29 de novembro de 2011

Como ajudei na alfabetização das minhas filhas - Por Chris Ferreira


É gratificante demais ver as minhas filhas crescendo, acompanhar o desenvolvimento delas e contribuir o máximo que posso. A fase da alfabetização é uma emoção a parte. Presenciar a conquista da leitura foi ver as minhas filhas abrindo as portas para o mundo. Foi vivenciar um grande passo rumo a independência.

Posso dizer que a passagem pela alfabetização foi tranquila aqui em casa. A Ana Luiza e a Sofia tiveram os seus momentos de dificuldades sim, mas com respeito ao ritmo de cada uma, alinhamento com a escola e apoio em casa aproveitamos bastante essa etapa.

Algumas ações que fizemos para facilitar e ajudar no processo de alfabetização:

1 - Alinhamento com o método utilizado pela escola.
     Procurei estar próxima a escola e sempre me informando sobre o método e o conteúdo que estava sendo apresentado. O objetivo era acompanhar em casa, sem acelerar nenhum conteúdo e muito mesmos apresentá-lo de forma diferente. Quis saber qual o tipo de letra seria utilizado no processo de alfabetização. Fiz um quadro em casa e assim todos que fossem escrever alguma coisa para as meninas, nessa época, deveriam utilizar as letras específicas.


Letras utilizadas no primeiro semestre



Letras utilizadas no segundo semestre (para escrever de mãozinha dada


Letras da Sofia (para escrever de mãozinha dada)

2 - Com essas letras começamos a deixar muitos bilhetes, cartinhas para o coelho, para o dia das crianças, convites de aniversário, convites para lanches em casa, receitas, etc... Deixamos bilhetes no espelho, na geladeira, em cima da mesa, por todo lugar. Aliás, a primeira frase que as duas aprenderam a escrever foi: Te Amo.


3 - Disponibilizei um caderninho/agenda para elas anotarem os nomes das amigas e telefones. Isso faz um sucesso enorme entre as meninas. Elas adoram fazer desenhos e recadinhos uma para as outras. No final do ano o caderninho está com todas as folhas preenchidas e podemos perceber a evolução.  Pena que não guardei o caderninho da Ana Luiza


3 - Pedi para a professora informar periodicamente (uma vez por mês) as sílabas que já tinham sido trabalhadas em sala de aula. Eu fazia o acompanhamento pelos deveres de casa mas, de qualquer forma, me certificava com a lista da professora. Assim eu oferecia para as meninas lerem os livros com as sílabas que elas já conheciam. Isso facilitava a leitura e elas ficavam empolgadas por estarem lendo bem. Os livros infantis que se encaixam bem para a alfabetização e que eu usei aqui foram:


Coleção Mico Maneco da Ana Maria Machado e Claudius
Coleção Estrelinha da Sonia Junqueira
Coleção Gato e Rato da Mary França e Eliardo França
Coleção Pingos da Mary França e Eliardo França

Falei deles nesse post AQUI 

4 - Usei muitos jogos como apoio. Tantos os jogos feitos em casa quanto os jogos educativos que existem no mercado e que são próprios para o processo de alfabetização. Falei deles no post Jogo dos Pedacinhos

5 - Lemos muito e lemos tudo. Contei muita historinha, lemos os rótulos das embalagens, o que víamos pela rua, na TV, etc...

6 - Com a Ana Luiza nós fizemos os nossos próprios livros. Já a Sofia não teve esse interesse, ela preferiu ler os livros feitos pela irmã. E claro que o tempo e o ritmo dela foi respeitado.

7 - Acompanhei os deveres de casa, vibrei com cada conquista e incentivei em cada dificuldade.

Hoje fico toda orgulhosa de ver que passamos bem por essa etapa e espero que isso seja um diferencial para as próximas fases.



Por Chris Ferreira do blog Inventando com a mamãe.




..............................................................................................................

Quer participar do  blog Educação em Foco?
Nos envie uma postagem!
Todas as terças feiras é dia do colaborador.
Coloque seu conhecimento na Rede!
Divulgue seu trabalho!

5 comentários:

Chris Ferreira disse...

Oi Genis,
fiquei muito feliz em ter um texto publicado aqui no Educação em Foco.
Muito obrigada pela oportunidade de ser uma colaboradora de um blog tão especial.

beijos
Chris
http://inventandocomamamae.blogspot.com/

aprendendo com o Theo disse...

nossa Genis.....descobrindo os seus blogs.....amei....
sou professora de Arte.....vou seguir vc aqui tambem....bjus

Imprensa na rede disse...

Ola. Me chamo Tatiana e trabalho em uma assessoria de imprensa na Espanha. Gostaria de saber se você aceita escrever um post para um dos nossos clientes, seria uma publireportagem sobre educação. Pago em euro. Se tiver interesse por favor, não deixe de me responder.
Atenciosamente,
Tatiana A Dias

Prô Cris Chabes disse...

Olá Chris Ferreira, amei esse post
Acredito que se todos os pais participassem ativamente da alfabetização e educação escolar de seus filhos, não haveria tantos problemas emocionais, sociais e comportamentais dentro das escolas, pois as crianças aprenderiam desde casa o valor do ensino e sua importância para a vida.
Espero encontra-la mais vezes no educação em foco
Beijocas
Cris Chabes

Renata Marques disse...

Aqui em casa tenho uma filha no 1º ano, sendo alfabetizada com as letras "de mãos dadas". Por conta disso tenho que me policiar porque nem sempre escrevo com todas as letras da forma que ela conhece. Com isso o meu filho de 4 anos que está no jardim de infância está nos acompanhando e descobrindo por si, só de observar, o gosto pelas letras. É uma fase muito divertida mesmo. Gostei da ideia da agenda de recadinhos para as meninas.