10 de junho de 2013

Quando se fala em diferenças...

Olá pessoal.

Confesso a vocês que este não seria o tema a ser tratado no post de hoje, porém fiquei indignada demais com a notícia abaixo e não posso deixar de compartilhar com vocês minha opinião.

Peço que leiam e deixem suas impressões.



Verificando as atualizações do Facebook me deparei com o triste relato de um Pianista que foi se apresentar em um evento voltado para os alunos da cidade de Campinas-SP e logo após explanar sobre sua apresentação foi vaiado pelos alunos. (Veja aqui a notícia

André Mehmari é autor de composições e arranjos para algumas das formações orquestrais e de câmera mais expressivas do País, como Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp), Quinteto Villa-Lobos, Orquestra Sinfônica de Brasília (OSB), Quarteto de Cordas da Cidade de São Paulo, entre outros. 

O ocorrido me fez lembrar sobre a "luta" que algumas escolas tem traçado atualmente para falar sobre as diferentes culturas existentes ao nosso redor, sobre os lugares dos educadores (pais e professores) sobre muita coisa que estamos sempre falando, mas que infelizmente ainda nos colocamos em posições distantes. 

Falamos, questionamos, dizemos das necessidades de... Mas não colocamos a mão na massa para que se torne efetivo. 

Entendo o lado dos alunos, que infelizmente mal educados não souberam respeitar a cultura do pianista. Provavelmente nenhum trabalho foi realizado anteriormente com eles a fim de que soubessem a proporção do evento que estavam assistindo. Mas entendo também a posição do Pianista, que sem motivo plausível foi submetido à este ridículo diante de um público imaturo. 

E a culpa é de quem? 

Sem dúvida nenhuma, nossa! Que ainda nos permitimos pensar apenas em conteúdos pragmáticos, em "impactos tecnológicos" sem, muitas vezes, convergir todas estas informações para o real sentido de suas discussões A EDUCAÇÃO DE NOSSAS CRIANÇAS E ADOLESCENTES.

Penso que todas as pesquisas e discussões e tudo mais seja importante, mas é importante também olhar e tratar de perto com alunos, pais de alunos e professores também. 

- "Mas isso é utópico!!!" 

"Bola" àqueles que dizem que é utópico. Só a transformação desta "utopia" em algo real nos fará viver em comunidades melhores, pelo menos no que se refere ao respeito ao próximo, base,creio eu, fundamental de uma sociedade de verdade, arrisco-me a dizer. Caso contrário, que tal começarmos a falar em "individuaciedade!?


Uma ótima semana a todos
Por Vanessa Vieira



9 comentários:

Anne Lieri disse...

Vanessa,infelizmente a cada dia vemos mais falta de respeito dos nossos jovens em relação a tudo e, cabe a nós educadores,prepará-los para eventos desse tipo que não estão acostumados a valorizar.Faltou sim, um trabalho de preparação dos colegas aos alunos,antes da apresentação.bjs e boa semana,

Ana Bailune disse...

Conheço a história, e achei um absurdo a atitude dos alunos. Acho que mais absurda ainda, é eles não receberem nenhum tipo de punição por parte dos professores e dos pais. Educação começa em casa, não é responsabilidade do professor educar os alunos. Quando, no meu tempo, os alunos faziam algo errado, ficavam de castigo na hora do recreio, ou perdiam pontos na prova. Será que isso ainda funciona? Talvez eu esteja fora da realidade atual, mas antigamente, era assim: meus pais sempre me ensinaram que devemos respeitar os professores e ser educados e permanecer em silêncio quando alguém está falando ou se apresentando. Boa noite!

Nal Pontes disse...

É isso aí Vanessa, infelizmente muitos valores estão sendo jogado no lixo. E a educação tmb a muito tempo. Ninguém respeita ninguém. Valeu a postagem que sirva de alerta. bjsss

Genis Borges disse...

Amiga, tem como vc me mandar o link exato da reportagem? Quero muito saber.
Bjus.

Vanessa Gonçalves Vieira disse...

Oi Genis. Aqui está:

http://correio.rac.com.br/_conteudo/2013/05/ig_paulista/64825-pianista-e-hostilizado-por-alunos-em-campinas.html

Aproveitei e já arrumei no texto. Foi na hora de copiar...
Beijocas!

Vanessa Gonçalves Vieira disse...

Grata pela leitura Nal!
Abraço pra ti!

Vanessa Gonçalves Vieira disse...

Uma pena Anne!
Obrigada pela leitura flor! ;)

Vanessa Gonçalves Vieira disse...

Oi Ana. Esta prática de ficar sem recreio é adotada por muitos professores, mas atualmente os alunos não têm dando muita importância pra isso. Penso que a solução esteja no diálogo com os alunos. penso que os jovens de hoje ainda não encontraram o sentido real de estarem na escola. Isso que gera tanta confusão.

Feliz com tua participação!
Abraço!

Toninha Borges disse...

Todos os dias nos deparamos com algum tipo de preconceito. A cada dia cresce o bullying nas escolas. Ficou até difícil de expressar carinho, dizendo que o aluno é lindinho ou fofinho. Os próprios coleguinhas já induz de outra forma. E tudo que é falado, eles interpretam de outra maneira e quando vai saber, virou uma bola de neve. Falta de respeito nem se fala. Daí pra pior amiga. tento fazer a minha parte a cada dia e educar os meus da melhor maneira possível para que frutos seja gerados por eles.
Bju