4 de abril de 2013

A culpa é de quem...



Todo mundo agora deu pra falar em disciplina colocando a culpa sempre nos professores. Mas que alunos são esses que chegam a nossa sala de aula?  Se você nunca fez esse tipo de pergunta tá na hora de rever os seus conceitos. 

Para ser professor no passado, tinha que ter vocação. Hoje, além de vocação, tem que ter conhecimentos e técnicas adequadas para disciplinar um aluno.

Ser professor nunca foi uma tarefa simples. Hoje, porém, novos elementos vieram tornar o trabalho docente ainda mais difícil. A disciplina parece ter se tornado particularmente problemática.

O problema da indisciplina e agressividade tem sido um desafio para a escola, pois muitos alunos não respeitam seus professores, e essa indisciplina prejudica o ensino e a aprendizagem. 

Professores e orientadores têm dificuldade em estabelecer limites na sala de aula e não sabem até que ponto deve intervir em comportamentos inadequados que ocorrem nos pátios escolares. 

É preciso recuperar a autoridade, o que não significa ser autoritário. As instituições de ensino tem a tarefa de introduzir as crianças nas normas da sociedade, e está cada vez mais omissa. O professor por sua vez perdeu a autoridade inerente a sua função. Quanto maior a perda, mais anárquica torna-se a aula. 

A moda agora é falar que o é hiperativo, achamos uma maneira de justificar o seu “mau comportamento”. Sabemos que um aluno hiperativo requer um tratamento especial por parte da escola e tem o seu direito assegurado por lei para recebê-lo. Muitas escolas porém, não sabem como lidar com o problema e professores não são preparados para lidar com essas crianças.

Mas neste mundo tão globalizado e exigindo tanto de seus professores, se esquecem de que não está contribuindo em nada para que haja mudança. 

Como reter então a atenção desses alunos na tão chamada era digital? Saem de casa sem se quer ter o que comer. Os pais por sua vez tão oriundos de pobreza trabalham tanto, o dia inteiro por sinal e não tem tempo de acompanhar seus filhos pra escola, em suas atividades escolares e muito menos virem em suas reuniões e vou mais além de educá-los. Sem contar com uma sociedade onde as drogas estão consumindo cada vez mais nossas crianças, violências familiares e indisciplinadas. 

É esse tipo de crianças que estão sendo trazidas para a escola, colocando o professor para corrigir o que é função dos pais fazerem. Minha mãe é que está certa quando fica falando da sua época escolar. Onde os professores eram respeitados e tratados com decência. As crianças tinham respeito pelos mais velhos. Os pais não faltavam uma reunião escolar, acompanhavam seus filhos nas tarefas escolas. E esses modelos de pais presentes não posso  reclamar, me lembro muito bem que nos meus 7 anos já sabia a tabuada toda de cor e fazer continhas de somar, subtrair, multiplicar e dividir (processo curto), graças ao meu pai. Chegava as 8hs da noite todos os dias e lá estava eu sentada na mesa fazendo dever até as 10hs. Hoje os alunos saem do 9º Ano sem saberem tabuada. Passam a noite falando bobagem no face ou celular, alguns até alta horas da noite, além de ficarem o dia na rua, sem fazer as atividades escolares, envolvidos nas drogas ou com amizades que não prestam. O que nossas crianças procuram é amor, atenção e disciplina que não estão encontrando em casa e acaba refletindo na escola.

O professor que é chamado de incapazes de disciplinar seus alunos, levam tarefas pra casa, muitas das vezes preparando aulas para o dia seguinte, corrigindo provas, fazem planejamento, lançando notas em diários a mão sem nenhuma rasura, procura um filme interessante para levar pros seus alunos, pois acreditem se quiser, tem escola ainda que usa lousa e giz e não tem tecnologia nenhuma como por exemplo notebook para fazer uma aula expositiva. Se o professor não levar o seu notebook, correr o risco de roubá-lo na escola onde leciona, para tornar suas aulas criativas, haverá sempre uns engraçadinhos pra estragar tudo. 

Remuneração aos professores por fazerem extra quando chegam da escola, nem pensar. Cobranças todo mundo faz, falar bonito também, mas poucos arregaçam as mangas pra ajudar. O professor trabalha muito e é mal remunerado, vale refeição nem pensar, ele que não compre seu lanche do seu próprio bolso ou trás de casa fica com fome. Na hora do recreio que são 10 minutos, tem que escolher ou ir ao banheiro ou tomar um cafezinho correndo, porque seus alunos não podem ficar sozinhos nem na hora do intervalo, pois a escola só tem um disciplinador ou dois e não dá conta. E quando falta aula por motivo de saúde, é o único profissional que conheço que além de levar o atestado médico tem que repor suas aulas. 

Tem escola que não tem material didático e nem sequer cadeiras e mesas para seus alunos e professores. Outras escolas ganham da prefeitura, materiais escolares que só chegam no meio do ano e são destruídos em um segundo pelos mesmos. Matérias de péssima qualidade, um cala boca pra sociedade, que não dura nem uma semana. E ficam agora falando em rede nacional em disciplina, em alunos rebeldes, que a culpa é do professor. Francamente, sou mãe e também professora. 

Eu gosto de ensinar, mas a educação primária é de responsabilidades dos pais. Seus filhos estão apenas refletindo o que eles veem em casa. Cabe a escola a educação secundária. Chegou a hora de parar de querer saber de quem é a culpa. Está na cara que é SUA! 

MELHORE então, pare de jogar a culpa em outra pessoa pra você se sentir melhor. Disciplina é um processo árduo, mas tem jeito.





10 comentários:

Lylian Boiteux disse...

Concordo plenamente! Tem sido mesmo um grande desafio! Beijo, Lylian

Cacau Jafet disse...

Olá Toninha!
Vi o seu convite lá no grupo amigos e vim conhecer! Concordo totalmente.
Acho que ser professor hoje em dia é um grande desafio e um tanto quanto perigoso!Imfelizmente os politicos brasileiros não dão o valor merecido aos nossos professores!!
Já estou te seguindo!!
Vem conhecer o meu cantinho também: http://cacaujafet@hotmail.com
bjossss

Elaine Cristina Serrano Pirolo disse...

Concordo, Toninha!É muito fácil jogar a culpa nos outros e não assumir suas responsabilidades essenciais e básicas.

Beijo!

Anne Lieri disse...

Toninha,amei o seu texto!Tanto a conversar e refletir!Escreveu tudo e de com muita clareza,eu adorei!bjs,

Lucimar da Silva Moreira disse...

Muitos tem a mania de colocarem a culpa nos professores, culpar os professores é fácil mais ficar em uma sala de aula com os alunos bagunçando a aula toda é outra história. Toninha ótimo texto beijos.
Links:

Estrela da Manhã

Lucimar Virtual

Divulgue seu blog no face

Carlos Sanches disse...

Parabéns pelo post!

Tudo o que vc disse é a mais absoluta verdade. Agora, será que apenas nós educadores sabemos isso? Ou será que essa questão está sendo deixada de lado?
O que muitos não percebem, ou não querem perceber, é que o que hoje afeta diretamente os professores, amanhã afetará a sociedade como um todo (violência, falta de mão de obra qualificada....)

Abraço

Anônimo disse...

Meus parabéns, vc falou tudo que nós educadores estamos passando. É uma pena que não temos apoio de ninguém. Até na escola mesmo quando levamos algum assunto a coordenação pensamos duas vezes o que dizer. A maioria estão preocupadas com o aluno que vão perder e deixar de ganhar. Falo isso pq trabalho numa instituição particular.
Um grande abraço Cláudia.

Genis Borges disse...

Muito polêmico o assunto, pois não ausento a culpa dos alunos e tb não ausento a culpa dos professores.
Ai, meu Deus! Há muito o que se discutir...
Bjus, Genis

cris chabes disse...

Esse assunto é sempre muito polêmico, mas necessário, visto que vivemos isso no nosso cotidiano como professores.
Sofre a criança, os amigos, os educadores, os funcionários da escola que não sabem lidar com o assunto e a família principalmente que não conhece esse transtorno e lida com a criança como se ela fosse apenas malcriada.
É importante um trabalho conjunto entre todas as partes, reconhecer se a criança tem o transtorno e seguir para um tratamento que a ajude a equilibrar sua energia e esteja bem para aprender no grupo.
Beijocas
Cris Chabes

Vanessa Gonçalves Vieira disse...

Penso que todos nós temos um pouco de culpa, mas não posso deixar de dizer que realmente nós professores temos assumidos diversas tarefas que não nos cabem. E não quero dizer com isso que devemos ser apáticos às realidades de nossos alunos, mas andar em parceria...
os professores precisam sim, se atualizar se os alunos estão no facebook e n os celulares "bora" pra lá também, vamos ver que mistérios temos por lá que tanto os agrandam e aproveitar para tirar de lá aquilo que lhes chamar´à atenção para as aulas.

Nós pais, deixemos de ver os professores como rivais. Como seres que tem obrigatoriedade de estar certos a todos tempo. Professores, também são pais, filos e seres humanos!!

Tomar posse do que nos pertence!

Belo texto Toninha!
Abraço!