31 de julho de 2012

QUEBRA-CABEÇA DE PALITO DE PICOLÉ


Achei muito interessante esse quebra-cabeça, tudo feito com palitos de picolé! Uma ótima alternativa! Tem animaizinhos, paisagens, personagens de desenhos animados etc. É só colocar a criatividade pra funcionar!
A ideia original é do Blog da Julieta, mas este post é do Blog Amiga da Educação.
Abraço grande, Genis


Para o quebra-cabeça vc vai precisar de:

 
• Palitos de sorvete
• Fita crepe
• Tinta acrílica ou giz de cera
 

Como fazer:

Pra começar, coloque os palitos um ao lado do outro, na vertical.
Com os palitos arrumadinhos, e bem lado a lado, passe uma fita crepe por cima para que eles fiquem bem presos uns aos outros.
Vire e solte a imaginação para escolher um desenho que será o seu quebra-cabeça.
Desenhe com guache ou giz de cera.
Faça com que a figura ocupe todos os palitos e fique bem nítida.




Depois que secar, tire a fita crepe que está no verso e embaralhe os palitos.
Agora é só quebrar a cabeça e montar seu quebra-cabeça!
Gostaram da brincadeira de hoje?

Outras sugestões retirada da net.




Essa outra sugestão foi retirada do Blog tudo para Professores.
 
Para fazê-los é muito simples. Basta recortar figuras de revistas e colar nessas figuras palitos de picolé bem juntinhos. Quando estiver seco, passe o estilete entre os palitos separando-os. Espere secar, pois pode desmanchar na hora que passar o estilete, pois algumas crianças põem muita cola.

Com esta técnica, pode-se fazer inúmeras outras coisas, como: Letras do alfabeto para as crianças organizarem na ordem; números e sinais, onde as crianças montam as contas e seus resultados, exemplo 5+2=7. Sequência numérica. Enfim, o números de atividades que pode ser realizada com palitos de picolé é muito grande. Basta a criatividade de cada um.

DIGAM O QUE ACHARAM! Até mais...





Postagem na íntegra AQUI


30 de julho de 2012

Olimpíadas 2012

Costumo sempre trazer as notícias do dia-a-dia para explorar com meus alunos e esta semana estamos ouvindo falar bastante sobre as Olimpíadas em Londres.


No site Smart Kids encontrei várias informações importantes para compartilhar com as crianças:


A origem e a história
Os jogos olímpicos tiveram sua origem na Grécia Antiga, aproximadamente 2.500 anos a.C., e o principal motivo desse evento era homenagear Zeus, que era o deus mais importante para os gregos. Assim, era uma festividade com uma mistura de religião e esporte, mas muito importante para aquela civilização. Acontecia na cidade de Olímpia e inicialmente foi chamado de Festival Olímpico, desde o início aconteciam a cada quatro anos, com poucas modalidades de esportes para competição: boxe, corrida, salto em comprimento, remo, corrida de mensageiros e trombeteiros e luta livre.
Em 392 d.C. tem início um longo período de interrupção dos jogos olímpicos, isso porque Teodósio I, imperador romano, converteu-se ao cristianismo, proibindo a realização de qualquer festividade pagã, incluindo os Jogos Olímpicos. Passaram-se dezesseis séculos sem este evento, até que, em 1894, com o objetivo de retomar o espírito esportivo da era grega e enaltecer os esportes, cria-se o COI - Comitê Olímpico Internacional, liderado por Pierre de Fredy – o Barão de Coubertin, com o apoio de representantes de 15 países, decidem por reiniciar as Olimpíadas, agora da era Moderna. A cidade escolhida para este recomeço não podia ser outra senão Atenas que nessa primeira edição contou com a participação de 285 atletas de 13 países.
União e paz entre os povos
Desde sua origem as olimpíadas marcam a união entre os povos, pois na Grécia Antiga as guerras paravam no período de realização dos jogos e era considerado um pecado muito grave alguém penetrar armado na Elida, região onde ocorriam os jogos.
Também, desde a retomada das olimpíadas da Era Moderna, há o predomínio da união entre as nações, servindo como exemplo de cooperação e união, que começa pelos atletas, mas repercute em cada país.
Próxima parada: LONDRES
A cidade que vai sediar as olimpíadas de 2012 será Londres, na Inglaterra. Esta cidade já sediou jogos olímpicos por duas vezes, em 1908 e 1948.
Para este ano a programação já está fechada, incluindo datas, horários e instalações em que serão disputadas as mais de 600 competições esportivas. Segundo informações do comitê olímpico, os jogos vão começar com o futebol feminino em 25 de julho, dois dias antes da cerimônia de abertura. Já a abertura oficial será às 19h30 (horário de Londres), no dia 27 de julho de 2012, no Estádio Olímpico, construído na capital britânica. O dia 4 de agosto é considerado o "supersábado" dos jogos por reunir o maior número de competições.
As modalidades de esportes podem mudar em algumas situações, mas logo abaixo você confere quais são as principais:













As mascotes escolhidas para essa olimpíada são Wenlock, a mascote das Olimpíadas, tem origem na cidade de Much Wenlock, porque foi lá que o Barão de Coubertin assistiu a jogos esportivos e teve a ideia de criar as Olimpíadas da era moderna. Já Mandeville, mascote das Paraolimpíadas, é uma referência ao Stoke Mandeville Hospital, onde nasceu o movimento paraolímpico. Elas tem poucas características humanas, e a história contada por seu criador, Michael Morpurgo, é muito parecida com a história de Pinóquio, pois os dois personagens foram criados a partir de pedaços de metal que sobraram da construção do estádio olímpico e ganharam vida de forma mágica depois de serem esculpidos por um avô. 


Símbolos Olímpicos
Existem símbolos que caracterizam os jogos olímpicos. Os mais importantes são:
 
 
Aros interligados: os cinco aros interligados na bandeira das olimpíadas, que têm as cores azul, amarelo, preto, verde e vermelho, representam os cinco continentes e a união entre eles. É interessante notar que o fundo da bandeira é branco, isto porque é a única cor que está presente na bandeira de cada um dos países filiados ao COI. Este símbolo existe desde 1913 e posteriormente, também passou a ser a marca do próprio Comitê Olímpico Internacional.
Tocha: apareceu pela primeira vez em Berlim (1936), é inspirada no fogo sagrado e purificador dos gregos antigos. Percorre diversos países, sendo conduzida pelos melhores esportistas de seus respectivos países. É mesmo emocionante ver a tocha chegar à pira olímpica no dia da abertura!
Lema olímpico: é simples e inspirado também nos gregos - Citius, Altius, Fortius, ou seja, o mais rápido, o mais alto, o mais forte - reflete a ideia de superação do atleta em busca da conquista da medalha olímpica.
 
Mascote: são personagens que acabam caracterizando cada edição dos jogos olímpicos. A primeira foi criada em 1968 para os jogos da França. O objetivo das mascotes é criar um vínculo afetivo com o público e são criadas levando em consideração as características da cultura ou à fauna do local onde estão sendo realizados os Jogos.
Hino: foi composto pelo compositor grego, Spirou Samara, com letra do músico, também grego, Cositis Palamas, em 1896. O COI adotou-o como “olímpico” em 1958. Desde então, o hino é executado quando a bandeira olímpica é hasteada em todas as cerimônias de abertura.
Juramento: os atletas tem que fazer um juramento antes das competições iniciarem. A leitura do juramento cabe a um atleta do país anfitrião e tem seguinte conteúdo: "Em nome de todos os competidores, eu prometo participar nestes Jogos Olímpicos, respeitando e cumprindo com as normas que o regem, no verdadeiro espírito esportivo, pela glória do esporte e em honra às nossas equipes".
Medalha: todos correm atrás delas, mas só os melhores conseguem! As medalhas olímpicas de premiação (ouro, prata ou bronze) tem medida padronizada, deve ter, no mínimo, 60 mm de diâmetro e 3 mm de espessura. A medalha de ouro, que corresponde ao 1º lugar deve conter, obrigatoriamente, 6 g de ouro puro, no mínimo. Além disso, todos os atletas e oficiais recebem também uma medalha de participação, oferecida pelo comitê organizador local.

29 de julho de 2012

Recursos Educacionais Abertos

Olá pessoal, 


Durante os dias 23,24,25 e 26 deste mês aconteceu lá em Campinas, SP o XIV  Encontro Nacional de Práticas de Ensino - ENDIPE. E como falar de formação de professores, práticas e didáticas muito me interessam lá estava eu buscando aprender um pouco mais e saber o que e as pessoas andam pesquisando.
Mas, essa experiência deixarei para contar outro dia, mencionei aqui o ENDIPE, pois foi lá que conheci mais sobe o REA - Recursos Educacionais Abertos, assunto que creio interessa muito a nós professores que utilizamos a tecnologia veiculada pela internet para divulgar e fundamentar nossos trabalhos.
Por isso,  resolvi trazer hoje para nossa reflexão um vídeo elaborado pelo pessoal do WEB PARA EDUCADORES, onde a Carolina Rossini que é a coordenadora do REA no Brasil, nos explica o que são e como podemos utilizar esses recursos. 
Vale a pena assistir o vídeo  aprender como utilizar com mais segurança e respeito os recursos que temos à nossa disposição e, principalmente, como Respeitar o trabalho das pessoas que os disponibilizam.


Conheça o Site do REA - clique aqui
visite também o  Creative commons - clique aqui

uma ótima semana a todos 
e bom retorno aos trabalhos escolares

26 de julho de 2012

Projeto: Recycling


Muitas vezes a disciplina de língua inglesa fica de fora dos projetos interdisciplinares. Eu mesma já tentei participar de alguns e ser "retirada" por alguns professores de outras disciplinas, acreditam nisso? Agir dessa forma é desvalorizar o trabalho do outro, trabalhando de forma isolada, fragmentada, algo que está ultrapassado faz tempo, mas que ainda é comum em muitas escolas. Quem mais sofre são os alunos por  participarem de aulas monótonas e repetitivas.
Aproveitando um grande projeto da escola em que aborda tema sobre reciclagem não fiquei de fora! Montei meu projeto com as turmas dos 6º e 7º anos e os alunos participaram de forma efetiva! Eles construíram objetos reciclados, cartazes e trabalhamos um vocabulário cheio de palavras novas.
Confira algumas fotos!
Hugs, Teacher Genis






24 de julho de 2012

A história criando vida na sala de aula



O ROUXINOL DO IMPERADOR.

Uma história pode sair do papel e criar vida dentro da sala de aula.
  • Depois de ouvir a história conversar sobre versões, então  criar uma nova versão da história.
  • Esta versão deve ser criada  em forma de texto coletivo.
  • Decidir como será a ilustração (aqui será uma ilustração feita em origami. Presas em 1/4 de folha de cartolina)
  • Com a turma, dividir o texto em cenas(aqui 12 cenas), todos podem participar dando sugestões.


Esta história aconteceu na China há muitos anos atrás. O Imperador tinha um palácio magnífico, caro todo feito de porcelana. No jardim havia flores maravilhosas e as mais lindas tinham presas nelas pequenos sinos de prata que tocavam quando as pessoas passavam.


O jardim era muito grande que nem o jardineiro sabia onde ele acabava, no fim havia um lindo bosque com lindas árvores. Lá havia um lindo Rouxinol que cantava docemente, até as pessoas mais ocupadas paravam para ouvir seu canto. Os viajantes maravilhavam-se com tudo, mas diziam: "O Rouxinol é o melhor de tudo!"


Isto chegou aos ouvidos do Imperador:
- O que é isso? Rouxinol? Nunca ouvi falar nele e está no meu jardim?
O Imperador chamou o seu cavaleiro e lhe ordenou que trouxesse o Rouxinol para cantar para ele. Então o cavaleiro encontrou uma menina que trabalhava na cozinha do palácio e ela disse que conhecia o Rouxinol.


Então, o cavaleiro, a menina e algumas pessoas da corte foram até o bosque procurar o Rouxinol. No caminho uma vaca mugiu e eles disseram:
- Encontramos o Rouxinol!
E a menina disse:
- Não, isto é uma vaca!


E então eles ouviram sapos coaxando:
-Esplêndido!- disse o capelão, pensando ser o Rouxinol.
- Não, isso são sapos!- disse a menina.


E então o Rouxinol começou a cantar.
-Aí está!Ouçam! Ele está ali- disse a menina.
Era um pássaro pequeno e cinza. "Como poderia cantar tão bem". Pensaram todos.
- Rouxinolzinho!- disse a menina- Você cantaria para o Imperador?
-Claro!- respondeu o pássaro. E começou a cantar, e todos se maravilharam com o canto do pequeno pássaro.
Rouxinolzinho. O Imperador não está aqui, ele está no palácio, você vem conosco?
- O meu canto é melhor no bosque, mas eu vou com vocês!


E o Rouxinol foi, e ao chegar no palácio o colocaram num poleiro de ouro e ele cantou para o Imperador. O canto encheu todo o palácio. O Imperador mandou fazer uma gaiola de ouro para o Rouxinol e permitia que ele saísse duas vezes ao dia, preso por uma fita de seda para que ele não fosse embora. Mas o Rouxinol não cantava como antes, pois estava triste.


Um dia o Imperador ganhou um pássaro de corda, todo de ouro cravejado de brilhantes que cantava uma das músicas do Rouxinol. O Imperador, então, mandou soltar o Rouxinol, porque agora ele tinha um pássaro mais bonito e que cantava para ele.


Um dia o Imperador ficou doente e mandou que pegassem o pássaro de brinquedo para que cantasse para ele, mas o pássaro quebrou e não havia como consertá-lo. Então, o Imperador lembrou do Rouxinol e se arrependeu de ter sido tão ingrato com ele.


De repente o Imperador ouve um canto e o Rouxinol pousa na janela do palácio e enche o quarto com seu canto, o Imperador se sente melhor. E pede ao Rouxinol que volte para o palácio e o Rouxinol diz:
- Meu querido Imperador, eu venho todas as manhãs cantar para o senhor, mas um pássaro não foi feito para ficar preso, meu canto é mais bonito livre no bosque.


O Imperador concordou e a partir daquele dia todas as manhãs o Rouxinol passou a cantar para o Imperador em sua janela. E sua fama se espalhou por toda parte, todos queriam ouvir o canto do pequeno pássaro cinza que cantava nos jardins do Imperador.


Depois de prontas as cenas chegou a hora de lermos a história uns para os outros.


Convidar os colegas de outras turmas para ouvirem a história.

A turma poderá fazer algum brinde para distribuir aos colegas que ouvirem a história, como uma forma de valorizar este momento, (aqui foram feitos vários pássaros).

Como o Rouxinol é um pássaro cantor, a turma pode ensaiar uma música para cantar ao final da história, assim todos participam da apresentação.


Avaliação: Ao final desta sequência didática, os alunos terão aprendido vários conteúdos sem se darem conta disso, texto narrativo, diálogo, versão, texto teatral, oralidade, arte, sequência lógica, trabalho em equipe... 



.............................................................................................................

Quer participar do  blog Educação em Foco?
Nos envie uma postagem!
Coloque seu conhecimento na Rede!
Divulgue seu trabalho!

22 de julho de 2012

Professor, cuide de sua voz!


Olá Pessoal,

Ano passado, depois do recesso de julho assumi uma turma no turno da tarde da escola onde trabalho. E logo no primeiro dia senti um cansaço sem medida na voz. Foram dois meses, salas amplas, as crianças bem animadas, falavam muito, e minha voz sumindo. 
No finalzinho do ano, fui procurar um otorrino e... Exatamente! nódulo nas pregas vocais. Por  sorte  busquei ajuda com antecedência. 
Cheguei à conclusão de que é essencial a todos os profissionais da educação um acompanhamento com fono, pois a voz é coisa séria e alguns só percebem isso quando já está tarde demais. Vejam meu caso. Acabei de passar em um concurso imaginem se não estivesse tratando...

Por esse motivo, colo aqui um artigo que li na Revista Nova Escola. Atentemos!! Pois a voz é nosso instrumento de trabalho.

Google imagens

O professor faz parte de uma das categorias profissionais que mais se comunicam oralmente durante o trabalho. Todos os dias, fala por várias horas para cerca de 30 pessoas, frequentemente em um ambiente com interferências externas, o que o leva a forçar cada vez mais a voz. Sem entender os sintomas, muitos levam essas situações até o limite, quando as cordas vocais estão feridas, o que interfere na rotina de trabalho.

Segundo Leslie Ferreira, coordenadora do Laboratório de Voz (Laborvox), da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), cerca de 60% dos docentes apresentam sintomas como rouquidão, cansaço ao falar, disfonia e pigarro. Fabiana Zanbom, fonoaudióloga do Sindicato dos Professores de São Paulo (Sinpro), acrescenta: "Como há pouca informação sobre o tema, muitos professores não procuram ajuda e a maioria chega ao consultório médico já com alterações de voz". Para ela, a orientação durante a faculdade de Pedagogia e os cursos de licenciatura poderia colaborar para que esse tipo de problema se tornasse menos comum.

Quem já chegou ao limite precisa buscar atendimento médico, mas o melhor caminho é a prevenção. O Ministério da Educação (MEC), no entanto, não tem um programa voltado a evitar os distúrbios vocálicos. E, embora muitas redes de ensino promovam ações nesse sentido, a maior parte delas é pontual e não existe mais. Faltam, portanto, programas permanentes que orientem os educadores.

Para tentar preencher essa lacuna, foi criado em 2011 um grupo de discussão no Ministério da Saúde. A iniciativa não é exclusivamente para escolas e nos próximos meses deve ser lançado um documento com indicações para garantir ambientes de trabalho mais saudáveis e organizados. As orientações incluem, por exemplo, controle de ruído, ventilação correta e espaços para descanso.

20 de julho de 2012

Saúde Bucal na escola!

Quando pensamos em trabalhar com os temas ligados a saúde bucal na escola, nos esquecemos do quando o lado psicológico da criança também precisa ser observado e bem preparado. Levá-lo ao dentista é muito importante, mas uma conversa anterior permite que determinados aspectos não ocasionem traumas.
É importante também para a escola observar esses aspectos.

A primeira visita ao dentista? E agora! Será que meu filho vai ficar nervoso? 
Na verdade, eu estou nervosa, tinha tanto medo de dentista na minha infância e não quero passar isso para meu filho. 
Mas quando ir ao dentista?
Logo que o bebê nasce, o pediatra é procurado para dar as primeiras orientações de cuidados gerais, carteira de vacinações e procura elucidar aquelas milhões de dúvidas sobre o recém-chegado. Mas com o dentista é um pouco diferente, a decisão fica para um futuro próximo (que pode ser distante), até haver uma necessidade ou recomendação.
Um dos primeiros momentos há ser observado é o que chamamos de  “cárie de mamadeira”, esse flagelo na saúde bucal pode trazer transtornos para toda a dentição e muito provavelmente trará sentimentos tristes e perenes nas lembranças da família.
Normalmente nas primeiras visitas o dentista realiza apenas uma limpeza e uma conversa para ambientar a crianças ao consultório. Se houver cáries é preciso que ela seja tratada o quanto antes.
Então converse com seu dentista e leve seu filho. Lembre-se a saúde bucal é fundamental na saúde geral da criança.

Abraços 
Cris Chabes

15 de julho de 2012

Lendo imagens


Continuando nosso assunto sobre leitura de imagens. 


E hoje trago outra dica interessante para estimular a leitura de imagens. 
Os livros ilustrativos, muitas vezes chamados de histórias mudas, mas que de mudas nada tem. As histórias ilustrativas são feitas através de imagens e levam as crianças a várias interpretações. São ótimas para desenvolver a linguagem e a oralidade.
Vejam esta tirinha de Eva Furnary:

                    Do Livro Cabra Cega
Outra história que também tem dado o que falar é IDA e VOLTA de Juarez Machado. 


Ida e volta. Juarez Machado. Il. Juarez Machado. 10ª ed. Rio de Janeiro:Agir,1998. 32p.
(23 x 23 x 0,3cm - 100gr.)

De acordo com a Fundação Nacional do Livro Infanto-Juvenil (FNIJ) o livro é altamente recomendável. Dois pareceres publicados no site da FNIJ mencionam a boa qualidade do projeto gráfico, a boa linguagem visual produzida pelas imagens e além da bela história que traz através das pegadas que já se iniciam na capa do livro. 

É ou não é uma boa oportunidade de ler imagens?

O livro pode ser encontrado nas livrarias virtuais (culturaSkoob), e também foi disponibilizado no 4Shared

Vamos espalhar a leitura! 

13 de julho de 2012

Criança e Diabetes

Aqui em casa meu marido tem diabetes. Descobrimos isso há 15 anos. É diabetes tipo 2, a mais comum. Não é hereditária, mas iniciou-se após um quadro de stress. Nossa alimentação é equilibrada sem o uso de açúcar (pães integrais sem açúcar, bolo diet, frutas, queijo, barrinhas de cereais, muitas fibras, proteínas e pouco carboidratos durante as refeições. 
Na fase adulta é muito mais fácil se controlar, mas e quando isso acontece com durante a infância?


É cada vez mais comum o diagnóstico de diabete no Hospital Sabará, pois ela é uma doença que tem afetado a saúde da criança. Antigamente, a Diabete Mellitus tipo 1 (DM1), era também chamada de Diabete Juvenil, porque tinha seu quadro inicial na infância, hoje, com o aumento da prevalência de obesidade no mundo todo e também no Brasil, está ocorrendo um aumento da resistência à insulina. Este é o mecanismo que leva ao diabetes tipo 2 (DM2). Dessa forma, estamos vendo crescer o número de crianças e, especialmente, de adolescentes com diabete tipo 2. Estatísticas americanas, japonesas e canadenses revelam aumento de 200 vezes da prevalência de diabete tipo 2.

Sintomas diabete infantil
imagens do google

A doença, surge abruptamente e pode tanto afetar crianças e adolescentes em qualquer idade, é um dos problemas crônicos mais comuns da infância e faz 200 novas vítimas por dia ao redor do mundo. E o pior: sem tratamento adequado, pode provocar complicações graves, como perda da visão e amputação de membros.
A dieta da criança diabética, deve seguir os moldes da alimentação saudável em todas as idades.Deve-se fracionar a dieta em 6 refeições, equilibrar as calorias, sem exagero, em proteínas, carboidratos e gorduras, e evitar comer açúcares.

Veja algumas orientações para amenizar as restrições do cardápio de seu filho:

  •  Nas festinhas de aniversário: procure levar doces diet que a criança possa comer, para que ela não fique com vontade vendo os amiguinhos se deliciando com guloseimas. 
  • Muitas vezes a tentação de doce pode estar na própria dispensa da casa e para a criança, fica muito difícil resistir, especialmente se os irmãos, por exemplo, estiverem liberados para o açúcar. A dieta deve ser de toda a família .Mas se outras crianças vão comer guloseimas, utilize as diet ou negocie a aplicação de dose extra de insulina, pondera.
  • Na escola é preciso um cuidado todo especial com a lancheira, que deve ter sanduíche natural, frutas, barra de cereal diet e suco diet. A criança precisa resistir à oferta de doces e refrigerantes das cantinas, e a escola precisa dar apoio aos alunos diabéticos.
  • O portador de diabetes tipo 1 precisa fazer atividades físicas regularmente e em horários programados, natação, futebol, dança etc. 
Um grande abraço
Cris Chabes



12 de julho de 2012

Boliches com vidros de shampoo


Esta idéia é mais uma do Professor Sassá. Vejam que lindo e interessante! O jogo de boliche fica totalmente colorido e divertido!

Você também queria descobrir uma forma de reutilizar os vidros vazios de shampoo? Pois encontrou! Os pequenos irão amar! E serve como brinquedo na escola, nas salas de Ed. Infantil, lembrança de Dia das crianças e muito mais!

Veja que fofo!



Você vai precisar de:
- Fita adesiva
- Retalhos de fita adesiva
- Frascos de xampu
- Folhas de jornal
Antes de começar, clique aqui para ver os moldes. ou pegue o molde ao final desta postagem.  Depois, risque e recorte cada parte no verso do vinil adesivo.




Pegue uma embalagem vazia de xampu e lave bem. Quando ela secar, comece a colar os elementos para formar seu monstro-boliche.


Cole os olhos e o nariz. Deixe a boca por último, para acertar a altura na embalagem. Ah, não se esqueça de colar os dentinhos dentro.

Em seguida, faça as bolas. Amasse bem o jornal até formar uma bolinha. Depois, encape-a toda com a fita adesiva colorida. Faça várias: se perder uma, tem mais. E pronto! Agora, é só posicionar os pinos a certa distância e jogar as bolinhas. Ganha quem conseguir derrubar mais peças. Viu como é fácil criar um brinquedo com o que você tem em casa?


Não é lindo demais?


Molde:


Fonte: Estadinho


Por Espaço Educar
.............................................................................................................
Quer participar do  blog Educação em Foco?
Nos envie uma postagem!
Coloque seu conhecimento na Rede!
Divulgue seu trabalho!