15 de março de 2013

Como ensiná-los a trabalhar em grupo?


Aqui no colégio onde leciono, costumamos fazer trabalhos interdisciplinares, normalmente em grupos de quatro ou cinco alunos. E, a cada ano que passa, trabalho em grupo torna-se cada vez mais difícil, por uma série de motivos:

1. Muitos estudantes têm agendas lotadas: balé, natação, inglês, aulas de reforço, médico, dentista, dentre outras coisas (trabalho em um colégio particular). É difícil conciliar os horários dos colegas e, como sobra somente o fim de semana, muitos pais reclamam de ter atividades escolares no momento em que poderiam sair, viajar, passear.

2. Se o professor escolhe o grupo, os alunos reclamam que estão com alguém que não gostam, que o professor chato impôs. Se você os deixa livres para escolher, sempre há um grupo onde surgem brigas e desentendimentos, muitas vezes até com interferência dos pais, que vêm à escola reclamar dos colegas do filho.

3. Muitos não entendem o trabalho em grupo como um momento em que todos os integrantes participam de todas as etapas de elaboração do mesmo. Para os alunos, trabalho em grupo funciona assim: "um faz a capa, outro a introdução, outro a conclusão", enfim. Na hora de apresentar para a sala, ele só sabe uma parte do trabalho e não fazem a mínima ideia do que se trata o restante.

4. Ainda tem aqueles que não sabem ou não querem trabalhar em grupo, preferem fazer tudo sozinhos, por diversos motivos. Não há o que o faça entender que trabalhar em grupo é importante, pois vivemos em sociedade e não isolados. Acabam ficando sem nota por se recusarem a colaborar com os colegas.

Como eu trabalho com adolescentes, acabo enfrentando essas situações. Vocês que trabalham com crianças mais novas, como lidam com isso?

Bom fim de semana!
Elaine

7 comentários:

Sandra disse...

que tal conhecer este cantinho
http://escolaensinandoeaprendendo.blogspot.com.br/
Um grande abraço.

Trabalhar em grupo faz que a criança compartilhe experiencia e aprenda a ineragir com o outro.
Bjs.
sandra

Prô Cris Chabes disse...

Olá Elaine, sei bem o que está falando.
Estou com um 3o. ano e dependendo do conteúdo gosto muito de organizar a classe em duplas ou trios.
Na sala de aula isso causa um tumulto e muito falatório, mas a interação entre eles na hora de resolver as questões gera muita reflexão para o professor.
Observo qual criança é menos autônoma, não entende, colabora com o grupo, o faz tudo, o faz nada, etc..... Isso ajuda muito na hora de explicar para cada um. Sei que linguagem devo usar.
Agora os trabalhos em grupos fora da escola estão fora de cogitação. Principalmente pela disponibilidade dos pais em levar seus filhos a casa do amigo, pois a grande maioria trabalha fora.
Beijocas e adorei o texto
Cris chabes

Elaine Cristina Serrano Pirolo disse...

Vou dar uma olhadinha, Sandra. Obrigada!

Elaine Cristina Serrano Pirolo disse...

Oi, Cris, tudo bem? Eu tinha esquecido dessa situação que você relatou. Como os meus alunos são maiores, trabalhar em dupla dentro da sala não é tão problemático, eles se viram bem. O problema é quando o grupo se torna maior. Nós imaginávamos que alunos de 8º e 9º ano resolveriam bem as coisas, mas às vezes eles são mais imaturos que os pequenos. E como nós fazemos trabalhos maiores, trimestrais, não dá para fazer tudo em sala, muitas vezes fica para casa. No seu caso eu entendo perfeitamente a impossibilidade de fazer algo fora da escola.
Como não existe fórmula mágica para resolver as coisas, vamos trocando ideias, não é mesmo?
Beijo!
Elaine

Anne Lieri disse...

Elaine,excelente post! Se não colocamos as crianças pra estudar em grupo nunca elas irão aprender,não é mesmo?Importante essa interação e com a orientação da professora com certeza aprenderão bem mais!bjs,

Genis Borges disse...

Elaine, há tempos que optei por fazer trabalhos em grupos em sala de aula. Está funcionando bem e todos participam, mas são com crianças mais novas.
Infelizmente com os maiores, é exatamente isso o que acontece.
Bjus, Genis

Toninha Ferreira disse...

O trabalho em grupo é uma oportunidade de construir coletivamente o conhecimento. E ajuda muito a criança e professor a variar nas aplicações das atividades.
Bju Toninha