1 de agosto de 2011

Letra cursiva: quando ensinar?


Esta semana foi publicada no G1 uma reportagem dizendo que nos EUA começaram a abolir o ensino da letra cursiva. Leia na íntegra aqui .

Alguns estados americanos avaliaram que o mais importante é se concentrar no aprendizado das letras bastão (de forma). Aqui no Brasil, dentro da proposta construtivista, utilizamos a letra bastão para alfabetizar, pois ela é de fácil visualização e não exige movimentos mais complexos na hora da escrita. Segundo ferreiro, (apud nova escola, 1996, p. 11) começar a alfabetização com letra bastão é uma tentativa de respeitar a seqüência do desenvolvimento visual e motor da criança.
"O argumento dos defensores desta lei, que provocou polêmica nos Estados Unidos nas últimas semanas, é de que hoje as crianças praticamente não necessitam mais escrever as letras com caneta ou lápis no papel. Seria mais importante elas aprenderem a digitar mais rapidamente, já que quase toda a comunicação acontece por meio de letras de forma nos celulares e computadores." A criança moderna, que tem acesso a todo tipo de mídia, que lê e escreve no computador, precisa de conteúdos mais instigantes do que simples treinos de caligrafia. A sociedade já não exige mais que a pessoa tenha uma boa letra para escrever textos, já que tudo é feito no computador!
"As escolas devem decidir se pretendem ensinar letra cursiva, mas recomendamos que deixem de ensinar e se foquem em áreas mais importantes. Também seria desnecessário encomendar apostilas que ensinem letra cursiva", diz um memorando do Departamento de Educação de Indiana. "
-Quanto tempo se perde na Educação Infantil com atividades de cobrir pontilhados, com cadernos de caligrafia que acabam estressando a criança e fazendo-a perder o estímulo de frequentar a escola!

"Esses Estados, assim como outros 40, integram o Common Core Stated Standards Initiativa (Iniciativa para um Padrão Comum de Currículo), responsável por tentar padronizar o ensino básico nos Estados Unidos. O grupo defende abertamente o fim do ensino da letra cursiva.No Brasil, principalmente na última década, há uma nova metodologia no ensino da letra cursiva, mas não seu abandono nas escolas. "Não conheço escola que não a utilize mais", afirma Fernanda Gimenes, diretoria pedagógica da área de português do colégio bilíngue Playpen. "Ela perdeu a prioridade. Antes, o aluno era alfabetizado na cursiva. Hoje, mais do que ensinar uma técnica, queremos desenvolver as habilidades de leitura e escrita."

Separar o aprendizado da cursiva como requisito para que uma criança seja considerada alfabetizada é uma conquista recente, praticamente da última década. "Vemos como uma evolução, não uma condição", diz Esther Carvalho, diretora-geral do Colégio Rio Branco. Mesmo que o aluno opte pela letra bastão no futuro, o aprendizado da cursiva, segundo Esther, é fundamental para desenvolver a coordenação motora fina. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
Não concordo que a escrita cursiva é fundamental para desenvolver a coordenação motora fina, existe uma série de atividades muito mais divertidas que estimulam a coordenação: brincar com massinha, cortar e recortar papel, desenhar e colorir. Utilizar o mouse no computador, fazer atividades utilizando o paint, tudo isso trabalha a coordenação motora fina!Segundo Saad Ellovitch, neuropediatra do Hospital Samaritano de São Paulo, o desenvolvimento da coordenação motora fina não está estritamente relacionado à escrita cursiva, mas também ao uso das mãos em movimentos sutis. “O cérebro se adapta às necessidades do corpo. Você pode desenvolver a motricidade fina, ou seja, a capacidade de execução de movimentos pequenos e delicados, com outras atividades, como por exemplo, o desenho”, afirma a especialista. O corpo é capaz de se adaptar assim às novas condições impostas pelo desenvolvimento humano.

 

Quero deixar bem claro que não sou contra o ensino da letra cursiva, só acho um absurdo escolas que fazem questão que a criança recém alfabetizada tenha uma letra perfeita e cobram o aprendizado da letra cursiva dos professores da Educação Infantil. Sempre digo que não vou perder o tempo precioso em sala de aula fazendo pontilhados para a criança cobrir. Alguns alunos fazem o próprio nome com a letra cursiva, eles tiveram interesse, começaram a tentar escrever seu nome "de mãozinha dada" (como eles chamam a letra cursiva) e eu achei melhor ensinar a forma correta, tudo naturalmente, sem cobranças e aceitando cada tentativa de aprendizagem!
A criança na Educação Infantil tem que brincar muito, desenhar, criar e recriar, precisa ter a sua curioisidade estimulada através de projetos!

Fiquem atentos às escolas que cobram letra redondinha, que mandam 3 folhas de tarefas e entopem as crianças de conteúdo na Educação Infantil! Informem-se, conheçam os Parâmetros Curriculares da Educação Infantil e veja quais são as necessidades das crianças nessa fase!

Professora Melissa

66 comentários:

Kinha disse...

Sei não. Acho que o uso da cursiva tem sua importância sim!

Professora Vanessa disse...

Olá Melissa. Acho muito importante discutirmos sobre este assunto. É claro que a decisão de priorizar ou não o trabalho com a letra cursiva vai de cada professor, mas confesso que quando falo de educação infantil, não penso ser este - prioridade à letra cursiva- o melhor caminho. Os alunos precisam desenvolver a coordenação motora sim, porém existem várias formas mais interessantes de fazermos isso. Nós ainda estamos muito ligados à ideia de que a educação infantil é uma preparação para a alfabetização, mas como já se sabe esta é uma verdade que não mais prevalece. A criança da Educação Infantil precisa se conhecer enquanto corpo, enquanto pessoa, por isso deve ser educada para a vida.
Quando falo em Alfabetização, penso que é importante sim, os alunos conhecerem a letra cursiva, mas também não acho que deva ser prioridade do trabalho. Porque igualmente como nos diz a matéria que você trouxe, a cada dia que passa utilizamos mais e mais meios onde este tipo de letra não é utilizada. E não temos porque, como disse acima pensar somente na letra cursiva como um trabalho para desenvolver a coordenação motora fina. E afinal de contas, nós queremos que nossos alunos aprendam a ler, interpretar e escrever. Esse deveria ser então o o foco de nosso trabalho. Saber ou não saber letra cursiva, para mim, se tornou uma questão cultural. Gostei muito da discussão trazida. Boa semana!

Milamerlini disse...

Olha, tb acho que a letra cursiva é muito importante, mas dai exigir isso de uma criança na educação infantil acho demais.... acredito que da pra dosar bem e como professora de educação infantil, posso dizer que meus alunos de 4 5 anos tinham pavor do caderno de caligrafia e pauta verde, e na escola onde trabalhava era obrigada a trabalhar assim...
Acredito que a criança em fase de alfabetização tem que ser instigada, ela tem que ter prazer em apreender...
Tb sou a favor do lúdico, criança é criança e não mini adulto...
Adorei o texto, e quero deixar claro que não sou contra, que sei que a letra cursiva é importante, mas não é só isso, né!!! Bjusss
Adorei esse cantinho!!!

Prô Cris Chabes disse...

Olá Vanessa, que legal esse post. Viu como gera reflexões importantes.
Eu não uso a letra cursiva. Trabalho com alfabetização (1o. ano) há 4 anos e sempre inicio o ano com a letra bastão = "ESCOLA". Ao final do ano (último bimestre) se a maioria da turma já está com bom desenvolvimento motor e alfabetizada começamos a dar os primeiros passos nesta direção.
Este ano, penso em fazer uma experiência, introduzindo a letra cursiva já no inicio de agosto.
Depois falo aqui como foi.
Beijocas
Cris Chabes

Educação em Foco disse...

Mas eu acho que o comentário da Vanessa poderia virar um post! Há!
Genis ♥

Professora Vanessa disse...

kkkk!! Genis fiquei vermelha agora ;P. Adorei o post. Cris, lá na escola, optamos por apresentar aos alunos os diferentes tipos de letras, deixaremos essa tarefa para os professores do 2º ano. Também voltarei para contar como foi.

Cléo disse...

penso assim também, mas nunca consegui fazer minha colegas e coordenadores entenderem isso.
bju

Anônimo disse...

Creio que não seja necessário o uso da letra cursiva na educação infantil, você pode até apresentar a letrinha mas não deve cobrar. Crianças de quatro, cinco anos não estão com a coordenação motora bem trabalhada nessa idade. Cansa as crianças e elas perdem o interesse pelos estudos pois não estão ainda preparadas para iniciar tal letra.

siltendeiro disse...

Olá professoras, eu aprendi letra cursiva no primeiro ano do ensino fundamental, acho isso muito importante, mas estou tendo muita dificuldade com minha filha, então eu paro pra ver a dificuldade dela e penso se realmente é importante a letra cursiva,todos os dia ela chega em casa chorando porque não consegue fazer a letra cursiva,e o professor quer que ela aprenda, ai ela não consegue fazer mais nada na escola, hoje eu vou tirar o dia pra pesquisar como ajudar minha filha.Hoje com o sofrimento da minha filha acho q até seria bom eles ensinarem a letra cursiva mais pra frente....bjs obrigado por me ouvir

JOVITA disse...

Educadora JOVITA,penso que no inicio da alfabetização deve ser apresentado os diferentes tipos de letras e trabalhar de forma que o aluno saiba o nome da letra e trabalhar muito a coordenação motora fina,para a partir do segundo ano ela ou seja a criança estar preparada para escrevsr com a letra cursiva.

Anônimo disse...

O assunto realmente é polemico mas defendo o fato de que é muito mais importante o desenvolvimento da cordenaçao, da leirtura e a pratica daquilo que realmente será utilizado.

olenka disse...

KKKKKKKKKK...
Em breve:
- Nova "escrita morta":
- cursiva !

kkkkkkkk

(uma avó)

Anônimo disse...

Aprender a escrever letras tipo bastão onde você não escreve e sim desenha, seria muito melhor!

Anônimo disse...

Como algumas já falaram acima, na minha opinião as crianças já nos grupos 4 e 5 deveriam ver sim todas as formas de letras bastão(fôrma) e cursiva, óbvio que de forma lúdica não como imposição, pois presenciei casos de crianças que hoje no 1º ano(antiga alfabetização)sentem dificuldades em escrever outro tipos de letras que não a fôrma (maiúscula).Concluindo acho importante sim a abordagem da letra cursiva, daí a criança por osmose optará o tipo de letra ele irá escrever. O que deve sim se mudar são os métodos de ensino.Obrigada. Carol Salvador-Ba.

Andressa Lima! disse...

Eu não sou professora...E nem tenho idade pra ensinar ainda, mas esse é meu sonho: ensinar crianças a dar seu primeiros passos lendo e escrevendo...
Meu irmão tem seis anos de idade e eu acho que essa minha vontade toda veio depois de ensina-lo..Pois professores do primário,acham que eles ainda não precisam aprender...Acham que é muito cedo...Mas antes cedo do que tarde de mais...Eu acho que é por isso que existem tantas pessoas analfabetas no Brasil...Devemos pegar mais no pé das crianças...Para que elas possam consegir sua liberdade de expressão correta.Seja em forma verbal ou escrita.

melissa disse...

Alfabetizar e ensinar letra cursiva são situações dstintas que não implicam na formação de pessoas alfabetizadas ou não!Até mesmo pq na era da tecnologia a escrita cursiva não faz falta!

Vanessa Gonçalves Vieira disse...

Andressa você mencionou que teu irmão tem seis anos. Em que série ele está? Pelo que conheço deveria estar no 1º ano e deveria estar em processo de alfabetização e se for neste sentido preocupa-me a fala sobre ainda não precisam aprender. Mas se você estiver falando sobre a letra cursiva o "ainda não precisam" é pertinente, porque do contrário continuamos formando crianças habilidosas em códigos e desenhos de letras e sem uma leitura efetiva.
Creio que o fato de ainda termos um índice grande de analfabetismo em nosso país está ligado a diversos fatores, mas um deles é o foco somente na técnica que o aluno deve prender e não no próprio aluno como um ser pensante.

Vanessa Gonçalves Vieira disse...

Concordo com você Mel. Letra Cursiva e alfabetização hoje em dia não andam juntas...Tem muitas formas de desenvolvermos as habilidades que seriam desenvolvidas pela letra cursiva sem obrigar os alunos a enfrentá-a de forma rude. Sobre a utilização dela nas aulas não sou contra, mas trato como um complemento.

Anônimo disse...

Evidente é a importância da letra cursiva, mas no momento correto. Acredito que muita coisa tenha se modificado desde a minha alfabetização (especialmente a informatização), época de professores despreparados, desequilibrados e que adoravam impor uma ideologia política a seres humanos de formação ainda não completa, sem senso crítico. Naquele tempo, a pedagogia era mais cega do que a Themis!
Com 6 anos fui chamado de burro porque colori uma gravura de um animal que não conhecia com uma cor não apropriada. Eu havia vindo do interior do meu Estado, com uma técnica mais liberal de ensino, a qual deixava a criança colorir as gravuras com as cores que bem entendesse. Obviamente que não havia feito por maldade, isso não existe em crianças de tenra idade. Isso ocorreu há 22 anos e ainda me lembro da cara daquela despreparada docente. Embora a justiça tenha sido feita, pois minha mãe presenciou um dos abusos quando estava do lado de fora e deu à professora uma visão apocalíptica do que poderia ser a carreira dela dali para frente. Isso não poderia acontecer em um colégio particular de educação católica. Eu acredito, quero acreditar, que ela tenha amadurecido, adquirido experiência e que tenha sido uma boa mãe, porque aquela impaciência diária causaria muito estrago à uma mente juvenil.
Desde aquele dia eu nunca mais coloria ou desenhei nada que não tivesse sido por obrigação. No ensino médio pedia aos meus amigos que fizessem para mim, os quais, sabendo da minha aversão à ilustrações, faziam de bom grado.
Este é um exemplo, singelo, de que a criança reconhece com naturalidade a figura da autoridade, ela não precisa qualquer tipo de abuso para obedecer e, especialmente, que a cobrança de algo, a escolha das palavras para se explicar determinado assunto, devem ocorrer no momento oportuno e da forma correta, caso contrário o potencial dos alunos será ceifado. Como dizem, se for para estragar algo que nasceu perfeito, permaneça inerte.

Anônimo disse...

oi, irei me formar como professora do 1° segmentos este ano, e queria saber qual é a primeira coisa que nós,professores, devemos ensinar

Anônimo disse...

Sou pedagoga e trabalho com educação infantil a mais de 20 anos, o que as escolas, coordenadores e professores devem se preocupar é com a alfabetização e interpretação de texto,o processo de escrita cursivo e um trabalho meramente mecanico, cada pessoa escreve de uma maneira, o individuo terá a vida toda para aprender a fazer a letra cursiva.
O processo de codificação da lecto escrita é muito difícil, a criança tem que pensar como se escreve determinada palavra e além disso ainda pennnnnnnnnnnsar no movimento da letra!!!!
Isso é um crime com essas crianças, devemos introduzir a letra cursiva somente depois que essa criança estiver alfabetizada, a escrita com letra de forma maúscula e muito mais fácil de leitura e escrita e estamos com ela por todas as partes.
Tenho pena destas crianças e viva a letra de forma.

Anônimo disse...

OLÁ PESSOAL, SOU PROFESSORA HÁ 13 ANOS (EDUCAÇÃO INFANTIL E FUNDAMENTAL I, E COM CERTEZA A LETRA CURSIVA TAMBÉM É IMPORTANTE E DEVE SIM SER TRABALHADA COM O ALUNO, POIS ELE ESTÁ NA ESCOLA PARA APRENDER, E NADA PODE SER EXCLUÍDO, POIS NOS VESTIBULARES E MUITAS PROFISSÕES COMO MÉDICO, POR EXEMPLO, DEVE SE TER SIM UMA LETRA LEGÍVEL, PORÉM EXISTE O MOMENTO CORRETO DE SE TRABALHAR A CURSIVA, QUE É QUANDO O ALUNO JÁ DOMINA A DE FORMA, DE ACORDO COM MINHA EXPERÊNCIA, A MELHOR FASE É O 2º SEMESTRE DO 1º ANO - FUNDAMENTAL (6 ANOS), TRABALHO ASSIM HÁ ANOS E TEM DADO CERTO. ABRAÇO A TODOS OS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO.

Anônimo disse...

Olá, Pessoal. Acredito que a letra cursiva na educação infantil realmente é um absurdo. Se a criança muitas vezes não consegue nem escrever com a letra bstão direito, que dirá com a lettra cursiva. Na verdade vejo a letra cursiva como uma evolução da letra bastão e diga-se de passagem com uma grande importancia no processo de ensino aprendizagem, apesar de sabermos que hoje muitas coisas são computadorizadas, não podemos se debruçar diante disso para dizer que a letra cursiva não tem importancia. É claro que tem. Na hora de escrever seu nome, assinar algum papel, fazer uma prova, um concurso público. Acredito fortemente que é necessario a criança aprender a escrever com letra cursiva o que muitas vezes acontece erroneamente é que o tempo da criança não esta sendo respeitado. A infancia tem que ser prioridade, o brincar, o imaginar, o descobrir...Como disseram a motrcidade fina pode sim ser trabalhada de outras maneiras, e acreditem dá certo...Dê priopridade a infância e deixe tudo no seu tempo.

Estrela do Universo disse...

Acho importante o ensino da letra cursiva,poré cada criança tem, seu ritmo e hj nao se usa + ensinar colocando as crianças para cobrir pontilhados,a criança é estimulada a criar.

Anônimo disse...

Eu estou em crise com os materiais didáticos da educação infantil...
Quase todos que pesquisei tem letra cursiva para as crianças de 5 anos!!
Assim acho demais.
Não sou a favor de abolir a letra cursiva, mas também sou contra introduzí-la cedo de mais...

olenka disse...

Meu filho também sofreu com o problema de professora DESEQUILBRADA e DESPREPARADA.
Resultado?
- Não conseguiu concluir o terceiro colegial e, apesar de muito inteligente e responsável, segundo seus próprios professores e conhecidos, é avesso a escolas !
Uma mente brilhante ganha a vida como mecãnico (excelente)de automóveis, o que aprendeu "olhando".
S
Anônimo, sou solidária á sua dor pois passamos semelhante situação aqui em casa.

Zeyla disse...

No MOmento do vestibular ou do concurso público a letra exigida para fazer a redação, adivinha qual é? CURSIVA!!!!! Então como não ensinar?

Zeyla disse...

No momento de prestar o vestibular ou concurso público e exigido para fazer a redação o uso da letra cursiva, então como não ensinar às crianças?

Anônimo disse...

A questão não é ensinar a letra cursiva, somente ensinar no momento certo!

Anônimo disse...

Letra cursiva é importante sim!!!!!Meus melhores alunos 90% deles são os que têm letra cursiva.Li em algum lugar que a cursiva requer mais habilidades do cérebro e é a forma mais rápida de registro.Ambas as formas devem sim ser usadas e a escolha deve ser do aluno qual usar.Tenho alunos na sexta série que não entendem letra cursiva, não pintam um desenho corretamente e eles não são poucos.Tenho a impressão que o ensino dos Fundamentos desta série serão prorrogadas porque penso estar numa 2 série...

Anônimo disse...

Gente sou mãe de um menino que tem 8 ano e esta na terceira seria...ele não sabe escrever cursivo..mais a professora escreve no quadro com a letra cursiva..sendo que ele ainda não reconhece bem esta escrita..então ele chega em casa com um uma letra impossivel de ler..o que fazer por favoe alguem pode me ajudar???

toninha-ferreira disse...

Sou professora e atuei durante 5 anos no 2º ano. E encontrei muitas dificuldades com relação a letra cursiva. Nunca cobrei a letra cursiva dos meus alunos sendo que antes de serem alfabetizadas, as crianças tem contato com as letras de fôrma no mercado, no cinema, nos livros didáticos, em jornais, gibis, televisão... Claro que elas não conseguem ler, mas fica registrado na memória. Logo, a percepção da letra de fôrma é mais rápida e fácil do que da letra cursiva. O importante é entender porque a criança aprende primeiramente a letrinha de fôrma e não a cursiva. A criança está desenvolvendo a motricidade na fase da alfabetização e a letra do tipo bastão é mais fácil para se adequar neste momento. Os rabiscos começam a se endireitar e formar letras. As letras de fôrma são ideais para esta fase, pois os caracteres são individuais e podem ser escritos um após o outro. Já as letras cursivas exigem uma agilidade maior, uma vez que, além de outras finalidades, são utilizadas para tornar o registro mais rápido. O traçado simples das letras de fôrma dão maior liberdade no ato da escrita, ao contrário das “letras de mão” que precisam de uma organização maior. O ato de ligar uma letra à outra também dificulta o processo, pois anula a ação de tirar o lápis do papel e investir as forças na próxima letra, o que ordena um esforço motor maior. No entanto, é importante trabalhar com esta última, assim que o infante se habituar à primeira. Não há problemas se as duas formas coexistirem por um tempo, porque independente da letra o que deve sempre estar em foco é a escrita. Pois mais importante do que a letra que a criança escolhe, é a compreensão da escrita como um ato de comunicação.

Toninha Ferreira disse...

Tenho uma aluna que preparei para o ENEM e outra para o vestibular. E no Edital não estava a exigência de letra cursiva para redação, sendo que elas utilizam a letra de fôrma desde que estou atuando como professora delas. Se tem dúvida em relação a letra, leia o Edital, senão houver nenhuma restrição sobre o assunto e continuar a dúvida ligue e se informe. Só pra esclarecer, ambas passaram na prova de redação com 9,2 e a outra 8,7. o importante é a compreensão do que está escrevendo.

Anônimo disse...

Eu sou professor das séries finais do Ensino Fundamental e do Ensino Médio. Sempre usei e cobrei em sala de aula a letra cursiva. Considero uma forma elegante de escrita que vou sempre incentivar. Porém, estou sempre aberto a novidades e ligado aos hábitos contemporâneos. Por que não usar cotidianamente o computador? Por que não escrever com letra bastão um aviso? Mas, por que abandonar os antigos e agradáveis hábitos da caligrafia? O antigo e o moderno podem conviver e até se completarem. O moderno apenas por ser moderno nunca me bastará!

Anônimo disse...

Me esclarece uma coisa... tenho um sobrinho no quarto ano e ele possui CALIGRAFIA legível, porém algumas letras como o B e o C não faz "movimento correto" (achei absurdo a professora usar este termo) aquele "casadinho - vr, ve, br, be... daí ela está marcando o caderno dele todo, mesmo que a ORTOGRAFIA da palavra esteja correta e a mesma esteja legível. Conclusão, ele está P da vida e sem vontade de escrever, porque a professora vai dizer que estão erradas e marcar as palavras que ele não consegue escrever da maneira que ela diz ser a certa. Nessa idade deve ser cobrado o movimento de caligrafia "padrão", ou ele já criou a sua identidade? Estou muito triste por ele, e espero não acontecer com meu filho mais novo, senão rodo minha baiana rsrsrs

educar-oprimeiropasso.com disse...

Esse é o problema com a maioria dos alunos que venho a conhecer algumas letras em cursiva e outras em fôrma. O aluno em si já criou sua identidade da escrita. Na minha concepção de educadora ele tem que saber ler, interpretar e entender o que está escrito seja ela de fôrma ou não. minha filha sempre escreveu com letra de fôrma desde o segundo ano e ela sabe tb escrever com letra cursiva caso venha precisar. A professora dela na época deixou a sua escolha. Nunca tive problema com relação a isso e hj com 17 anos continua escrevendo com letra de fôrma. Só peço para ler os editais quando for prestar algum concurso e tiver redação, averiguando assim o tipo de letra exigida. os alunos deve ter conhecimento das duas letras e saber escrever dos dois jeitos. Quanto ao trassado da letra isso tem que ser corrigido com bastante exercícios de caligrafia. esses exercícios podem ser feitos em casa com uma boa orientação. Sem gritos e com muita paciência a criança atingirá o seu objetivo. A ajuda de uma fono tb ajuda. espero ter contribuído de alguma maneira. faça contaato se precisar pelo meu e-mail, tenho atividades que poderão ajudá-lo. Bju

elizeth alvespereira disse...

meu filho tem 5 anos ele conhece as letras só não consegue escrever algumas e a professora dele esta exigindo que ele aprenda a letra cursiva e bastão ela disse que ele esta muito atrasado porque ele não sabe nem escrever o nome dele ele é muito disperso quando estou ensinando ele ,ele não presta atenção ele fica viajando ñ quer fazer e quando faz , faz de qualquer jeito tenho que pegar na mão dele mas a professora dele disse que pegar na mão dele não ajuda em nada

elizeth alvespereira disse...

como ajudar meu filho com a coordenação motora dele ele ainda não sabe nem escrever o nome dele.e a professora dele disse que ele esta muito atrasado eu pego no pé dele mas ele e a prof dele disse que ele só oque faço para prender a atenção dele como faço para ele ter interesse pela escrita ele gosta muito de desenha e jogar no computador mas na hora de estudar ele se dispersa a professora dele que ele é muito desinteressado que oque ele quer é brincar e quando ele ñ faz atividade coloca ele de castigo por ele ñ fazer a atividade e por ficar só brincando

Anônimo disse...

Olá meu nome é Julie e tenho uma filha que completára 4 anos dia 08/04.O ano passado ela fez o maternal II e segundo a professora, disse que ela concluiu com sucesso e estava apta para o Jardim I. Fui chamada na escola na semana passada e a professora disse que ela estava com dificuldades para escrever as vogais (A, E , em letra cursiva). Fiquei apavorada porque ela ainda tem 03 anos, não tem firmeza para pegar no lápis. Como exigir letra cursiva com essa idade? Isso é correto? Será que misturar as letras de forma com cursiva para uma criança que ainda não tem 4 anos e muito menos cordenação motora está certo? O que devo fazer, uma vez que minha filha não está preparada para aprender a escrever?

Anônimo disse...

Não li todos os comentários,mas sim o texto.E não concordo.Porque eu quando fui para a escola pela primeira vez,fui direto para a primeira série primária,na época da repetencia ano de 1982,e,detalhe;eu nunca havia pisado numa pre-escola ou jardim de infancia,pois meus pais moravam numa roça afastada de tudo.me lembro da cartilha caminho suave,e da primeira palavra,que escrevi e li,com letra cursiva,logo no primeiro passando para segundo semestre de alfabetização"arame",e depois,nunca mais parei de ler e escrever corretamente e com boa letra cursiva.Minhas professoras não eram umas santas,muito menos superinteligentes,e muito menos eu era assim também - muito pelo contrário,era considerada uma criança de raciocínio lento e inferior,e aprendi tudo isso rapidamente,nunca precisei passar primeiro pela letra bastão...porque será que as crianças hoje(incluo meus filhos),com toda tecnologia e aparatos,e apesar da suposta facilidade da letra bastão,eles mal conseguem se alfabetizar no primeiro ano de seu ciclo,e depois,quando vão passar para a letra cursiva,é um vício terrível que eles tem na letra bastão,que a cursiva sai ilegível,hein??quando o pessoal fala das supostas facilidades da bastão,eu fico no mínimo cabreira e desconfiada,é fácil advogar em causa própria - tem que ver se a maioria está mesmo alcançando os níveis desejados!Sou,também,alfabetizadora,muito embora,atue como PEBII numa escola pública...

regina braga disse...

Gente, lembrando aqui que o 1º ano do ensino fundamental hoje equivale ao 3º período de antes, não podemos nos esquecer desse detalhe e cobrar dos alunos coisas que eles só terão maturidade para realizar aos 7 anos - 1ª série antiga - 2º ano atual. Sou alfabetizadora e tb estou sentindo muito essa cobrança da letra cursiva nessa etapa. Muitas crianças conseguem escrever com facilidade, outras não. Mas, me pergunto: elas estão escrevendo e conseguindo ler o que escrevem, ou apenas estão copiando o que lhe é passado. Fico com receio, pois, se estou preparando as crianças para ler e interpretar, muitas das vezes, escrever e não saber ou lembrar o que escreveu, pode ser um pouco frustrante para os pequenos aprendizes. Já tive convicção de que a letra cursiva seria a melhor pedida, mas depois de certo tempo estudando sobre o assunto, percebi que a maioria dos livros e anúncios são em letra palito (bastão) ou letra de imprensa (bastão minúscula) e que a letra cursiva imprime uma carga de personalidade que só quem a escreve é capaz de entender – (analisando-a dentro de um contexto), percebi que a letra bastão pode ser bem mais compreendida pelos alunos. Não dispenso o ensino da cursiva, mas não o coloco como prioridade no aprendizado. Para mim, ela só serve pra adiantar o aluno na cópia de enormes textos e matérias escritas no quadro, para longas atividades e facilitar a escrita do professor. Eu, particularmente, não consigo escrever só de cursiva, misturo todas as letras desde que facilitem a minha escrita.
O mais importante, na alfabetização, o próprio nome já diz, conhecer o alfabeto, entender os sons e suas representações, saber ler e criar novas estratégias de aprendizagem, leitura e interpretação. De que adianta ter uma letra cursiva maravilhosa e não entender o assunto do texto? Ou não conseguir reescrever uma história?

Anônimo disse...

Olha,eu ,e todas as crianças que conheci depois de mim com letra cursiva,liam e entendiam o que copiavam,e letra cursiva é para isso mesmo;uma ferramenta individual,mas de ótima inserção social!Eu a aprendi com 7 anos,primeira seŕie,como disse logo no comentario a acima do seu...creio que é por motivo de os livros modernos virem com letra palito que as professoras espertas adotam a cartilha,porque lá tem a cursiva,e,numa boa,a criança aprende e sai lendo,é só tomar a leitura salteado,e vai ver que ela sai lendo,agora,eu tenho alunos que foram educados desta safra de construtivismo,e justamente neles é que percebo o absurdo:escrevem com letras misturadas,cheios de erros crassos de ortografia,e,pior,apenas copiam,mas não leem,e tem gente(alunos de ginásio!)silábica sonora,porque,além de copiar da lousa e não ler,ainda copia com o som errado!Pergunto,o que tem a ver com isso o fato de a criança ter aprendido com a cursiva ou com a bastão?Isso também vai do professor saber aplicar,porque as novidades deveriam vir para acrescentar,nunca para tirar algo já cultural e que tem dado certo,como a letra cursiva!mas,é claro que,numa sala de periferia,é mais cômodo para a professora,sendo cobrada de relatórios e sondagens mil,apressar os alunos na marra,tipo"aprendeu a ler com a bastão já tá bom,porque eu tenho mais o que fazer,letra cursiva não é para qualquer um mesmo..."e eu considero isso uma verdadeira exclusão social,pois para tirar de vez a escrita cursiva,todos,absolutamente todos deveriam ter seus tablets a mão,e isso deveria ser super comum e barato de adquirir,todos os vestibulares da vida deveriam por lei aceitarem letra bastão em suas dissertativas,e por aí vai,e ainda assim,mesmo se fosse assim,uma pessoa que domina várias formas de escrita e de caligrafia,estará sempre a frente!

Anônimo disse...

"Na era da tecnologia", a letra cursiva ainda é necessária para escrever redações em vestibulares.
"Na era da tecnologia" nem todos ainda possuem computadores e nem todos estão tecnologicamente incluídos.
Daqui a pouco não precisaremos da escola, pois na "era da tecnologia" as crianças podem aprender de casa, pela tela do computador.

Anônimo disse...

Gostaria de entender essa pressa dos adultos em transformar as crianças em adultos antes da hora..tudo tem seu tempo, vamos respeitar as fases..o que é mais importante? escrever com letra cursiva ou saber se comunicar de forma coerente?

Anônimo disse...

Concordo com você. Trabalho com a 6a. série e estou tendo muita dificuldade com alunos que não dominam a letra cursiva. Esses alunos não sabem usar o caderno, apresentam totalmente uma escrita desorganizado, sem estética. A não exigência da letra cursiva vai de encontro com as regras da gramatica,em que exige o uso da letra maiúscula e maiúsculo em determinadas situações. Geralmente o aluno quando adota a letra bastão, ele dar preferência a letra maiúscula pela facilidade do desenho. Acho que a letra de imprensa deve sim, ser trabalhada para alfabetizar

Vera Ribeiro disse...

Sou a favor da letra bastão no momento da alfabetização; os vários tipos de letra devem ser apresentados e tornar conhecidos dos alunos.
Agora a letra cursiva deveria ser oferecida como arte nos anos finais com toda a sua beleza na caligrafia para trabalhos manuais.

Vera Ribeiro disse...

Sou a favor da letra bastão na alfabetização. A letra cursiva deveria ser oferecida como arte nos anos finais para trabalhos manuais de caligrafia....

Jade Bernardo disse...

Concordo com o que a pessoa escreveu!Sou professora a aproximadamente 14 anos, sempre ensinei letra cursiva para meus alunos e nunca sentiram essa ENORME dificuldade que todos falam.Pelo contrário,tinham letras lindas e muitas vezes a caligrafia era melhor que muitos alunos de um 4° ou 5° ano que já deveriam dominar a cursiva muito bem.Não trata-se de OBRIGAR a criança a fazer cursiva, mas orientá-la e incentivá-la a desenvolver esse tipo de escrita.

Dani Oliveira disse...

A questão aqui não é ensinar ou deixar de ensinar. A questão é o MOMENTO CERTO que se deva ensinar a letra cursiva. Impor a letra cursiva na educação infantil chega a ser um sacrilégio. Na minha humilde opinião, a letra bastão é muito mais simples e divertida para iniciação da alfabetização do que a cursiva, e abrirá as portas da maturação e da lógica para que a criança aprenda a cursiva com mais facilidade e prazer.

Anônimo disse...

Na minha opinião esta atitude de querer acabar com a letra cursiva no primeiro e segundo anos ,só vem acarretar confusão na cabecinha do aluno já no terceiro ano,é um ano onde as dificuldades aumentam(conteúdo programático )e não entendo por mudar o que sempre deu certo e transformar isto num inferno ,pois cada escola cobra de um jeito e eu que trabalho com acompanhamento escolar só tenho alunos em anos adiantados analfabetos ,pois eu acho que esta é a intenção de quem não quer ver nosso povo alfabetizado.

Anônimo disse...

No vestibular, você pode escrever com letra de forma que é aceito. A letra de forma ainda e sempre será uma forma aceita de escrita

Carlinha disse...

Já ouviu falar no Método Montessori, de uma olhadinha pela net e no face, enquanto muitos tentam recriar a roda, ela foi a mentora de Piaget, e a primeira a usar o termo construir o conhecimento e formar o ser homem para a paz,

Nayrinha disse...

Olá professora, amei seu artigo!!! Eu estou muito preocupada pois a escola do meu filho não ensina a letra cursiva na educação infantil mas quando eles chegam na 1ª série, as professoras só escrevem com essas letra e querem que os alunos tirem as tarefas do quadro com essa letra. Conheci crianças que estão enfrentando grandes dificuldades com esse choque!!! Meu filho tem 04 anos e está no nível 3 da educação infantil e estou pensando em começar aqji em casa a apresentar a letra cursiva. Você acha muito cedo??? Obrigada desde já pela ajuda!!!! Beijos

melissa disse...

Olá, na Educação Infantil não devemos forçar a criança para a escrita cursiva, é desnecessário e ela ainda não tem a coordenação motora fina tão desenvolvida para isso. Estimule-o de outras formas, explore mais o desenho, peça que ele utilize as pontas dos dedos para recortar revistas, dê bastante massinha e espere ele se alfabetizar para depois aprender a letra cursiva. A professora do 1 ° ano não deve cobrar que eles já cheguem escrevendo com letra cursiva, ela é quem deve ensinar!Espero que tenha ajudado um pouquinho...

Drica Barros disse...

Oi! Sou professora alfabetizadora e sempre inicio o processo com letra cursiva, pois diante da minha experiência já pude observar o quanto as crianças confundem letras maiúsculas com minúsculas quando se trabalha com a letra bastão e de repente você começa a introduzir a letra cursiva.

Drica Barros disse...

Olá! Sou professora alfabetizadora e sempre inicio o processo de alfabetização com a letra cursiva, pois já percebi o quanto as crianças confundem letra maiúscula com minúscula quando se introduz primeiramente a letra bastão para depois a letra cursiva.

Anônimo disse...

Os médicos hoje em dia escrevem tudo no computador. Pelo menos sempre que levo minha filha, o atestados e receitas saem impressos.

Rose Lustosa disse...

Olá !!! estou com uma turma de 2ºano e ainda não conheciam nenhum tipo de letra a não ser BASTÃO. Mas resolvi introduzir desde já as letra cursiva e
mais tarde a letra que encontramos em jornal e revista pra desenvolver mais e leitura. Eles não conseguiam ler as palavras com outro tipo de letra se não fosse bastão. Estamos muitos empolgados.

PATRICIA disse...

Sou diretora de ed. infantil e ensino fundamental....e hoje mesmo em htpc estavamos discutindo quando iniciar esta escrita....esta assim no 2 º ano e iniciar e no 3º ano dai sim cobrar mais

Marcia disse...

Estou muito confusa. Todo material encontrado para educ inf 4 anos é com letra cursiva.
Conversei com duas professoras experientes e com opiniões contrárias. Não sei o que será melhor.: Continuar com a cursiva ou iniciar o trabalho de outra maneira? Me ajude.

Anônimo disse...

Minha filha tem 6 anos, e está alfabetizada!
Viemos da bahia aqui para SC,mas a pró dela aqui nao admitiu o uso da letra cursiva, sendo que minha filha escreve muito bem cursivo, e lê qual quer palavra, frase e até histórias...
segundo a prò ela nao pode escrever cursivo porque ainda nao está no tempo... absurdo isso.
Minha filha conhece as letras imprensa, caixa alta e inclusive ela lê qual quer tipo de letra.
Absurdo isso, impedir o uso da cursiva sendo que minha filha já sabe ler escrever...

Luzis disse...

E aprenderia então a assinar o próprio nome com letras de forma?

Luzis disse...

E aprenderia então a assinar o próprio nome com letras de forma?

vilma barros disse...

Trabalho com Educação Infantil a 3 anos. e no início levei um choque quando minha diretora mandou que eu trabalhasse a letra cursiva com meus alunos de quatro anos. Em minha formação fui orientada que eles devem aprender a cursiva apenas no segundo semestre do 1º ano, porém hoje concordo que devemos estimular desde cedo as crianças a fazerem letra cursiva. As crianças são estimuladas a tantas coisas pouco produtivas desde cedo, por que não o ser em algo que só lhes trará benefícios futuros se trabalhado de forma natural. Se os EUA que tem um computador para cada aluno deseja acabar com a letra cursiva nas escolas, bem eles podem, é a realidade deles não a nossa, pelo menos não é a dos meus alunos. Não exijo que eles sejam perfeitos só mostro que eles são capazes.

Anônimo disse...

Eu tiraria a criança dessa escola e procuraria outra. Isso realmente não é apenas absurdo, é crime contra a criança. Já pensou se essa professora proíbe a criança de brincar e ri.Eu não duvido que uma doida chegue a tal ponto.Bloquear o aprendizado que ela (a professora)deveria estimular ainda mais.Eu penso que essa profa está com preguiça de ensinar às demais crianças e o que a sua filha já sabe e que serviria de modelo para as outras

Anônimo disse...

Meu impasse está sendo esse por numa escola que extrai tudo do aluno até mais um pouco ou uma que prioriza o brincar, o aluno em seu próprio aprendizado