18 de setembro de 2011

Sim, o computador substituirá o professor


Na cibercultura, o computador vai substituir o professor. Estou falando, é claro, do professor-transmissor de conteúdos, aquele das conhecidas fichas amareladas que serviam para todas as turmas e dos textos que deviam ser lidos sempre do mesmo modo, à prova de qualquer contexto. Aquele a quem cabia apresentar repetidamente conteúdos prontos a pessoas que não sabem quase nada. Aquele que não permitia as vozes divergentes, a multiplicidade de olhares, as subjetividades criadoras.
A transmissão de dados poderá passar a ser feita pelo computador de um modo muito mais interessante: com recursos de animação, cores e sons, talvez assim o aluno assuma um papel até mais ativo, buscando por sua conta os temas que deseja aprofundar. Algo excluído há muito tempo do currículo entrará na escola: a própria vida  do estudante.
Então caberá ao professor reinventar sua profissão.
RAMAL, Andrea Cecília. Educação na Cibercultura.
Porto Alegre, Artmed, 2002. p188
Pois é queridos, o texto acima nos leva a inúmeras discussões e os faz pensar sobre o papel que nós professores devemos ou deveríamos desempenhar diante de todas as mudanças sociais que diretamente afetam nossa escola.
E você concorda com autora do texto?  Aguardamos sua participação.

6 comentários:

Del Rodrigues disse...

Oi amiga, passei para agradecer seus recadinhos e desejar-lhe uma semana de muita Paz e Luz!Estou um pouco sumida, por motivos de saúde na família, porém não esqueço das amigas. Beijocas e até breve...

melissa disse...

O professor mero transmissor de conteúdos tem que acabar...é melhor uma máquina mesmo...
Mas, não acredito que a máquina consiga substituir um Professor que compartilha,que aprende e troca com seu aluno.Um Professor que leva a pensar,refletir sobre o que está aprendendo!!
Dar tudo pronto ao aluno não tem graça, o aluno não apreende o conhecimento!

Prô Cris Chabes disse...

Olá Vanessa, tudo ok?
Saudades de ler seus post
Esse é polemico como sempre e eu adoro isso, pois me faz refletir.
Não o computador não substituirá o professora, mas é um importante aliado em seu trabalho diário, sendo usado como fonte de pesquisa, estudo, trabalho, etc.
Não há como fugir, ele está ai como recurso que deve ser usado, mas o material humano, o professore, jamais deixará de existir.
Um grande beijo
Cris Chabes

Vanessa Vieira disse...

Olá meninas... Obrigada pelos comentários... Boa semana para vocês!

Monalisa Rocha Ribeiro de Almeida disse...

Olá Vanessa, essa sua post levanta questões importantes no que se refere a conduta do professor frente as novas demandas advindas das transformações em curso na sociedade que refletem na sala de aula, exigindo do professor formas diferentes de atuação. É para mim doloroso acreditar que uma mera ferramenta como o computador, e por extensão a internet possam tomar o lugar das relações intrapessoais, principalmente a de professor-aluno. Vemos hoje a internet tomar o lugar dos pais na educação, deixando crianças e jovens a mercê das informações consumidas na internet, sem ter um discernimento sobre o uso dessa ferramenta. Contudo, concordo que tendo em vista as condutas do professores baseadas num cansativo tradicionalismo, dá espaço para a internet despertar a motivação dos alunos. Sendo assim , não podemos negar as novas tecnologias, nem negar a sua influencia na aprendizagem dos alunos, cabe ao professor unir-se a essas novas ferramentas, de maneira a passar para os alunos a melhor forma de utiliza-lá em prol de uma aprendizagem sadia.
Monalisa Rocha

rochadiegoemonalisa@bol.com.br

Genis disse...

Me tocou muito qdo vc começou o texto dizendo que os computadores irão substituir os professores transmissores de conteúdos apenas...
Eu me policio o tempo todo, a cada planejamento, pra não ser esse professor...
Bela postagem!
Saudades,

Beijos, Genis ♥