemos transformar os intervalos dos lanches em momentos interativos, oferecendo jogos, revistinhas, música, mural para recadinhos, etc. a fim de evitar as constantes brigas, crianças machucadas por correr demais ou discussões por motivos relevantes para as crianças, por exemplo, uma partida de bolinha de gude ou bater figurinhas.

Além disso também promovemos a melhor fila do intervalo, sendo ao final do bimestre premiada a classe que melhor se organizou e não "empurrou ou brigou" durante o mesmo. 

Combinei com minha classe reuniões semanais sobre o assunto, em que as próprias crianças deveriam refletir sobre o que faziam no intervalo e de que forma torná-lo melhor para todos. 

Incrivelmente assistir a essas reuniões (era não participava ativamente, mas apenas como ouvinte ou mediador) me fez perceber que as crianças tem consciência de que há muitos desentendimentos no intervalo e de que há formas de resolvê-los. (meus alunos estão no terceiro ano - 8/9 anos)

Leia abaixo um trecho da reunião dos alunos: 

REUNIÃO DOS ALUNOS
Sexta feira, 27/09/2013,
20 minutos antes do recreio

Os alunos do 3º. Ano C estavam muito chateados, pois não ganhavam mais a competição de MELHOR FILA DO RECREIO. Então pediram a professora um espaço na aula para conversar sobre o assunto. A professora determinou que ficaria de fora da conversa, já que o problema era o recreio. Leia trechos da conversa dos alunos:
Ramon: _ Regras para a reunião: “Todos que quiserem falar devem levantar a mão e não devemos criticar, mas dar ideias.”
Vitória: _ Que tal se nós descêssemos e logo depois de comer fossemos ao banheiro. Assim na hora do sinal ninguém ficaria fora da fila.
Ramon: _ Isso é bom, mas não dá certo, já que depois de correr da vontade de ir ao banheiro.
Gustavo: _ E se a gente não correr?
Ramom: _ Mas a gente quer brincar. Alguém tem outra ideia.
Isaque _ Marina você tem relógio pode avisar as crianças para ir ao banheiro antes do sinal.
Marina: _ Eu posso, mas também quero brincar.
Vitória: _ Uma turma fica perto da fila para dar sinal para as crianças e outra brinca depois troca.
Ramon: Então durante o recreio podemos nos organizar e não correr tanto e na hora da fila cada um cuida de si para o grupo ficar em ordem.
.........
ELES GANHARAM A FILA MAIS BONITA DO DIA E JÁ PEDIRAM OUTRA REUNIÃO PARA FALAR SOBRE CORRERIA NO RECREIO. 

As crianças tem plena capacidade de mudar suas ações e preciso dar espaço e ensiná-los a articular suas ideias dando espaço para o grupo se manifestar e respeitando as opiniões tentando encontrar um meio de agradar a todos. A escola tem três intervalos divididos em alunos do 1o. e 2o. anos, 3o. anos e outro só dos 4o e 5o.   anos. De acordo com os funcionários o melhor intervalo agora é da turma do 3o. ano, pois após as reuniões as crianças começaram a se articular também e as brigas diminuíram muito.

Para o próximo ano contaremos com uma pracinha para leitura a sombra de árvores frutíferas e um mural para desenho (parede com azulejo próprio para pintura) ambos já em obras. 

Se você tem alguma sugestão de recreio interativo ou de articulações assim nos envie e vamos tornar viral.

Beijocas
Cris Chabes