14 de julho de 2013

Perguntinhas dificeis

Perguntinhas difíceis
(Anne Lieri)





As crianças estão cada dia mais precoces e é comum bombardearem os pais e professores com perguntas difíceis de responder.

Uma vez minha filha aos 6 anos me pediu para comprar uma camisinha para ela se proteger.
A professora discutiu sobre a Aids em sala e percebi que Letícia não entendeu muito bem o espírito da coisa... rss...

Quando chegar aquela pergunta “saia justa” mantenha a tranquilidade e responda com sinceridade, mas sem se estender em detalhes.

Muitas vezes a criança tem uma dúvida superficial e nós é que complicamos e acabamos antecipando algum assunto.

Procure valorizar a pergunta feita, sentando-se para conversar.

Se achar necessário busque livros sobre o assunto, mostre figuras compatíveis com a idade, proponha um filme.

Quando uma criança faz perguntas demonstra que é curiosa, inteligente e investigativa. Isso é bem saudável e cabe ao adulto aproveitar esses momentos para trabalhar valores e conceitos.

Uma perguntinha difícil requer uma resposta direta, simples e objetiva, sem necessariamente expor tudo a respeito do tema.

Busque exemplos no cotidiano.

Não minta, mas omita se achar que a criança ainda é muito nova para saber todos os detalhes sobre o assunto. Na hora certa, ela voltará a perguntar.

Nunca menospreze uma pergunta feita, pois ela pode pensar que aquele é um assunto proibido e feio.

Finalmente, se seu filho pedir uma camisinha aos 6 anos converse com ele, perguntando qual a sua dúvida e esclareça da forma mais verdadeira possível.


Lembre-se que o preocupante é quando a criança não pergunta nada, pois toda pergunta é sinal de desenvolvimento infantil.

8 comentários:

Renata Diniz disse...

Anne! E como são precoces as crianças de hoje nos colocando em situações embaraçosas. O bom é a gente se informar desde já para manter a tranqüilidade e responder com segurança. Beijo!

Cristi@ne disse...

Realmente em nossas escolas brasileiras não se têm respeitados muito as idades de nossas crianças ou não transmitem com coerência certos assuntos, cabe aos pais entrar na saia justa e responder rsrs

Boas dicas ;)
Bjinhos
Cris

Pepi,Xixo,Juja,Jujuba disse...

Que graça a Letícia, Anne
Realmente ela não entendeu nada...rs
Aqui em casa sempre procurei dialogar muito com meus filhos e
Temos uma relação ótima
Beijinhos e o meu carinho
Verena e Bichinhos

Maria Emilia Moreira disse...

Olá Anne!
Penso que a idade dos porquês? e de perguntas difíceis vem cada vez mais cedo. Os pais em primeiro lugar e os educadores nas escolas têm uma tarefa algo complicada, mas nada que não se resolva a contento e com bom senso. Gostei de ler.
Abraços.
M. Emília

Clara Lúcia disse...

Concordo com tudo que escreveu, Anne.
Eu usei muitos livros, com figuras e as explicações eram básicas,de forma que meus filhos entendessem. Com isso nunca tiveram receio de me perguntar nada. Isso é ótimo.

Toninha, obrigada por comentar em meu post.

Beijos

RUDYNALVA disse...

Anne!
Muito boa forma lúdica que utilizou no texto e na vivência.

Receber sua visita no blog traz alegria e felicidade ao meu dia, obrigada! Volte quando puder e quiser, aguardo com carinho.
Desejo uma ótima semana!!
Blogueiras Unidas 1275!
Paz, amor e muita luz!
cheirinhos
Rudy
BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

Genis Borges disse...

Anne, a professora falou sobre Aids com crianças de 6 anos? rsrs
Muito precoce né?
JM já me fez uma perguntas difíceis tb e mantenho a calma, mas não deixo de rir!

Grande beijo, Genis
http://www.reciclandocomamamae.com/
http://www.mamaesemrede.com/

Toninha Borges disse...

Realmente essas crianças tem cada uma.
Vc me fez lembrar da minha filha que na época achou que era bola de soprar rsrsrs
Muito cedo para expor esse tipo de assuntos com criançs de 6 anos.
Abraços
Toninha