28 de outubro de 2012

(Re)pensar: escola e família.


Olá pessoal,

Hoje chego aqui para contar uma experiência que gostei muito de vivenciar. Como vocês sabem, e aqueles que ainda não sabiam vão saber agora, tenho quarto anos de formada. Este ano completo quatro anos em sala de aula. 

Gosto muito do que faço e já passei por um monte de coisas, mas a experiência de hoje foi única!
 


Lá na escola a reunião de pais é trimestral, e hoje foi a reunião dos pais dos alunos do segundo ano. Infelizmente todos os pais não puderam estar presentes, mas a reunião foi a melhor que já tive nestes quatro anos de trabalho. 

Geralmente nestas reuniões os pais nos olham com olhar investigador, mas hoje foi diferente os olhares eram de pais preocupados com o bem estar de seus filhos e também de compreensão com a posição dos professores. Olhares entendimento, de acolhimento.

Sorrimos, das travessuras dos pequenos, falamos sobre a importância de olhá-los com carinho, mas também da constante necessidade desafiadora de ensinar-lhes a ter limites. E fomos falando sobre um monte de coisas.



Em um momento, quando falávamos sobre comportamento, e sobre a forma muitas vezes audaciosa que os alunos nos respondem, uma mãe pedindo licença fez a seguinte pergunta.

- Como esses alunos seriam tratados  dentro das escolas particulares? 

Várias discussões seguiram, alguns defenderam que a cobrança é diferente porque os pais cobram dos filhos porque pagam, outros disseram que na escola pública os professores ficam a mercê de julgamentos, então muitas vezes ficam de pés e mãos atados... 



Mas o que mais me chamou a atenção foi a fala final desta mesma mãe. Vejam:

Eu falei sobre isso com o meu patrão, e ele empolgado com a minha pergunta disse que nossa sociedade "depende" dessas diferenças para sobreviver, o que seria dos ricos se não fossem os pobres...

E ainda acrescentou:


"Agora eles estão criando uma nova classe, essa que está sendo permitida entrar nas faculdades, comprar com menos dificuldades seus carros etc... E então eu disse a ele, e vou pedir a vocês professores que me orientem a pelo menos encaminhar a minha filha para essa classe posição. Que ela possa ser alguém, que possa conseguir um bom posicionamento de vida. Eu tenho orgulho de ser empregada doméstica, mas desejo algo melhor para minha filha..."

Gente, ouvir isso daquela mãe com os olhos cheios de lágrimas deu um novo rumo em meu dia. num só impulso resolvi respondê-la e disse que a só pelo fato de sua filha estar matriculada em uma escola e ter o apoio de perto que ela, a mãe lhe oferecia, já estava em um bom caminho! Porque muitas, muitas mesmo, são as crianças que queriam estar em uma escola por diversos motivos, não conseguem.




Depois desta reunião fiquei imaginando, e reafirmando o que por teoria eu já sabia um pouco.  Os pais e os professores podem muito juntos. Pensar sobre o futuro de uma criança, não é algo simples e não pode ser feito sozinho. 

Compartilho aqui a situação de hoje, pois sei que as diferentes situações que vivenciamos diariamente em nossas escolas algumas vezes nos desanimam. Mas quando vemos algo assim, mesmo que seja de um pequeno grupo, já vale o esforço de voltar para a sala com um novo gás, um novo olhar. 

Vamos pensar sobre isso!
Vamos abrir mais espaços para discussões como estas em nossas escolas! 
Vamos fazer a educação acontecer em nossa volta!


Um abraço!


7 comentários:

Profª Lourdes disse...


Como é bom ter amigos (as) mesmo que do outro lado da telinha! É assim que te sinto amiga virtual é real. È com carinho que passo mais uma vez no teu cantinho para desejar uma linda tarde de Domingo e que amanhã inicie uma semana abençoada com muita paz, saúde e com muita firmeza para vencer os obstáculos que surgirem na tua vida.
Gosto muito de um pensamento do livro MINUTOS DE SABEDORIA, de C. Torres Pastorino, que diz: TENHA firmeza em suas atitudes e persistência em seu ideal. Mas seja paciente, não pretendendo que tudo lhe chegue de imediato. Há tempo para tudo. E tudo o que é seu virá às suas mãos, no momento oportuno. Saiba esperar o momento exato em que receberá os benefícios que pleiteia. Aguarde com paciência que os frutos amadureçam para que possa apreciar devidamente sua doçura.
Que saibamos ter esta paciência e a coragem de lutar por nossos sonhos. “Os verdadeiros vencedores na vida são pessoas que olham para cada situação com a esperança de poder resolvê-la ou melhorá-la” Barbara Pletcher
Bjuss Fica na paz de Deus. Lourdes Duarte http://professoralourdesduarte.blogspot.com.br/

Lembrando o sorteio, continua, veja link na lateral do blog, faltam menos de 100 seguidores para atingir a meta!! Participem!!


Professor Gilberto Cantu disse...

OI QUERIDAS AMIGAS EDUCADORES, APAIXONADAS PELO QUE FAZEM.
FAZENDO-LHES UMA VISITINHA.
ESCOLA E FAMÍLIA: FUNDAMENTAL NA FORMAÇÃO DE NOSSAS CRIANÇAS.
PARA VOCÊS COM CARINHO:
RECEBI UM CARINHOSO PRÊMIO DO MEU AMIGO IRIVAN (MARQUECOMX): O PRÊMIO DARDOS.
QUERO COMPARTILHAR MINHA SATISFAÇÃO LHE OFERECENDO TAMBÉM ESSE MESMO PRÊMIO, POIS CONSIDERO O SEU BLOG MERECEDOR PELA RELEVANTE QUALIDADE DE SUAS POSTAGENS VALORIZANDO AINDA MAIS O SEU TRABALHO.
LEIA A ORIGEM DESSE PRÊMIO (O LINK ESTÁ EM BLOG).
UM GRANDE ABRAÇO.

Escola Promorar disse...

Ola amigas educadoras.
Escola e família têm de caminhar de mãos dadas para que a verdadeira formação do discente aconteça. Tem um selinho literário para você lá no nosso bloguinho. Venha buscá-lo. Estamos te esperando. Um carinhoso abraço.

Prô Cris Chabes disse...

Olá Vanessa
Sempre acreditei que família e escola deveriam formar uma parceria. Mas percebo que pela falta de tempo das famílias e o pouco espaço de abertura das escolas essa parceria acaba por restringir-se a reuniões e festas.
O correto é haver espaços para reuniões que não sejam de origem pedagógica ou até mesmo projetos de finais de semana, com a escola aberta para uso do espaço.
Belo tema para um post
Beijocas
Cris Chabes

Vanessa Gonçalves Vieira disse...

Olá pessoal, muito obrigada pela leitura!
Cris, concordo com você escola e família unidas podem sim fazer a diferença.

Genis Borges disse...

Oi Vanessa, reuniões assim realmente valem a pena. Ouvir o que os pais tem a dizer, seus desejos, anseios, dúvidas...
Tenho certeza de que essa mãe conseguirá um futuro melhor pra sua filha.
Bjus amiga!

Educando e Encantando!!! disse...

Olá Vanessa adorei seu depoimento, são esses pequenos acontecimentos do nosso dia a dia que fazem o nosso trabalho valer muito. Eu acho o encontro de pais super importante, e nele que podemos saber do nosso retorno se vale seguir ou mudar as táticas. Parabéns!!!