15 de maio de 2013

Professora ou Tia?

- Tia, veja se a minha lição está legal?
- Me desculpe, eu sou sua professora, não sua tia. Quanto a sua lição.......

Professora ou Tia?


imagem do google


O costume de chamar a professora de “tia” vem da década de 60. As mulheres, ao buscar afirmação profissional, recorriam às escolas para cuidar de seus filhos e, de certa forma, segundo relato de mães, entregar os filhos à tia e não à professora lhes aliviava a culpa. Contudo, esse tratamento dissimula a relação de autoridade. 

A criança precisa diferenciar universos e perceber que cada espaço tem seus próprios valores, concluíram os pedagogos. As escolas com método sócio construtivo, começaram a rever o tratamento nos anos 70 e pensar no profissional da educação como um educador que interage com o aluno e o conhecimento, sem perder o envolvimento emocional. 


imagem do google


Algumas escolas adotam e permitem o tratamento de professoras pelas crianças por “tias”, o que é um erro enorme, pois isso prejudica o desenvolvimento da maturidade dos alunos, cria um vínculo entre professora e aluno que não contribui em nada com o ensino-aprendizagem, além de fazer com que as educadoras percam a referência do nome e o seu valor da profissão.

As crianças, com o tempo acabam percebendo por si que professora é a pessoa que educa, ensina brincadeiras, criar, inventar; enquanto que a tia é a irmão da mãe ou do pai.

imagem do google

Paulo Freire (1997) afirma que “a tarefa de ensinar” não deve transformar “a professora em tia de seus alunos da mesma forma como uma tia qualquer não se converte em professora de seus sobrinhos só por ser tia deles. Ensinar é profissão que envolve certa tarefa, certa militância, certa especificidade no seu cumprimento enquanto ser tia é viver uma relação de parentesco”. 


Referência bibliográfica: FREIRE, Paulo. “Professora sim, tia não”. São Paulo: Olho d’Água, 1997. 

Beijocas
Cris Chabes

17 comentários:

melissa disse...

Eu não concordo!Sempre fui chamda de tia pelos meus alunos e isso nunca interferiu no ensino e tampouco no respeito que eles têm por mim. Chamar pelo nome,ou por dona me parece uma relação meio fria,ultimamente por influência da novela Carrossel em alguns momentos eles falam professora Melissa,mas confesso que ainda prefiro ser chamada por tia!Não é a forma que vc será chamada que vai atrapalhar ou melhorar o respeito ao educador!

Divagações da Mamãe Tê disse...

Concordo com a Melissa em uma parte e com Cris em outra... Minha menina por exemplo, saiu do infantil e esse ano foi para o Primeiro ano fundamental. Muitas crianças não conseguem cortar o "tia" rapidamente e introduzir o "professora" e esta deixou livre para eles se adaptarem. É um processo então que não deveria vir nem do infantil ja que teria que mudar tão bruscamente.

Mas a escola anda pedindo para fazer essa transição e eu, respeitando a escola, ajudo minha filha nessa transição com suavidade. E não tem sido dificil. Acho que tudo é a maneira de introduzir ou tirar certas coisas.

Acho que trauma não causa em situação alguma e de fato os alunos andam muito a vontade com a tia e esquecendo que ali por trás tem uma professora... As mães também costumam misturar as coisas e acham que as professoras tem que dar conta de tudo. Elas são professoras... não um parente..

Tudo a seu tempo e com bom senso dá certo.

Augusto Sperchi disse...

Oi Cris! Toda escola tende a criar uma cultura própria, umas mais liberais e outras mais rígidas. O hábito de chamar os professores de tios, como disse, vem de longe e é difícil retirar esse rótulo de uma vez. Tudo dependerá dessa cultura e da ação dos professores. Mesmo que a princípio a criança possa confundir o professor com um de seus tios, com o tempo ela deve perceber que há diferença de função social de um e outro. Claro que o ideal é apresentar o profissional como professor desde o início para que nenhuma confusão seja feita, entretanto, os profissionais também devem deixar claras as suas funções para que não reste dúvidas na criança. Sendo assim concordo com sua colocação, mas também com a da Melissa. Atuo no ensino médio, mas sei que alunos do ensino fundamental já não rotulam seus professores de tios.
Um grande abraço a você e a todas do Educação em Foco.

Genis Borges disse...

Nossa Mel, acontece lá na escola tb! Por causa da novelinha, eles dizem "Boa tarde professora Genis" "Sim, professora Genis", super automático! rsrs E confesso que pedi pra não fazerem mais, pois não é nenhum pouco natural.

Genis Borges disse...

Lá na escola, os alunos até o 7º ano ou mais, me chamam de tia. Graças a Deus, nunca sofri desrespeito por este tratamento, pelo contrário, sinto até muito carinho.
Alunos já bem crescidos, quando me veem pela cidade me chamam de tia até hoje e fico muito feliz!
Mas, como em tudo há exceções, acho muito válido esta reflexão.
Bjus Cris!

Genis

Anne Lieri disse...

Quando são pequenos, confesso que não me importo e acho até fofo,mas os grandes eu simplesmente não suporto que me chamem de tia.Prefiro que me chamem pelo meu nome mesmo!Um ótimo texto e dá muito papo!bjs,

cris chabes disse...

Olá Melissa e Genis, eu concordo que não é a forma como se é tratada que indica o respeito ao educador, mas fala aqui quando trabalhamos com turmas de alunos maiores e acaba que essa relação se confunde. Tia não dá bronca por que aluno não fez a lição de casa ou não prestou atenção a aula ou fez uma piada na hora da explicação ou ficou correndo pela sala ou etc... Outro dia no meio de uma prova um aluno fez uma piada e desconcentrou toda a classe. A avo disse que ele estava imitando o Cirilo da novela Carrossel justificando o comportamento do neto. Eu como "professora" disse que a sala de aula não é uma novela. Como Tia Helena ia achar muito fofo!

cris chabes disse...

No primeiro ano essa transição é natural. As crianças começam chamando as professoras de Tia e naturalmente depois como "professoras".
Mas daí pra frente essa relação, embora ainda tratada com muito amor e carinho, deve ser nomeada por ALUNO E PROFESSOR.
Abraços
Cris Chabes

cris chabes disse...

Perfeito Augusto! Lembro-me quando meu filho estava no 9o. ano e tinha uma ótima relação com o professor de matemática, o Tio Clóvis. A liberdade que o professor dava aos alunos mantinha uma relação de igualdade, até que meu filho disse algo que o "Amigo professor" não gostou e daí o "Tio" voltou a ser um "Professor" para tentar reconhecer seu valor.
Eu não fui a favor do meu filho, mas a justificativa maior foi a liberdade demasiada dado pelo "Tio Clóvis".

cris chabes disse...

Olá Anne, eu acredito que o profissional da educação já tem pouco valor e não é o tratamento dado pelos alunos que vai mudar essa situação, mas confesso que nunca chamo meu médico, meu dentista, o padeiro, a manicure, o porteiro por Tio e Tia, pois os respeito e admiro como pessoa, mas reconhece neles a importância da sua profissão.
Sou tia dos meus sobrinhos
Sou professora dos meus alunos e não deixei de tratá-los com amor e carinhos por conta disso.
E acreditem é reciproco.
Beijocas
Cris Chabes

Toninha Borges disse...

A maneira de um aluno se referir a professora ou tia vai de cada um. Meus alunos do 7º ao 9º me chamam de tia, outros de professora e outros de Toninha e nem por isso faltam desrespeito comigo. A maneira de me tratar, não faço objeção alguma e nem imponho nada a eles. Eu quero sim que minha aula flui e que eles aprendam o que estou passando.
Bju
Toninha

joyce disse...

eu estou no ensino médio mas ainda chamo minhas professoras de tia e nem por isso eu deixo de respeitá-las e ainda acho q elas gostam pq é uma forma carinhosa de tratá-las mas é claro q nem todas gostam de ser chamadas assim!!! vai de cada um a opinião!!!!
bjs joyce!!!!

Carla Souto Maior disse...

Eu sou chamada de tia, mas gostaria de ser chamada de professora. Estudei e estudo tanto para isso. Me sentiria mais orgulhosa. Acho que é um direito.

Thais Nogueira disse...

Eu tenho 16 anos e até hoje chamo alguns professores de tia e tio! Eu acho q chamar de professor é muito frio. E se eu fosse professora eu não me importaria que me chamassem de tia. E eu sempre respeitei todos meus professores. ♥

Vinicius Cesar disse...

Boa noite

Acredito que o professor(A) deva ser chamado de "professor", não que isto crie um distanciamento, professor pode ser tio em alguns momentos, mas a valorização começa nas pequenas coisas e no tratamento. Tio é parentesco, professor deve ser afetivo, mas sobre tudo educador. Tio pode ser remunerado ou não por cuidar de sobrinhos, professores não são meros cuidadores, são sim condutores, conduzem para a vida, educação é a própria vida. Valorização profissional eis a questão.

Andreia Afonso Smolii disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jeova Rodrigues Barbosa disse...

Acredita-se que o certo seria ensinar os alunos a chamar o profissional da Educação de Professor. O aluno ao sair de casa, instituição fechada com a família, vem para a escola instituição aberta para a sociedade. Não pode ter o mesmo comportamento, tipo aquele cariosinho de papai, de mamãe do avô, da vovó ou da tia. Desde pequeno, a escola prepara vidas para ingressar no mercado de trabalho. A educação infantil se torna importante neste momento, em que o relacionamento com os coleguinhas e com o professor deve ser inteiramente diferente do lar, devido o foco ser o mercado de trabalho. Assim sendo, a ideia de tia deve ser substituída por professor. O termo tia ou tio pode,com espaço de tempo levar o profissional da Educação perder a sua identidade. Paulo Freire foi feliz e suas colocações.