29 de novembro de 2012

Maria Montessori - Uma Vida Dedicada às Crianças (Parte I)

Queridos amigos do Educação em Foco estava fazendo uma pesquisa para um curso de Alfabetização quando encontrei esse filme maravilhoso sobre a vida da Maria Montessori e não pude deixar de compartilhar com vocês. No You Tube tem o filme na integra. Aqui segue a primeira parte com 1 hora de duração.
Eu chorei ao assistir o trabalho de amor e dedicação dessa mulher.
Abraços
Cris Chabes

27 de novembro de 2012

Pets II

Uma outra atividade bem bacana que realizei com os alunos sobre os PETS foi esta daqui e aproveitei pra trabalhar algumas COLORS também.

Os alunos amaram fazer e o resultado ficou lindo demais!








 



Também estou aqui:




25 de novembro de 2012

E por falar em Formação...


Olá pessoal,

Coisa boa estar aqui todo final de semana com vocês. Durante todo este ano falamos sobre a formação dos professores, sobre a necessidade de sermos constantemente pesquisadores e autores de nossa própria prática. 

Durante estes últimos dias estava aqui pensando... Há algum tempo para atualizar nossas leituras tínhamos que procurar bibliotecas comprar livros e mais livros e ficar de olho nas revistas semanais e mensais pois através delas nos informávamos sobre os temas mais atuais.

Mas nossos tempos mudaram, as bibliotecas continuam lá, continuamos comprando livros e revistas, mas recebemos também a internet, com informações rápidas sobre diferentes temas que mudam sempre de perspectiva. Isso pode ser bom, mas pode ser ruim também, pois requer de nós cuidados ainda maiores.


Agora temas os as informações, mas precisamos verificar se estas são realmente seguras e se foram devidamente estudadas e diante disso será mais do que necessário, se quisermos ter um boa formação, uma  postura mais crítica. 

Eis a tão falada formação continuada que tanto ouvimos em nossas escolas. decerto que não é só isso, mas a meu ver essa formação parte de nós, de nossas pesquisas  e curiosidades. Afinal, de que adianta os vários cursos que nos são oferecidos se não há vontade de participar dos mesmos? ou Se os mesmos não são oferecidos em tempo que nos seriam viáveis?

Bem, essa é uma discussão mais profunda e trata das atitudes daqueles que deveriam se organizar para que pudéssemos reunir tempo para estas formações, mas como eles não fazem o dever de casa. façamos nós o que nos cabe. Tratemos de nossa postura e nossa pesquisa diante dessa nova possibilidade que temos de sermos autores,  geradores de pesquisa e principalmente de trasportarmos essa nossa postura para nossas salas de aula. Fazendo com que elas também sejam alvos de nossas pesquisas. 

Ando a pensar muito sobre este tema e vejo que ainda há muito o que pensar, mas gostaria muito de saber  sobre você que ler este post. Que relação você tem com a pesquisa?

Se estiver a vontade responda o questionário abaixo, semana que vem trago o resultado e minhas impressões. Não será divulgado teu nome, apenas a tua resposta!





Bom domingo a todos

22 de novembro de 2012

Educação Física

imagem do google

"Educação Física" 

Essa palavrinha é mágica no cotidiano escolar. Toda criança adora fazer a aula e não vê a hora do professor chegar. 
Agora um projeto de lei sugere que o mínimo semanal para a aula seja de 2 horas e fala da importância do exercício físico para um futuro saudavel. 

Acompanhe parte dessa reportagem na Revista Profissão Mestre e dê sua opinião sobre como as aulas dessa disciplina se organizam na sua escola. Que tipo de atividades esse profissional organiza para cada turma de alunos?


"Um projeto de lei proposto pelo senador Eduardo Amorim (PSC-CE) pretende estabelecer uma carga horária mínima semanal de 2 horas para a Educação Física. A medida, caso aprovada, valerá tanto para as escolas públicas como para as escolas particulares.
PLS 249/2012 altera a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB, Lei 9.394/96). Na norma está explícito o caráter obrigatório da disciplina e os casos em que a prática é facultativa, tais como, por exemplo, quando o aluno possui jornada de trabalho igual ou superior a seis horas e tenha mais de 30 anos de idade.
A LDB determina ainda que cada escola é responsável por construir seu projeto pedagógico e definir a carga horária de cada uma das matérias. No entanto, na avaliação do senador, essa mudança em relação ao texto original da lei representou “um preocupante enfraquecimento da Educação Física, que sempre enfrentou resistência no meio acadêmico” Revista Profissão Mestre. Confira a matéria na integra

Abraços 
Cris Chabes


20 de novembro de 2012

Pets I

O vocabulário básico em inglês é trabalhado nas séries inciais e dessa vez, apresento as atividades desenvolvidas dos PETS: FISH, DOG, CAT e BIRD.

Molde para confecção do mural.

Cada criança criou seu PET da forma que quisesse a partir da silhueta.








Também estou aqui:



18 de novembro de 2012

Vamos estudar juntos?

Oi pessoal,

Hoje compartilho algo muito interessante. A cada diz que passa sinto mais segurança na convicção que tenho de que se bem utilizadas as tecnologias podem,e muito,  nos ajudar  tornar a Educação mais flexível e produtiva para nossos alunos.

Digo isto porque achei muito interessante a atitude do Lucas Rocha, aluno da professora Profª Andréa Motta, editora do blog Conversa de Potuguês



O Lucas resolveu reunir todos os alunos que querem estudar para e Enem 2013. E convida-os a curtirem sua página no Facebook Preparação Enem 2013.  Achei a ideia interessante porque os todos os interessados podem sugerir filmes, textos de leituras e outros links que possam ajudar na interação. 

Se você é aluno e val estudar para o Enem 2013 está ai a dica. Se você é professor leitor curioso e quer estudar junto e ajudar corre lá também. 


Vamos divulgar esta ideia!

Vamos visar que estamos divulgando avise a o Lucas ou  a professora Andréa! 

Link da Página do Lucas - http://www.facebook.com/PreparacaoEnem2013

Link do Blog da profª Andréa-  http://conversadeportugues.com.br/


Fonte: Blog Tecnologias  na Educaçao - Fátima Franco
Uma Ótima semana a todos


15 de novembro de 2012

Dia da Proclamação da República

Dom Pedro II e o Marechal Deodoro da Fonseca

Em 15 de novembro de 1889 foi proclamada a república do Brasil.

Na época, o país era governado por D. Pedro II e passava por grandes problemas, em razão da abolição da escravidão, em 1888.

Como os negros não trabalhavam mais nas lavouras, os imigrantes começaram a ocupar seus lugares, plantando e colhendo, mas cobravam pelos trabalhos realizados, o que gerou insatisfação nos proprietários de terras.

As perdas também foram grandes para os coronéis, pois haviam gasto uma enorme quantidade de dinheiro, investindo nos escravos e o governo, após a abolição, não pagou nenhuma indenização aos mesmos.

A guerra do Paraguai (1864 a 1870) também ajudou na luta contra o regime monárquico no Brasil. Soldados brasileiros se aliaram aos exércitos do Uruguai e da Argentina, recebendo orientações para implantarem a república no Brasil.

Os movimentos republicanos também já aconteciam no país, a imprensa trazia politização à população civil, para lutarem pela libertação do país dos domínios de Portugal. Com isso, vários partidos teriam sido criados, desde 1870.

A Igreja também teve sua participação para que a república do Brasil fosse proclamada. Dois bispos foram nomeados para acatarem as ordens de D. Pedro II, tornando-se seus subordinados, mas não aceitaram tais imposições. Com isso, foram punidos com pena de prisão, levando a igreja a ir contra o governo.

Com as tensões aquecendo o mandato de D. Pedro II, o mesmo dirigiu-se com sua família para a cidade de Petrópolis, também no estado do Rio de Janeiro.

Porém seu afastamento não foi nada favorável, fez com que fosse posto em prática um golpe militar, onde o Marechal Deodoro da Fonseca conspirava a derrubada de D. Pedro II.

Boatos de que os responsáveis pelo plano seriam presos fizeram com que a armada acontecesse, recebendo o apoio de mais de seiscentos soldados.

No dia 15 de novembro de 1889, ao passar pela Praça da Aclamação, o Marechal, com espada em punho, declarou que a partir daquela data o país seria uma república.

Dom Pedro II recebeu a notícia de que seu governo havia sido derrubado e um decreto o expulsava do país, juntamente com sua família. Dias depois, voltaram a Portugal.

Para governar o Brasil República, os responsáveis pela conspiração montaram um governo provisório, mas o Marechal Deodoro da Fonseca permaneceu como presidente do país. Rui Barbosa, Benjamin Constant, Campos Sales e outros, foram escolhidos para formar os ministérios.

Por Jussara de Barros
Graduada em Pedagogia
Equipe Brasil Escola

Era uma Vez


Bons leitores literários estão atentos a novas e velhas histórias, conhecem gêneros e autores variados. Por isso, a revista NOVA ESCOLA organizou uma página especial, com mais de 100 contos, crônicas, poesias, lendas e fábulas ricamente ilustradas e publicadas em NOVA ESCOLA. Para ler sozinho, em família ou com seus alunos, em qualquer faixa etária. Boa leitura!

Eu adoro ler e por isso vivo pesquisando bons contos para compartilhar com meus alunos. 
Por isso não percam essa dica
Segue o link
Conto: Dona Cotinha, Tom e Gato Joca. Ilustração: Ionit Zilberman
Dona Cotinha, Tom e Gato Joca de Cléo Busatto

BOA LEITURA
CRIS CHABES

13 de novembro de 2012

Colors - Dica de site

Aula de Inglês no laboratório de Informática tem tudo a ver, concordam?

Trago pra vocês uma dica de jogo das COLORS simples e que as crianças adoram!








Também estou aqui:

12 de novembro de 2012

O EDUCADOR: O Estímulo e o Afeto


"O ato de educar não pode ser visto apenas como depositar informações nem transmitir  conhecimentos. Há muitas formas de transmissão de conhecimento, mas o ato de educar só se dá com afeto, só se completa com amor”.
Junto com o amor vêm o compromisso, o respeito, a necessidade de continuar a estudar sempre, de preparar aulas mais participativas, de repreender com pertinência, de abusar da paciência. Triste é o educador que já não acredita mais na capacidade de aprendizado, que não se debruça para examinar melhor a peculiaridade de cada aprendiz. A educação é em todas as dimensões, um grande desafio “. (Gabriel Chalita)”.


    Acredito que neste momento em que estamos vivendo onde a globalização tem aproximado continentes, temos presenciado ao mesmo tempo o afastamento do ser humano e o esfriamento de sentimentos. Mas ao mesmo tempo vários estudiosos têm sido unânimes em afirmar que o afeto é fundamental para o êxito dos nossos projetos e planos para a educação.
    O filósofo Hume dizia que “precisamos de paixões para motivar nossas ações”. O que ele diz não é diferente do que foi dito por Gabriel Chalita na citação acima, o afeto e o amor devem ser a válvula que nos move, que nos fazem continuar sem desistir ou desanimar, mas antes, aceitar este desafio.
     Se olharmos muitas vezes as circunstâncias que nos rodeiam somos paralisados por elas, mas nós educadores precisamos ter olhos como de águia e olhar acima das circunstâncias.
     Segundo a bióloga e psicopedagoga Marta Relvas “A afetividade acompanha o ser humano desde a sua vida intra-uterina até sua morte, se manifestando como uma fonte geradora de potência e energia. Pode ser comparada ao alicerce sobre o qual se constrói o conhecimento racional, logo, a aprendizagem deve ser prazerosa e ligada à ação afetiva”.
     É o afeto, a paixão que deve nos impulsionar para frente, nos levando a pesquisar, a buscar novos caminhos para alcançar nossos alunos respeitando as diferenças. Quando Gabriel Chalita nos fala em “examinar as peculiaridades de cada aprendiz” isto nos leva a Howard Gardner que acredita na Educação Personalizada, isso não significa um professor para cada aluno ou uma aula para cada aluno, personalizar a educação segundo a Teoria das Inteligências Múltiplas significa olhar a todos e a cada um ao mesmo tempo. A todo o momento eu vou me preocupar tanto com aqueles que avançam sozinhos, como com aqueles que ficaram para trás. As pessoas são diferentes, elas aprendem de formas diferentes e em tempos diferentes. Daí a importância do professor diversificar a sua aula, criar estratégias para alcançar a todos, estimulando-os a aprender.
    Trabalhando com as diferenças elevamos a auto-estima do nosso aluno. “Se uma criança tem opinião positiva sobre si mesma e sobre os outros, terá maiores condições de aprender, caso contrário, a criança poderá perder o interesse e o desejo de aprender, ficando indiferente diante do êxito e do fracasso. Esse sentimento poderá resultar, inclusive, problemas de aprendizagem e comportamento”. (Marta Relvas)
     “A cumplicidade entre querer ensinar e se permitir aprender” (G. Chalita). É importantíssimo estimular nossos alunos, conquistá-los para que eles se permitam aprender. Marta Relvas afirma: ”(...) quando um estímulo já é conhecido do Sistema Nervoso Central, desencadeia uma lembrança; quando o estímulo é novo desencadeia uma mudança”. Se queremos ver mudanças nos nossos alunos precisamos buscar novos estímulos. E ela completa: ”É nesse papel que o educador tem responsabilidade, pois não basta ler ou escrever sinais, mas sim dar sentido a todos os estímulos recebidos”. Para que estes estímulos funcionem é necessário que tenham sentido para o educando , é preciso valorizar o que eles trazem para a escola e partir daí para a busca de novas experiências. O estímulo tem papel importantíssimo na aprendizagem. Marta Relvas continua: “(...) a função principal do cérebro é aprender e não há limites, quanto mais se aprende mais o cérebro forma conexões, o importante é estimular o nosso cérebro”.    
      Não é deixando nossas crianças paralisadas, sentadas uma atrás da outra, olhando imóveis para o professor que estaremos estimulando nossos alunos. A Pedagoga Izabel Galvão ao comentar a teoria de Wallon afirma que: “Muitas vezes impedir a criança de se movimentar ao invés de favorecer que ela aprenda, pode impedir que ela aprenda, porque o pensamento da criança no primeiro momento é muito sustentado no movimento, então ela precisa se mecher, de vários modos, para construir um fluxo de pensamento”.
      Segundo a própria Marta Relvas, podemos estimular os nossos alunos explorando nossos sentidos biológicos. E quais são eles? Audição, visão, tato, paladar e olfato. Podemos utilizar vários instrumentos tecnológicos, os vários tipos de Mídia, atividades motoras, não importa precisamos explorar os sentidos biológicos de alguma forma criando estímulos que entrarão através deles. Mas para isso é necessário que nós educadores acreditemos na capacidade de aprendizado dos educandos. E que tenhamos em nossos corações o mesmo sentimento que houve em Paulo Freire quando afirmou: ”Lido com gente não com coisas”.
    Gostaria de encerrar como iniciei citando Gabriel Chalita: “A escola dos sonhos dos sonhadores, da poesia dos poetas, da maternidade, da luta dos lutadores começa com a crença de que, em se falando de vida-e como a educação é vida-, a solução está no afeto”.
  

Referencia Bibliográfica:

CHALITA, Gabriel. Educação: a solução está no afeto. - São Paulo: Editora Gente, 2001 1ª ed., 2004 edição revista e atualizada.

RELVAS, Marta Pires. Neurociências e transtornos de aprendizagem: as múltiplas eficiências para uma educação inclusiva. – Rio de Janeiro: WAK Ed., 2007.


AutoraAna Márcia da Silva Vieira, professora de Alfabetização (minha paixão) da Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro. Formada em LETRAS pela UESA, Psicomotricista, Psicopedagoga e Pós-graduanda em Arte em Educação e Saúde.

Blog:  http://criandoealfabetizando.blogspot.com

..............................................................................................................
Quer participar do  blog Educação em Foco?
Nos envie uma postagem!
Coloque seu conhecimento na Rede!
Divulgue seu trabalho!



11 de novembro de 2012

O Pensamento de um jovem sobre as Cotas.


Olá Pessoal, 

Hoje compartilho com vocês um trecho de um texto maravilhoso que li esta semana. Brasil de Co[s]tas. Escrito pelo blogger Luis Fellipe Alves. Achei muito interessante a forma com que ele aborda o assunto das cotas e principalmente a postura que ele, jovem que é, apresenta diante de um assunto tão polêmico.

Ressalto a juventude do Luis Fellipe, pois tenho certeza que nas linhas e nas entrelinhas do texto dele podemos enxergar os jovens que todos nós, professores gostaríamos de ver em nossos alunos: jovens de opinião. 

Vejam o início do texto

----------------------------
"Eu chamo de assumir um erro. O governo, sempre em sã consciência e astuto entendeu que os alunos de escolas públicas do ensino fundamental e médio precisariam de algo que desse a eles maior possibilidade de um ingresso em instituições de ensino superior de qualidade, atualmente consideradas as públicas. É ou não é assumir um erro? É ou não é assumir que a educação desses alunos vestibulandos foi horrível nesses anos todos e agora precisariam de um privilegiozinho que os ajudasse?  Fala sério, tá na cara!

O governo é um barato mesmo. Não falo das cotas como se eu fosse totalmente contra elas, apesar de parecer. De início apoio que elas existam e sabem por quê? Porque esses alunos que já concluíram seus estudos ou estão a um mês de tal conquista não tem volta! Eles estão terminando suas vidas escolares! Como seria possível tirar-lhes o privilégio agora sem que eles pudessem se aproveitar de mudanças no ensino (se chegassem a acontecer)? Então as cotas ficam.

 O problema está justamente aí. Se as cotas ficam – só por um tempo – a educação tem que mudar. E muito! O Brasil forma milhares de analfabetos funcionais todos os anos. Aqueles que sabem ler e escrever, mas não conseguem entender um artigo de jornal. E aí, como isso fica?


------------------------

A sequência do texto é simplesmente fantástica e não vou colocá-la toda aqui porque gostaria muito que vocês visitassem o blog do Luis e observassem atentamente os comentários. a forma com que ele sustenta a opinião trazida no texto principal. 

O texto do Luis Fellipe pode ser lido da Íntegra no seu blog o Cronizalize

E vocês professores e leitores, o que pensam sobre as cotas? E qual a opinião de vocês sobre a postura do Luiz Fellipe?

Aguardo a opinião de vocês!


10 de novembro de 2012

Concurso: Aprender e Ensinar



Professores da rede pública de todo o país podem participar e concorrer a uma viagem para a Tunísia

O período de inscrições do 3º Concurso Aprender e Ensinar – Tecnologias Sociais foi prorrogado até o dia 26 de novembro. Promovido pela revista Fórum e a Fundação Banco do Brasil, o concurso já recebeu inscrições de educadores e professores de todo o Brasil. Com o prazo maior, a expectativa é que mais pessoas participem, ajudando a disseminar boas ideias na educação.
Podem participar professores da Educação Básica, vinculados à rede pública, institutos federais, escolas técnicas públicas e espaços não formais de educação, como EJA e ONGs. Ao se inscrever, todos ganham uma assinatura da revista Fórum até abril de 2013 e um livro sobre tecnologias sociais.
Para concorrer aos prêmios, o professor já inscrito deve efetuar a “Certificação”, que consiste em responder duas perguntas sobre a iniciativa desenvolvida ou que pretende realizar na escola. A partir das respostas serão selecionados 64 finalistas que ganharão um tablet e vão participar de seminário em Brasília, nos dias 22 e 23 de fevereiro de 2013. No evento serão anunciados os seis vencedores, que irão à Tunísia para participar do Fórum Social Mundial 2013, de 23 a 28 de março.

O concurso

Esta é a terceira edição do concurso que busca reconhecer, apoiar e disseminar o uso de tecnologias sociais na educação. O 1º Concurso Aprender e Ensinar foi realizado em 2008 e recebeu 2.640 inscrições de todo o Brasil. Os vencedores foram ao FSM de Belém (PA) em janeiro de 2009. Na segunda edição, em 2010, foram 3.075 inscritos, e os cinco educadores premiados viajaram a Dacar, no Senegal, em 2011.

Tecnologias sociais

Muitos professores já utilizam tecnologias sociais (TS) em suas aulas e nem imaginam. As TS são soluções simples e de baixo custo, desenvolvidas com o envolvimento dos alunos, professores e comunidade, como os pais e vizinhos da escola. Outro aspecto das TS é que elas buscam o desenvolvimento local com transformação social e podem ser reaplicadas em qualquer lugar. Entre as iniciativas premiadas nas edições anteriores estão a construção de um forno solar, uma horta de ervas medicinais feita pelos alunos, professores e comunidade, a criação de uma moeda verde para troca de materiais recicláveis e um programa de inclusão de crianças surdas por meio da Língua Brasileira de Sinais (Libras).


9 de novembro de 2012

Campanha Nacional de Alerta ao Zumbido




Mais de 28 milhões de brasileiros de todas as idades estão com zumbido.
Você e seus filhos estão entre elas?

Você sabe o que é o Novembro Laranja?
É um movimento nacional para chamar a atenção da população para a realidade crescente do zumbido no ouvido, em especial entre os jovens, além da importância do diagnóstico e tratamento precoces.

O que é o zumbido?
É um som que as pessoas escutam no ouvido ou na cabeça, especialmente no silêncio. Pode parecer apito, chiado, cachoeira, cigarra, etc. Algumas pessoas só o ouvem se prestarem atenção; outras o percebem o dia todo.

É comum ter zumbido?
Sim, cada vez mais! De 1995 a 2010, o zumbido aumentou de 15% para 24% na população geral; muito mais do que a asma, surdez, cegueira ou Alzheimer... e o pior: muita gente ainda não ouviu falar disso!

Os jovens também têm zumbido?
Para nossa surpresa, crianças de 5 a 11 anos e adolescentes de 12 a 17 anos tiveram 37% e 34% de zumbido em pesquisas recentes, ou seja, mais do que a população geral! Diferente dos adultos e idosos, o zumbido dos jovens começa ANTES da audiometria acusar qualquer perda auditiva. Esses ouvidos com zumbido podem ser mais sensíveis a lesões no futuro, por isso devem ser avaliados com mais frequência e mais cuidado.

No início, muitos ficam preocupados e pensam “será que isso é algo grave?”, “e se eu piorar?”, “será que vou ficar surdo?”. Cerca de 20% têm dificuldades para dormir e se concentrar no trabalho/leitura, ficando mais ansiosos ou deprimidos. Os outros não costumam se importar.

O que pode causar o zumbido?

Ele costuma ser “sinal de alerta” de algum problema no ouvido ou em órgãos próximos. Em adultos e idosos, geralmente ele é consequência de alguma perda auditiva (mesmo que pequena!). Nos jovens, ele precede a perda de audição. Várias causas de zumbido já são conhecidas e algumas até são fáceis de identificar e tratar. Problemas comuns são os erros alimentares (principalmente o jejum prolongado, abuso de cafeína, doces e gorduras), a exposição a sons altos, otites, labirintites, diabetes, pressão alta, colesterol, envelhecimento, tumores etc. Problemas emocionais também causam zumbido. Portanto, uma única pessoa pode ter várias causas para o zumbido, que devem ser pesquisadas detalhadamente.

O que devo fazer se tenho zumbido?
Procure seu médico otorrinolaringologista de confiança; ele saberá lhe orientar adequadamente. O importante é investigar o que pode estar afetando o seu ouvido. Ex. 1: um jovem pode ter zumbido porque ouve música alta, come muitos doces e é ansioso.  Ex. 2: uma senhora pode ter zumbido pela idade, diabetes, pressão alta, abuso de cafeína e depressão. Tudo que puder ser revertido ou controlado tem chance de melhorar o seu zumbido. 

Há algum tratamento para o zumbido?
Sim, vários! Alguns são simples e rápidos, outros lentos ou sofisticados. Nenhum deles pode ser generalizado para todos os casos. O melhor é personalizar para cada caso, considerando-se as causas do zumbido em cada paciente e a presença ou não perda auditiva, hipersensibilidade a sons ou tontura. Não deixe de buscar informação e ajuda: escolha junto com seu médico otorrino de confiança! Se quiser, acesse também as palestras gratuitas do GANZ (Grupo de Apoio Nacional a Pessoas com Zumbido) no http://twitcasting.tv/zumbidonoouvido e outras informações nowww.apidiz.org.br ou www.institutoganzsanchez.com.br.

Como prevenir o zumbido?
1. Quando for a festas, shows ou bares ruidosos use protetores de ouvido e faça intervalos periódicos. Com fones de ouvido, evite ultrapassar a metade da potência do seu aparelho ou usar mais que 2 horas seguidas. Isso faz MUITA diferença para a segurança dos seus ouvidos!
2. Alimente-se bem, de 4 a 6 vezes por dia, sem “pular refeição”. Evite excesso de cafeína, doces, álcool e nicotina.
3. Diminua o tempo de contato do celular com o ouvido, use mais viva-voz ou fone e troque o que for possível por mensagem de texto.
4. Alivie seu estresse com atividades relaxantes comprovadamente eficazes, como yoga, meditação, Tai-Chi-Chuan, Chi-Cong etc.
5. Estimule seus ouvidos com baixo volume de música suave ou outros sons agradáveis.
6. Evite auto-medicação, pois certos medicamentos podem causar zumbido.
7. Incorpore mais atividades de prazer na sua vida: atividade física, passeios, relacionamentos saudáveis, cinema etc. Momentos de felicidade ajudam a restaurar nossos os órgãos, inclusive os ouvidos.

Resumindo...
Há várias causas e tratamentos disponíveis para o zumbido, mas é essencial adaptar as opções para a idade, o perfil e as necessidades de cada paciente. Crianças e adolescentes devem ser tratados diferente dos adultos e idosos. Consulte seu otorrinolaringologista de confiança, procure informações corretas e atualizadas. Isso pode ajudar muito a entender o zumbido e a direcionar-lhe para o melhor tratamento. Quanto antes você tratar, maior a chance de cura ou de grande melhora. Portanto, se você ouvir algo como “não há nada que possa ser feito” ou “você vai ter que aprender a conviver com isso”, siga em frente na sua busca!

VAMOS APOIAR ESTA CAUSA: NO DIA 11-11, USE PELO MENOS UMA PEÇA DE ROUPA LARANJA E MOSTRE QUE VOCÊ ESTÁ SINTONIZADO!

Promoção: Associação de Pesquisa Interdisciplinar e Divulgação do Zumbido (APIDIZ).
Apoio: Instituto Ganz Sanchez.

8 de novembro de 2012

Prova Brasil

Meus alunos de 2º ano realizaram no final de setembro a PROVA BRASIL. Essa avaliação em nível nacional tem por objetivo  "avaliar competências de Língua Portuguesa e Matemática que são construídas ao longo do tempo e se solidificam somente com um bom trabalho pedagógico - e não com exercícios mecânicos" segundo Jussara Hoffmann, autora de livros sobre avaliação e diretora da Editora Mediação, em Porto Alegre.

imagens do google

Na prova de Matemática, são avaliadas as habilidades de resolver problemas em quatro temas:

- espaço e forma;
- números e operações;
- grandezas e medidas; e
- tratamento da informação.


A prova de Língua Portuguesa por sua vez, avalia apenas habilidades de leitura sendo:

- procedimentos de leitura;
- implicação do suporte, do gênero e/ou do enunciador na compreensão do texto;
- relação entre textos;
- coerência e coesão no processamento do texto;
- relações entre recursos expressivos e efeitos de sentido; e
- variação linguística.

O resultado da Prova Brasil é divulgado por escola, pois o objetivo não é avaliar o aluno, e sim o sistema. As notas podem ser consultadas no site provabrasil.inep.gov.br.
Também não é uma nota de 0 a 10, como em provas comuns. Ela é uma média e mostra em que ponto da escala de 0 a 500 os alunos de determinada instituição estão nas duas disciplinas. Essa posição indica as habilidades já conquistadas, as que ainda estão em construção e as que necessitam de retomada para que sejam desenvolvidas.
Esse dado permite à escola comparar o desempenho dos estudantes com a média do município, do estado e do Brasil. As que já participaram das outras edições podem avaliar em que pontos houve avanço em relação às notas anteriores e em quais disciplinas é preciso investir e planejar e formação de professores.
Finalmente, cabe o questionamento: como a escola está em relação às metas traçadas para o ano? "Analisando o desempenho dos alunos na Prova Brasil, os professores verificam em que momento da construção do conhecimento os alunos estão e o que precisa ser reforçado em sala de aula para que eles continuem avançando", observa Frederico Neves Condé, coordenador geral de instrumentos de medidas do Departamento de Avaliação da Educação Básica do Inep.


Prova BrasilSaeb
A quem se destinaAlunos de 5º e 9º anos do Ensino FundamentalAlunos de 5º e 9º anos do Ensino Fundamental e do 3º ano do Ensino Médio
Escolas participantesUnidades públicas de áreas urbanas e ruraisUnidades públicas e privadas de áreas urbanas e rurais
AlcanceUniversal - todos os estudantes das séries indicadas fazem a provaAmostral - apenas uma parte dos alunos das séries avaliadas participa do exame
AplicaçãoUma parcela das escolas participantes compõe os resultados do SaebTodos fazem a Prova Brasil e, por meio de um recorte, chega-se aos números do Saeb

Fonte: Nova Escola 

Abraços
Cris Chabes

6 de novembro de 2012

Finger Family

Bom dia queridos leitores,

A atividade de hoje foi desenvolvida para trabalhar o vocabulário sobre a FAMILYDADMOMBABYSISTER and BABY.

Baixei o video no Youtube da música FINGER FAMILY. As crianças amaram o videozinho e  aprenderam a música facilmente.

Fizemos algumas atividades para fixação do vocabulário e um mural onde as crianças desenharam sua própria família (mural das casinhas).

O segundo mural foi para representar a música da FINGER FAMILY. Cada criança desenhou sua mãozinha e cada dedo foi um personagem da família.

Tudo ficou uma graça, recheado de aprendizado, alegria, criatividade e diversão!













- Sugestão dessa atividade para o 1º e 2º ano do Ensino Fundamental.




Também estou aqui: