3 de maio de 2013

Meu filho tirou nota vermelha: e agora?

Muitos colégios que adotam o sistema trimestral de avaliação estão passando pelo encerramento do primeiro trimestre letivo. Estamos na época de fechamento de notas e reunião de pais.

Nessa hora, muitas famílias deparam-se com notas vermelhas no boletim do filho. Muitos, inclusive, ao vivenciar a experiência pela primeira vez, entram em desespero e fazem um tumulto na hora da reunião, tentando achar culpados na escola ou nos professores.
Imagem do Google
Como professora, não fico satisfeita quando tenho notas abaixo da média. Os motivos que levam a esta nota são variados: falta de estudo, estudo ineficaz (o aluno estuda mas não entende ou se atrapalha com o método que utiliza), dificuldade em alguma disciplina específica, adaptação à série ou ao novo colégio, nervosismo na hora da avaliação, ou ainda, pressão exercida pelos pais, que exigem somente notas altas.

Seja qual for o motivo, uma coisa que precisa ficar bem clara é: nada está perdido! Pais e professores, nessa conversa durante a reunião, podem encontrar os motivos e a melhor forma de ajudar a criança. Claro que cada família tem sua dinâmica e muitos pais colocam os filhos de castigo: tiram o videogame, o computador, o celular, os passeios. Não sei se é a melhor solução, eu sempre acredito que uma boa conversa resolve tudo.

Eu sei que os pais ficam chateados e o castigo parece ser uma solução mais imediata. Mas, nesse momento, a criança está com a auto-estima baixa, está com vergonha, pois decepcionar os pais é ruim. O momento é de acolhimento: "filho, o que aconteceu? você está com algum problema? posso te ajudar em alguma coisa? vamos encontrar uma solução juntos? qual sua ideia para melhorar? você tira suas dúvidas com a professora? vamos encontrar uma forma de estudar mais eficiente, o que você acha?".
Imagem do Google
Por isso, o melhor a fazer, na minha opinião (não sou a dona da verdade, claro, cada um faz o que acha certo) é: esperar o nervoso passar e, nem que fique para o dia seguinte, conversar com o filho de uma forma que ele se sinta acolhido. Quando isso acontece, os resultados tendem a melhorar. Mas, nunca esquecer: ainda tem muita coisa durante o ano, nunca desista! Por mais difícil que pareça, não se desesperem, pais, tudo pode melhorar!
Bom fim de semana!
Elaine



10 comentários:

Genis Borges disse...

Oi Elaine, é verdade, o nervosismo acaba levando aos pais a tomarem atitudes bem radicais e a conversa é a melhor solução para o momento.
Conversar com a escola tb é uma boa saída e entender os pontos que precisam ser melhorados.
Excelente post, parabéns.
Bjus, Genis

Carol Meoli disse...

Pois é, existem vários motivos para uma nota vermelha na escola. Como Deficit de atenção, ou até mesmo um problema na vista.

Beijos

Toninha Borges disse...

Eu tb não gosto de notas vermelhas Elaine. Sei que o nervosismo atrapalha, mas em sua maioria é por desleixo mesmo. Não estudam em casa, não fazem as atividades propostas e dentro da sala de aula só atrapalham quem quer aprender.
os que merecem precisam de ajudar e cabe a professora diagnosticar e procurar uma solução para o problema. Professora de Reforço tb é viàvel nessas horas.
Bju

Elaine Cristina Serrano Pirolo disse...

A parceria com a escola é fundamental mesmo! Tanto pais como professores trazem informações valiosas sobre a criança e, juntos, podemos ajudar o aluno a resolver seus problemas.

Beijos!

Elaine Cristina Serrano Pirolo disse...

Seu comentário é muito pertinente, Toninha. Não conseguimos atingir 100% dos alunos, alguns não estudam mesmo e acabam arcando com as consequências negativas. Aqueles que têm dificuldades e se esforçam, nos servem como um desafio. É muito bom ajudar quem precisa e nos procura, claro. Os professores sempre querem o melhor para seus alunos, mas, quando o aluno não quer o melhor para si mesmo, fica difícil, né?
Beijo!

marquecomx disse...

Bom dia Multiplicadoras, desejamos muita paz pra vocês e a suas famílias!

Venho em nome dos EDUCADORES MULTIPLICADORES convidar vocês a:

@ Parabenizar os multiplicadores do mês;
@ Dar as boas vindas aos novos multiplicadores;
@ Retribuir comentários em sua postagem de publicação (na página índice).

Multiplicadoras, precisamos de suas visitas para que o Projeto Educadores Multiplicadores tenha vida e continue crescendo. Contamos com a presença de vocês! Os Multiplicadores agradecem a gentileza e compreensão. Ah, no mês de junho tem novidade no E.M.

Excelente sábado, obrigado pela parceria, fiquemos na Paz de Deus e até breve.

IRIVAN

cris chabes disse...

Nota vermelha!
Eu tinha medo de tirar uma nota vermelha e apanhar dos meus pais. Estudava muito. Acho que decorava mais a matéria do que entendia, mas enfim tinha um pré-conceito com quem tirava nota vermelha.
Hoje na escola só damos nota vermelha para justificar a não aprendizagem em alguns casos especiais (por exemplo nos últimos anos do ciclo).
Acho que a nota na prova nem sempre reflete a situação real, mas penso que o mais importante é o professor tentar descobrir o por que a criança não atingiu os objetivos e procurar alternativas para ajudá-lo a aprender.
Beijocas
Cris Chabes

Vanessa Gonçalves Vieira disse...

Elaine! nota mil pra ti! As notas vermelhas assustam mas precisamos estar preparados para lidar com elas. Elas são um sinal que que algo não está dando certo, logo precisamos estar calmos para analisar e reverter a situação!

Gostei demais de teu texto!

Beijocas pra ti!

Elaine Cristina Serrano Pirolo disse...

Aprendi depois de muito tempo que precisamos ter calma para reverter a situação, Vanessa. Ficar brava com o aluno também não adianta nada. A gente vai aprendendo com o tempo, né?
Beijo!

Elaine Cristina Serrano Pirolo disse...

Com certeza, Cris! Já vivenciei muitas situações de notas vermelhas que não correspondiam à realidade. Precisamos realmente conhecer nossos alunos para podermos ajudar da melhor forma possível.
Beijo!