1 de junho de 2011

O PROFESSOR E A SUA FORMAÇÃO CONTINUADA

Muito tem se comentado sobre a formação continuada do professor, sobre a capacitação profissional dos docentes. E justamente essa capacitação tem sido apontada como um dos pré-requisitos fundamentais para a melhora da qualidade do ensino no Brasil. O ponto de interrogação seja o que é e como ocorre essa capacitação.
 O conhecimento docente é subjetivo, cada docente possui um saber-fazer. Buscar conhecimento para o aprimoramento de sua prática é fundamental para o seu cotidiano. Ao colocar o conhecimento como subjetivo, percebe-se que o mesmo engloba vários fatores, como, por exemplo, sua história de vida, suas experiências familiares, suas afetividades e até mesmo suas crenças.

 O professor precisa sempre refletir sobre sua prática, sobre o seu conhecimento científico e técnico tendo ciência de que não é mago do saber, na verdade ele é apenas o mediador de um processo de construção do saber. Para isso se faz necessário a sua formação continuada. De certo o professor encontra várias barreiras para continuar a sua formação, mas cabe a ele, professor procurar caminhos que possam facilitar a sua eterna formação.
 Talvez se faça necessário que os professores percebam que é de fundamental importância dar ênfase ao papel dos professores como agentes de mudança, mediadores entre a informação e o conhecimento. Pode ocorrer também que ao buscar conhecimento para sua prática docente (sua formação continuada), o professor encontre barreiras. Talvez o fator econômico seja um deles.

 Algumas décadas atrás ser professor não era tão "difícil" como hoje. Hoje o professor precisa se atualizar sempre precisa saber lidar com a complexidade social e com a tecnologia. Pode-se dizer que a formação continuada do professor tem dois conceitos: um no sentido amplo e outro no sentido estreito. No primeiro a formação ocorre ao longo da vida quando o sujeito (professor) está direto em contato com o mundo. E no segundo ocorre quando o sujeito visa a sua formação profissional ampliando seus conhecimentos e refletindo cada vez mais sobre sua prática.
 Para aprimorar mais a sua prática o professor precisa compreender a realidade educacional e a realidade social e ter ciência que o saber docente é um saber plural.

 Referencia: Formação de Professores: Passado, Presente e Futuro, Lizete S. B. Maciel, ano 2004
Regina Gregório

http://reginapsicopedagoga.blogspot.com/


2 comentários:

Prô Cris Chabes disse...

Olá Regina, sempre trazendo textos maravilhosos que nos faz refletir sobre a importância da formação continuada na nossa vida profissional.
Adorei o texto
Estou realizando meu primeiro curso online pela Federal de São Carlos, e que fala dos casos de ensino na alfabetização.
Estou pensando em colocar os textos que eles nos mandam para reflexão aqui no Ed.em Foco.
Beijocas
Cris Chabes

Genis disse...

Regina, eu amo suas postagens.
Minha mãe conta que na época dela era sim, fácil ser professora. Com apenas pouco estudo, uma mulher já lecionava e olha que elas sabiam muito!
Elas tinham aula de latim, francês, mas não tinha didática nenhuma. Sem contar as palmatórias..rsrs
Eu acredito que um professor precisa ter uma formação continuada pelo crescimento absurdo de tecnologias. Sem contar que as faculdades estão muito fracas, e saímos dela com pouco conhecimento de nossa área de especialização.
Bjks.