20 de abril de 2011

A descoberta de uma criança


         Caras educadoras,
Quero justificar minha ausência no blog Educação em Foco e até mesmo no meu blog particular (Compartilhar e Crescer).
Por conta da correria do dia a dia e por estar tentando uma bolsa de estudo (mestrado), deixei a desejar quanto as  publicações das postagens no blog mas peço desculpas à todas leitoras, companheiras e parceiras do blog, pois já estou de volta assumindo o meu compromisso com toda equipe da rede Educação em Foco.

Para essa semana deixo um texto para reflexão: " descoberta de uma criança"


Uma vez um menininho bastante pequeno, que contrastava com a escola bastante grande.
Uma manhã, a professora disse: Hoje nós iremos fazer um desenho.  "Que bom!"- pensou o menininho. Ele gostava de desenhar leões, tigres, galinhas, vacas, trens e barcos.
Pegou a sua caixa de lápis de cor e começou a desenhar.
A professora então disse: Esperem, ainda não é hora de começar!
Ela esperou até que todos estivessem prontos.
Agora, disse a professora, nós iremos desenhar flores.
E o menininho começou a desenhar bonitas flores.
Com seus lápis rosa, laranja e azul. A professora disse: Esperem! Vou mostrar como fazer. E a flor era vermelha com caule verde. Assim, disse a professora, agora vocês podem começar.
O menininho olhou para a flor da professora e depois olhou para sua flor.
Gostou mais da sua flor, mas não podia dizer isso.
Virou o papel e desenhou uma flor igual a da professora. Era vermelha com caule verde.
Num outro dia, quando o menininho estava em aula ao ar livre, a professora disse:
Hoje iremos fazer alguma coisa com o barro. "Que bom"!!!, pensou o menininho.
Ele gostava de trabalhar com barro.
Podia fazer com ele todos os tipos de coisas: elefantes, camundongos, carros e caminhões.
Começou a juntar e amassar a sua bola de barro.
Então, a professora disse:
Esperem, não é hora de começar!    
Ela esperou até que todos estivessem prontos.
Agora, disse ela, nós iremos fazer um prato.
Ele gostava de fazer pratos de todas as formas e tamanhos.
A professora disse: - Esperem! Vou mostrar como se faz. Assim, agora vocês podem começar.       
E o prato era um prato fundo.       
O menininho olhou para o prato da professora e depois par a seu próprio prato. Gostou mais do seu, mas não poderia dizer isso.
Amassou seu barro numa grande bola novamente e fez um prato fundo, igual ao da professora.
E muito cedo o menininho aprendeu a esperar e a olhar e fazer as coisas exatamente como a professora.
E muito cedo ele não fazia coisas por si próprio.
Então aconteceu que o menininho teve que mudar de escola.
Era uma escola ainda maior que a primeira.
Um dia a professora disse: Hoje vamos fazer um desenho.
"Que bom!"- pensou o menininho, esperando que a professora dissesse o que fazer.
Ela não disse, apenas andava pela sala. Então veio até o menininho e disse: Você não quer desenhar? Sim, e o que nós vamos fazer? Eu não sei até que você o faça. Como eu posso fazê-lo? Da maneira que você gostar! E de que cor?
Se todo mundo fizer o mesmo desenho e usar as mesmas cores, como eu posso saber o que cada um gosta de desenhar?
Eu não sei...
Então o menininho começou a desenhar uma flor vermelha com caule verde...

 Autora: Helen Buckley –Tradutora do texto: Regina Gregório
Blog:http://reginapsicopedagoga.blogspot.com

Desejo uma FELIZ PÁSCOA A TODOS.

2 comentários:

Prô Cris Chabes disse...

Olá Regina
Adoro esse texto! Já usei algumas vezes.
Aproveito para desejar a todas da equipe Educação em Foco uma Feliz Páscoa. Que as flores da ressurreição iluminem suas vidas.
Um abraço
Beijocas
Cris Chabes

Genis disse...

Regina, acho que todos que fizeram magistério, conhecem esse texto, ou pelo menos deveriam conhecer... o negócio é colocar em prática, pois conheço alguns professores que ainda agem da maneira como a 1ª profª do texto.
Bela contribuição!
Ótima Páscoa pra ti tb!
Genis.