31 de agosto de 2012

Projeto de Leitura

Andei pesquisando alguns modelos de projeto para leitura da minha sala e encontrei um site com diferentes ideias.
Segue aqui algumas sugestões e  o link do site para o projeto completo:



  • Projeto Entre na Roda 
Onde é realizado: O Projeto acontece em todo o Estado de São Paulo. 

O que é: Desenvolvido pela Fundação Volkswagen em parceria com o Cenpec, o projeto visa formar mediadores de leitura para atuar em diferentes espaços, como escolas, bibliotecas associações, asilos, associações etc. O curso de capacitação, formado por 8 oficinas com 8 horas de duração, é voltado para educadores, bibliotecários e voluntários da comunidade. As escolas ou instituições dos profissionais que participam da formação também são contempladas com o Baú de Leitura, com mais 100 títulos. 

Contato: http://cenpec.org.br/entre-na-roda

  • Projeto Caravana da Leitura
Onde é realizado: Em praças públicas de diversos municípios - a caravana fica um dia em cada município, dentro de um roteiro, percorrendo cerca de 40 cidades por ano. 

O que é: Desde 2004, obras com contos, crônicas e histórias são vendidas por apenas R$ 2 na Caravana da Leitura, uma tenda montada em praça pública, com uma equipe de oito pessoas. Em 2011 foram comercializados 120 mil livros! 

Todos os títulos são do escritor Laé de Souza, organizador do projeto. São 16 títulos, inclusive em braille, direcionados ao público infantil, juvenil e adulto. O projeto é realizado em parceria com as prefeituras e visa estimular a leitura não apenas entre os estudantes, mas na população como um todo. 

Contato: www.projetosdeleitura.com.br ou (11) 2743-9491

30 de agosto de 2012

A IMPORTÂNCIA DAS ATIVIDADES LÚDICAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL


Estudos e pesquisas têm comprovado a importância das atividades lúdicas, no desenvolvimento das potencialidades humanas das crianças, proporcionando condições adequadas ao seu desenvolvimento físico, motor, emocional, cognitivo, e social. Atividade lúdica é toda e qualquer animação que tem como intenção causar prazer e entretenimento a quem pratica. São lúdicas as atividades que propiciam a experiência completa do momento, associando o ato, o pensamento e o sentimento. A criança se expressa, assimila conhecimentos e constrói a sua realidade quanto está praticando alguma atividade lúdica. Ela também espelha a sua experiência, modificando a realidade de acordo com seus gostos e interesses.
Na educação Infantil podemos comprovar a influência positiva das atividades lúdicas em um ambiente aconchegante, desafiador, rico em oportunidades e experiências para o crescimento sadio das crianças. 
Os primeiros anos de vida são decisivos na formação da criança, pois se trata de um período em que a criança está construindo sua identidade e grande parte de sua estrutura física, socioafetiva e intelectual. É, sobretudo, nesta fase que se deve adotar várias estratégias, entre elas as atividades lúdicas, que são capazes de intervir positivamente no desenvolvimento da criança, suprindo suas necessidades biopsicossociais, assegurando-lhe condições adequadas para desenvolver suas competências.
Todas as instituições que atendem crianças de 0 a 5 anos, deve promover o seu  desenvolvimento integral, ampliando suas experiências e conhecimentos, de forma a estimular o interesse pela dinâmica da vida social e contribuir para que sua integração e convivência na sociedade sejam produtivas e marcadas pelos valores de solidariedade, liberdade, cooperação e respeito. As intuições infantis precisam ser acolhedoras, atraentes, estimuladoras, acessíveis ás crianças e ainda oferecer condições de atendimento ás famílias, possibilitando a realização de ações sócioeducativas.

As crianças necessitam receber nas instituições de educação infantil:
  • Ações sistemáticas e continuadas que visam a fornecer informações;
  • Realizar vivências através de atividades lúdicas;
  • Aprimorar conhecimentos.
São vários os benefícios das atividades lúdicas, entre eles estão:
  • Assimilação de valores;
  • Aquisição de comportamentos;
  • Desenvolvimento de diversas áreas do conhecimento
  • Aprimoramento de habilidades;
  • Socialização.
Quanto ao tipo de atividades lúdicas existentes, são muitas, podemos citar:
  • Desenhar;
  • Brincadeiras;
  • Jogos;
  • Danças;
  • Construir coletivamente;
  • Leituras;
  • Softwares educativos;
  • Passeios;
  • Dramatizações;
  • Cantos;
  • Teatro de fantoches, etc.
As atividades lúdicas podem ser uma brincadeira, um jogo ou qualquer outra atividade que permita tentar uma situação de interação. Porém, mais importante do que o tipo de atividade lúdica é a forma como é dirigida e como é vivenciada, e o porquê de estar sendo realizada.
Toda criança que participa de atividades lúdicas, adquire novos conhecimentos e desenvolve habilidades de forma natural e agradável, que gera um forte interesse em aprender e garante o prazer.
Na educação infantil, por meio das atividades lúdicas a criança brinca, joga e se diverte. Ela também age, sente, pensa, aprende e se desenvolve. As atividades lúdicas podem ser consideradas, tarefas do dia-a-dia na educação infantil.
De acordo com Teixeira (1995), vários são os motivo que induzi os educadores a apelar às atividades lúdicas e utilizá-las como um recurso pedagógico no processo de ensino-aprendizagem.
Segundo Schwartz (2002), a criança é automotivada para qualquer prática, principalmente a lúdica, sendo que tendem a notar a importância de atividades para o seu desenvolvimento, assim sendo, favorece a procura pelo retorno e pela manutenção de determinadas atividades.
Huizinga (1996), diz que numa atividade lúdica, existe algo “em jogo” que transcende as necessidades imediatas da vida e confere um sentido à ação.
Para  Schaefer (1994), as atividades lúdicas promovem ou restabelecem o bem estar psicológico da criança. No contexto de desenvolvimento social da criança é parte do repertório infantil e integra dimensões da interação humana necessária na análise psicológica (regras, cadeias comportamentais, simulações ou faz-de-conta aprendizagem observacional e modelagem).
Toda a atividade lúdica pode ser aplicada em diversas faixas etárias, mas pode sofrer intervenção em sua metodologia de aplicação, na organização e no prover de suas estratégias, de acordo com as necessidades peculiares das faixas etárias. As atividades lúdicas têm capacidade sobre a criança de gerar desenvolvimento de várias habilidades, proporcionando a criança divertimento, prazer, convívio profícuo, estímulo intelectivo, desenvolvimento harmonioso, autocontrole, e auto-realização.
O educador deverá propiciar a exploração da curiosidade infantil, incentivando o desenvolvimento da criatividade, das diferentes formas de linguagem, do senso crítico e de progressiva autonomia.  Como também ser ativo quanto às crianças,
criativo e interessado em ajudá-las a crescerem e serem felizes, fazendo das atividades lúdicas na educação Infantil excelentes instrumentos facilitadores do ensino-aprendizagem.
As atividades lúdicas, juntamente com a boa pretensão dos educadores, são caminhos que contribuem para o bem-estar, entretenimento das crianças, garantindo-lhes uma agradável estadia na creche ou escola.  Certamente, a experiência dos educadores, além de somar-se ao que estou propondo, irá contribuir para maior alcance de objetivos em seu plano educativo.
Referências:
HUIZINGA, J. Homo Ludens. 4. ed.  São Paulo: Perspectiva, 1996.
MALUF, Ângela Cristina Munhoz - Brincar Prazer e Aprendizado.  Petrópolis, Rio  de Janeiro, Vozes 2003.
_______Conheça Bem, eduque melhor- Crianças e Jovens.Petrópolis, Rio de Janeiro, Vozes 2006
NEGRINE, Airton da Silva. A Coordenação Psicomotora e suas Implicações. Porto Alegre. 1987.
PAPALIA, D. E., OLDS, S. W., O Mundo da Criança, Ed. McGraw-Hill, São Paulo, 1981.
PIAGET, Jean. A Construção do Real na Criança. Trad. Álvaro Cabral. Rio de Janeiro: Zahar, 1970.
________ O nascimento da Inteligência na criança. Suíça. Editora Guanabara, 1987.
SCHAEFER (1994) -Play therapy for psychic trauma in children. Em K.J. O´Connor & C.E. Schaefer Handbook of Play Therapy. Advances and     Innovations. New York: Wiley
SCHWARTZ, G. M. Emoção, aventura e risco - a dinâmica metafórica dos novos estilos. In: BURGOS, M. S.; PINTO, L. M. S. M. (Org.) Lazer e estilo de vida. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2002, p. 139-168.
TEIXEIRA, Carlos E. J. A ludicidade na escola. São Paulo: Loyola, 1995.


Angela Cristina Munhoz Maluf - Ms. em Ciências da Educação,docente de graduação e pós-graduação,psicopedagoga, especialista em Educação Infantil e Especial, escritora, palestrante e consultora de projetos.

28 de agosto de 2012

10 tecnologias que revolucionarão a educação

1. Videogames – Os consoles PlayStation 3 e Xbox 360 são compatíveis com sensores e possuem conexão à internet. Eles permitem também fazer videoconferência e acessar o conteúdo de parceiros com
erciais. O ponto forte destes dispositivos é o uso dos ambientes didáticos virtuais que permitem rápidas decisões.


2. Sensores – Além do Kinect, da Microsoft, a Nike comercializa a pulseira FuelBand, que permite acompanhar o histórico de atividades e rastrear os praticantes de atividades físicas. De acordo com o especialista, os profissionais da área de saúde podem usufruir desta tecnologia para estimular alunos e pacientes.

3. GPS – O dispositivo de posição global ajuda no ensino da geografia e disciplinas como dinâmica populacional ao informar as referências de latitude, longitude e altitude. Eles também mensuram alterações físicas no ambiente e podem ser usados em atividades correlacionadas com ciência.

4. Circuitos abertos – O Arduino possui enfoque nos estudantes e permite compreender a eletrônica e o funcionamento de máquinas. Além disso, atrai curiosos que desejam criar os seus próprios circuitos usando uma biblioteca pública de comandos.

5. Tablets – Além dos videogames, os tablets serão cada vez mais usados durante as rotinas escolares. Estes dispositivos agregam conteúdos interativos às aulas e substituem livros didáticos e vídeos. As tarefas de campo, seminários e visitas técnicas também podem usufruir desta tecnologia.

6. Cloud services – Os serviços na nuvem facilitam a sincronia de trabalhos em equipe e a organização de repositórios coletivos. Hoje, é possível criar contas em serviços de hospedagem de arquivos e pacotes de escritório, por exemplo, e acompanhar o andamento de projetos de qualquer computador ou tablet com acesso à web.

7. Fim dos espaços concretos e aulas cronometradas – Hoje, os sites Coursera, Academicearth e Einztein permitem lecionar a partir de qualquer região com acesso à internet assuntos sobre ciências da computação, genoma e ciência das máquinas. 

8 Simulador – Esta tecnologia pode ajudar na compreensão de situações complexas e dinâmicas que poderia levar dias com cálculos humanos. Os simuladores também ajudam a compreender os relacionamentos pessoais, intervenções cirúrgicas e administração de empresas ou cidades.

9 Robôs – Na Coréia do Sul, os alunos de algumas escolas lidam com um robô durante as aulas. Na área de saúde, estas máquinas conseguem simular sintomas e ajudam médicos durante treinamentos. Há também o software chamado Robo Ticot, um projeto europeu que, de acordo com os desenvolvedores, possui grande facilidade em interagir com as pessoas e pode ser usado em áreas educacionais, governamentais e empresariais.

10 Personalização – Tecnologias lançadas recentemente permitem gerar bases de dados complexas, analisar métricas e criar sistemas de recomendação. Estes serviços podem ser usados para auxiliar programas de ensino individualizado com base no histórico e necessidades do aluno.
Fonte: [INFO Online]

27 de agosto de 2012

Projeto Desfralde (Parte I)

Iniciamos o desfralde normalmente no maternal I, as crianças ao completarem 2 aninhos já são estimuladas a pedir para usar o vasinho. Esse trabalho requer paciência e parceria com a família. Nossas educadoras são orientadas, os pais recebem em casa um texto explicando sobre o desfralde e fazemos uma espécie de "ritual" para celebrar o "adeus às fraldas".
Segue abaixo um texto feito com várias informações retiradas na internet, que costumamos enviar para as famílias:


Informações sobre o processo de desfralde
Aprender a usar o banheiro é um processo composto de diversas etapas, a criança pode levar alguns dias ou alguns meses para aprender. Se você souber esperar o momento certo, o processo será muito mais tranquilo para ambos. É uma conquista dela, não sua.
Para que a criança aprenda a usar o banheiro, é preciso que você a ensine. Diga a ela quais são as etapas: avisar que precisa ir ao banheiro, despir-se, limpar-se, dar descarga e lavar as mãos. Cada uma dessas etapas leva algum tempo. Por isso, lembre-se de reforçar o sucesso da criança com elogios ao final de cada etapa. A atitude da criança e o domínio da etapa anterior dirão quando ela estará pronta para aprender a próxima etapa. A meta final é importante, mas as pequenas conquistas também são. Lembre-se: o sucesso inicial depende da criança entender o uso do banheiro, não de aprender tudo de uma só vez. Fale claramente o que espera dela.

A sintonia entre pais e escola é fundamental e, para isso, é importante que pais e educadoras observem alguns detalhes:
• A criança verbaliza que fez ou vai fazer xixi ou cocô;

• Caminha com autonomia e equilíbrio;
• Sobe e desce escadas fazendo uso alternado dos pés;
• Fica com a fralda seca por intervalos cada vez maiores;
• Mostra interesse e desejo em usar o vaso sanitário;
• Incomoda-se com a fralda cheia.

Dicas úteis:
  • Vista a criança com roupas fáceis de tirar e colocar. Ajude-a a aprender a despir-se e a vestir-se, pois isso faz parte do aprendizado.
  • Inicialmente, tanto meninos quanto meninas sentem-se mais seguros fazendo suas necessidades sentadas no vaso. Se começarem a aprender a urinar de pé, talvez os meninos não queiram se sentar para evacuar.
  • Observe a criança. Caretas, resmungos e a famosa "dancinha" podem ser sinais de urgência em usar o banheiro. Quando observar esses movimentos, pergunte se ela está com vontade de ir ao banheiro.
  • Pergunte, também, se ela quer que você desabotoe suas calças. Ofereça-se para lembrá-la sempre que precisa ir ao banheiro.
  • Elogie a criança. Não deixe de elogiá-la quando ela lhe disser que está com vontade de ir ao banheiro, mesmo que a iniciativa tenha sido sua.
  • Deixe ela dar descarga, mas fique atenta as vontades da criança.  Há crianças que ou não gostam do som da descarga ou têm medo; Além disso, tente consolá-la se ela ficar triste ao ver as fezes desaparecerem no vaso.
  • Depois de iniciado o processo, não se deve voltar atrás. Uma vez iniciado o processo, a criança deve permanecer sem fralda durante todo o tempo na creche. |Só é permitido ficar de fralda na hora do sono, mas imediatamente ao acordar, a responsável pela criança deve retirar a fralda e levar a criança ao banheiro.
  • Convide a criança para ir ao banheiro regularmente.
  • Ajude e orientar o menino a posicionar adequadamente o pênis, quando for fazer xixi sentado ou em pé, para evitar que a criança se molhe ou suje o banheiro. Deixar que o menino escolha como quer fazer xixi, sentado ou em pé, até que ele se sinta seguro o suficiente para fazer apenas em pé.
  • Limpe a criança e oriente-a quando ela quiser fazer sozinha. Lembre-se SEMPRE de lavar as mãos e ensine a criança a fazê-lo;
Seja tolerante quando o xixi ou cocô escaparem. 
Tenha paciência! 
É um processo que pode durar alguns dias ou meses. 
Jamais culpe a criança por ter feito xixi na calça!

Normalmente as crianças começam a o desfralde pelo xixi e só depois sentem –se seguras para usar o penico ou vaso para fazer cocô.
Acidentes são normais. Às vezes, a criança não consegue segurar a urina e as fezes. Não se preocupe porque isso é natural e faz parte do processo de aprendizado. Se a criança se habituar a segurar a vontade de ir ao banheiro, acabará tendo prisão de ventre, o que pode tornar doloroso o processo de ir ao banheiro. 

Um dos livros que utilizamos para introduzir o assunto para as crianças foi  “O que tem dentro da sua fralda?”, de Guido Van Genechten, editora Brinque Book. O livro fez um sucesso, as crianças queriam levar para casa todos os dias!


Tenham uma ótima semana!

26 de agosto de 2012

Educar, dever de quem?


Hoje  trago para nossa reflexão uma provocação. 
Encontrei a imagem abaixo lá no Facebook, foi compartilhada pela escritora Roseana Murray e publicado pela Página Gentileza Gera Gentileza. Muito bem divulgado pelo pessoal da Revista Vida Simples. E que de fato tem realizado um ótimo trabalho por onde passam.

Vamos a imagem?


Não quero com esta imagem me desfazer de meu dever enquanto professora, mas sim, pensar sobre a distribuição das tarefas em nossa sociedade. Será que temos cumprido nossa tarefa corretamente? Nós pais, professores, alunos...
Será que temos consciência de que se não fizermos bem nossa tarefa, ou pelo menos se não nos preocuparmos com ela podemos colocar em prejuízo todo um processo de socialização e de educação?

Desculpem-me mas precisei trazer para cá para cumprir meu papel enquanto educadora, como aluna e como cidadã. Não quero que meu trabalho seja facilitado o que desejo é que meus alunos tenham direito a uma boa educação e isso depende também e não somente de mim. 

Entre nessa luta você também. (você pai, aluno, leitor, professor). Queira um futuro melhor e não um futuro fácil!

25 de agosto de 2012

Dia do soldado


O soldado exerce atividade em tempos de guerra e na manutenção da paz.


O dia do soldado é comemorado no dia 25 de Agosto. A data, que tem por objetivo homenagear o trabalho dos membros do Exército Brasileiro, foi instituída em homenagem a Luís Alves de Lima e Silva, patrono do Exército brasileiro, nascido em 25 de agosto de 1803. Com pouco mais de 20 anos já era capitão. Luís Alves de Lima e Silva - Duque de Caxias -lutou e defendeu o Brasil em confrontos externos e internos. 


Soldado é uma graduação do fundo da hierarquia militar. O termo soldado deriva do latim solidarius – alguém que é pago para servir. 

No Brasil, o serviço militar é obrigatório por lei desde 1908. Ao completar 18 anos, todo rapaz deve se cadastrar em alguma das forças armadas (Marinha, Exército ou Aeronáutica). Na estrutura do governo brasileiro, estas estão integradas ao Ministério da Defesa e tem por objetivo a defesa dos direitos constitucionais. 

A carreira de soldado proporciona ao jovem o aprendizado de valores como disciplina, organização, amor à pátria, solidariedade e perseverança, entre vários outros que orientam suas atividades dentro e fora do quartel. 

O soldado exerce atividade em tempos de guerra e na manutenção da paz, dentro e fora do país. Presta auxílio à população em situações de calamidade. 

Ao longo do século XX, o Dia do Soldado foi perdendo a sua popularidade e não mais é um dia público de festividade, nem mesmo são mais organizadas paradas militares em sua honra. Hoje as forças armadas brasileiras são homenageadas no dia 7 de Setembro, quando é comemorada a independência do Brasil de Portugal, ou no dia 15 de novembro, data em que se comemora a Proclamação da República.


Por Patrícia Lopes

Equipe Brasil Escola

24 de agosto de 2012

Dia da Infância


Hoje, dia 24 de Agosto, é o dia da infância. A data foi instituída pela UNICEF e é bem diferente do tradicional e popular Dia das Crianças, pois o objetivo não é presentear, mas sim promover uma reflexão sobre as condições de vida de nossas crianças em todo mundo.  Todas as crianças têm direitos básicos, tais como: alimentação, educação, saúde, lazer, liberdade, ambiente familiar e vida social. Devem também ser protegidas da discriminação, exploração, violência e negligência, segundo consta na Declaração Universal dos Direitos da Criança. 

Que bom seria se todas as crianças tivessem esses direitos preservados, não é mesmo? A realidade é bem diferente da prática e o que vemos por aí são tantos problemas... crianças sendo exploradas e violentadas, fisicamente e sexualmente, muitas vezes dentro do próprio lar; sem acesso aos direitos básicos e sem poder exercer seu papel de criança, sendo privadas do direito de brincar, criar e fantasiar.

Sempre me pego pensando nas crianças que tem esses direitos básicos cessados. É uma época que não volta mais, período precioso e determinante para formar o cidadão do futuro. Tem um documentário muito interessante sobre a invenção da infância, fiz um post sobre o assunto, incluindo o documentário, vale a pena ver e refletir: A INVENÇÃO DA INFÂNCIA.

Além das crianças que não tem o direito à infância, o documentário aborda também outro ponto: o de crianças que têm tudo, mas possuem tantas atividades, que também não tem tempo para ter infância.

Fico por aqui agradecendo por ter tido uma infância maravilhosa e por poder proporcionar ao meu filho uma infância colorida e feliz. Mas, fico aqui também sonhando com um futuro melhor para todas as crianças e pedindo a Deus que me dê as condições de contribuir de alguma forma para isso.



23 de agosto de 2012

Por que devo ir a reunião do meu filho?

Reunião de Pais! 
Puxa para que ir a reunião do meu filho eu já sei que ele não vai repetir de ano!
Essa tal de "Progressão Continuada" não é para isso?
Se ele não vai bem, tem reforço na escola. Se ele não conseguir aprender, vai passar assim mesmo.
Então para que acompanha-lo? 

Essa não é a opinião da maioria dos pais, mas muitos deles pensam assim e por isso nunca aparecem na escola, mesmo que sejam chamados pela direção ou coordenação.


Sim, a reunião de pais e mestres não é um mero evento protocolar, que a escola organiza com o objetivo de dar algumas satisfações aos pais. "O objetivo das reuniões é compartilhar interesses e missões tendo em vista os benefícios para o aluno", define a pedagoga Isa Spanghero Stoeber, uma das autoras do livro Reunião de Pais - Sofrimento ou Prazer?, da editora Casa do Psicólogo. 

Para ela, as reuniões têm um grande poder de aproximar famílias e escolas. "Os pais recebem orientações, esclarecem dúvidas e, assim, estabelecem uma relação de confiança e cooperação com os professores." 



Como você deve ter percebido, participar das reuniões de pais e mestres é muito importante para aproximar família e escola. E estas têm de se respeitar mutuamente. Se os pais criam uma relação de competitividade com a escola, alimentando o costume de falar mal dos professores, da organização do local e das mensalidades, por exemplo, é possível que a criança também passe a desrespeitar a instituição, o que pode prejudicar seu desenvolvimento escolar. A proximidade e a confiança entre escola e família, quando transmitidas aos alunos, fazem com que eles se sintam mais seguros, aprendam mais e se relacionem melhor. 

Falar de aprendizagem, dificuldades e as situações que envolvem o crescimento da criança, também é uma condição das reuniões de pais e mestres.

Abraços
Cris chabes

21 de agosto de 2012

10 bibliotecas virtuais onde você pode baixar gratuitamente diversos clássicos da literatura


1. Brasiliana USP 


A biblioteca digital da Universidade de São Paulo possui uma pequena porcentagem do seu acervo
 focado em autores brasileiros ou obras ligadas à cultura nacional, como por exemplo Debret, Machado de Assis, José de Alencar e Olavo Bilac.


2. Domínio Público 


Desenvolvida pelo Ministério da Educação, nesta biblioteca são disponibilizados gratuitamente cerca de 180 mil textos, além de imagens, arquivos de som e vídeo. O site conta com rico acervo de publicações na área de educação.



3. Biblioteca Nacional 



Um dos maiores acervos do país já tem boa parte da sua versão virtual catalogada. O foco da biblioteca são os mapas, fotografias e periódicos. 



4. Arquivo Público do Estado de São Paulo 



Procura arquivos históricos relacionados ao Estado de São Paulo Jornais? Aqui você encontra! O Arquivo Público do Estado traz uma série de revistas, Fotografias, vídeos e anuários estatísticos. A seção Memória da Educação é um prato cheio para professores.



5. Acervo Digitais de Cordeis da Biblioteca de Obras Raras de Átila de Almeida - UFPB 



Com foco na cultura nordestina, a biblioteca traz cerca de 9 mil títulos e 15 mil exemplares. Esta biblioteca é mantida pela Universidade Estadual da Paraíba (UEPB). A biblioteca apresenta-se como a maior guardiã no Brasil desse tipo de acervo.



6. Biblioteca Digital Paulo Freire 



Também pertencente à Universidade Federal da Paraíba, a biblioteca traz um rico acervo sobre o educador que inclui seus textos, livros, textos didáticos, correspondências e, inclusive, diversas críticas e análises relacionadas a seu trabalho.



7. Biblioteca Digital Mundial 



Criada pela UNESCO, a Biblioteca Digital Mundial disponibiliza na Internet, gratuitamente, e em formato multilíngue, importantes de literatura, áudio, mapas e fotografias provenientes de países e culturas de todo o mundo. As pesquisas podem ser feitas em sete línguas diferentes e as buscas, feitas por período.



8. Coleção Aplauso 



Traz biografias de artistas, cineastas e dramaturgos nacionais; além de roteiros de cinema, peças de teatro e a história de diversas emissoras de TV. Caso o leitor prefira a versão impressa, todos eles podem ser encontrados em livrarias de todo o país.



9. Wikilivros 



Projeto da Wikimedia Foudation dedicado ao desenvolvimento colaborativo de livros, apostilas, manuais e outros textos didáticos de conteúdo livre. São diversos temas em diversas línguas. Há uma versão da página em português.



10. Banco de Dados de Livros Escolares Brasileiros (1810 a 2005) - FEUSP 



Banco de dados que disponibiliza pela internet o acesso à produção das diversas disciplinas escolares brasileiras desde o século XIX até os dias atuais e fornece referenciais e fontes.

Fonte do estudo e imagem: Evento Conecta.



Professora Genis

http://mamaegenis.blogspot.com.br/

20 de agosto de 2012

O folclore na abordagem escolar


Diferentes formas de manifestações folclóricas.

O folclore é marcado por se tratar de um momento mágico com ricas lendas, histórias, “causos” entre outros. Comemorado a nível internacional em 22 de agosto, trata-se de uma importante data comemorativa trabalhada nas escolas.
Considerando a riqueza de conhecimentos existentes no folclore brasileiro, o ideal é que o professor busque as mais diversas formas de trabalhar esse tema com seus alunos.

No ambiente escolar o folclore brasileiro apresenta inúmeros elementos a serem apresentados e desenvolvidos com a criança.

Partindo desse pressuposto, ao trabalhar o folclore é necessário seguir certa hierarquia em relação às informações a serem passadas para os alunos. No intuito de contribuir com o professor podendo enriquecer sua didática, segue algumas orientações de como o professor pode estar trabalhando o folclore numa abordagem ampla, propiciando uma vivência rica e proveitosa para com seus alunos, em especial aqueles inseridos na educação infantil e início do Ensino Fundamental:

• Inicialmente o professor deve fazer com que o aluno compreenda o conceito de folclore, seguido da identificação de diferentes manifestações culturais, respeitando e considerando a faixa etária escolar, conseqüentemente ampliando o vocabulário de seus alunos;

• Considerando que as músicas, parlendas, jogos e brinquedos são elementos fundamentais do folclore infantil brasileiro e da memória cultural popular, é fundamental que sejam apresentadas até mesmo para garantir a preservação da cultura;

• Trabalhar com jogos folclóricos favorecendo a entrada da criança na sociedade de forma lúdica, podendo ensinar modelos de comportamento, regras, rituais, fatores esses indispensáveis para o amadurecimento emocional;

• Propor pesquisas sobre brincadeiras antigas, seguida da realização dessas, dispensando o uso de brinquedos de alta tecnologia e valorizando o trabalho com o corpo da criança, propiciando seu desenvolvimento;

• Trabalhar o respeito à cultura de cada aluno solicitando que a criança mencione algo que faz parte da cultura dela, entre outras;

Sugestão de atividade a ser aplicada na Educação Infantil

Tema: Folclore infantil (trabalhando com cantigas de rodas).

Material utilizado: Letras de Cantigas de roda; papel; tesoura com ponta arredondada.

Prática: Desloque a turma para um local descontraído da escola como o jardim, a quadra, o pátio ou outro de sua preferência. Peça para eles formarem uma roda e cantar as cantigas de rodas que conhecem, resgatando as músicas presentes na memória infantil.
Em seguida apresente aos alunos as cantigas de roda mais antigas (Relacionadas abaixo), dando ênfase para as que eles não conhecem.
Para finalizar, solicite a cada aluno o registro de determinada música no papel e em seguida confeccione um livreto de forma coletiva, disponibilizando o material para as demais turmas e bibliotecas da escola.

Cantigas de Roda

• Ciranda Cirandinha: Ciranda cirandinha vamos todos cirandar...

• Nesta Rua: Nesta rua, nesta rua, tem um bosque...

• Fui no Tororó: Fui no Tororó beber água não achei...

• Cai Cai Balão: Cai cai balão, cai cai balão na rua do sabão...

• Boi da Cara Preta: Boi, boi, boi, boi da cara preta...

• Terezinha de Jesus: Terezinha de Jesus deu uma queda foi ao chão...

Por Elen Campos Caiado
Graduada em Fonoaudiologia e Pedagogia
Equipe Brasil Escola

19 de agosto de 2012

Professor, o que você tem escolhido?


Olá colegas

Hoje trago mais uma discussão que penso ser de suma importância refletirmos sobre nós enquanto professores, educadores e multiplicadores de ideias. O vídeo abaixo encontrei no blog do Curso de Educação Digital onde o objetivo era justamente este de mostrar aos cursistas a importância e as consequências que cada escolha tem em nossos resultados tantos os resultados pessoais quanto os profissionais.

Vamos ao vídeo?

Aparentemente você pode imaginar e considerar que este é um vídeo de auto-ajuda que que nada auxiliará na reflexão que propus, mas pense sobre as escolhas que você tem feito. Principalmente em sua profissão, você que é professor, Você já parou para refletir sobre os reflexos de suas escolhas nas vidas de seus alunos? Já considerou que você é um multiplicador? Já pensou que sua atitude é, foi e sempre será uma atitude política? 
Por esse motivo não me importo sobre o cunho auto-ajuda do vídeo mas sim com a mensagem que ele nos traz a começar pelo seu próprio título: VOCÊ É FRUTO DE SUAS ESCOLHAS e completo, você e todos os resultados que decorrem de suas escolhas. 
E ai? Somos ou não seres políticos?  

18 de agosto de 2012

Aprender a aprender!

Desperte o conhecimento que está dentro do seu aluno. 
Dê a ele as ferramentas para começar
Inspire-o, seja para ele um exemplo
Aprender requer experimentar, errar, recomeçar e conseguir
Aprender a Aprender
Assistam esse vídeo maravilhoso, e passem para seus alunos.
Tenho certeza de que eles vão adorar
Beijocas
Cris Chabes


16 de agosto de 2012

First Conditional (Dinâmica do IF)


Para ensinar a FIRST CONDITIONAL fiz uma atividade com os alunos do 1º ano bem interessante. Criei um texto simples, recortei o texto em frases e distribuí as frases pela sala. Depois cada aluno tinha que procurar o amigo que tivesse com a frase que continuaria a sua.
Foi uma falação e uma correria...rsrsrs Parecia que era até uma competição, mas não era. 
No final, todos os alunos tinham que organizar as frases, para formarem o texto e assim aconteceu. 
Abaixo deixo registrado todo o texto trabalhado.
Teacher Genis