6 de março de 2011

PROFESSORES, EDUCAÇÃO BÁSICA E... FORMAÇÃO



Olá queridos, 

É um grande prazer estar mais uma vez aqui junto com vocês. Tenho que dizer que estou amando as postagens, nosso blog tem ficado cada vez mais lindo!
Essa semana irei compartilhar com vocês, um texto que li no site do Mec. Ele registra alguns números registrados pelo Inep, relatando como anda a formação superior dos professores e quais cursos são mais procurados. 
vou postá-lo aqui e deixarei que vocês tirem suas próprias conclusões. 

 Aguardo os comentários!



Nada menos que 381.214 docentes da educação básica estão matriculados em cursos de graduação. O número resulta do cruzamento de dados do censo dos professores da educação básica com o censo dos estudantes da educação superior de 2009. Para não haver dupla contagem, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) fez o cruzamento usando o CPF dos educadores.

Dos 381.214 professores matriculados na educação superior, 206.610 fazem cursos presenciais e 174.604, educação a distância. Mais de 50% dos educadores estão em cursos de pedagogia – 192.965, seguido de letras (44.754), matemática (19.361) e história (14.478). 

Fora das licenciaturas, o cruzamento dos censos revela que os cursos preferidos são direito, com 8.891 matrículas, administração (5.809) e serviço social (4.259), mas há também professores nas engenharias, na psicologia, entre outros.

Para o ministro da Educação, Fernando Haddad, os dados surpreendem positivamente e mostram que os professores querem e estão em busca da graduação. O esforço para que todos os professores tenham formação superior, iniciado com o Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE), em 2007, segundo o ministro, repercutiu na categoria, nas universidades e nos gestores das redes. “Agora os resultados começam a se concretizar.”

Dados do Inep sobre a evolução da matrícula, do ingresso e da conclusão das licenciaturas, presenciais e a distância, em matemática, química, física e biologia, entre 2002 e 2009, mostram este quadro: em 2002, as matrículas nessas quatro áreas do conhecimento somaram 167,9 mil; em 2009, subiram para 248,7 mil. No mesmo período, ingressaram 64,5 mil estudantes (2002) e 83,4 mil (2009). Os concluintes em 2002 somaram 21,6 mil e em 2009, 39,8 mil.

O aumento da qualificação registrado no censo escolar, segundo o ministro, resulta de um conjunto de ações de estímulo, das quais destacam-se a criação da Universidade Aberta do Brasil (UAB), que tem polos nas 27 unidades da Federação, o Programa Universidade para Todos (ProUni), a expansão dos campi das instituições federais de ensino superior, além da criação de novas universidades federais e dos institutos de educação, ciência e tecnologia.

Ionice Lorenzoni

Fonte:

2 comentários:

Educação em Foco disse...

Oi amiga!
Eu tenho muitas colegas que fizeram graduação a distância, inclusive minha pedagoga. Até a pós dela, foi a distância.
Eu tô pensando em embarcar numa segunda faculdade também, apesar de já ter feito algumas especializações, mas quero continuar na área de educação.
O que vc citou e tb tenho percebido é que alguns professores estão mudando de área. Tb vejo isso na minha vivência. Muitos professores estão partindo para a faculdade em outra especialização. Uma amiga minha, prof de artes, está fazendo engenharia... reclama do salário e quer partir pra outra.
Outro detalhe que acho super importante é que a faculdade a distância facilitou a vida de muita gente. Principalmente de nós, profs, que não temos tanto tempo para frequentar uma faculdade regular, ainda mais com a carga horária puxada, às vezes manhã, tarde e noite.
Qto a minha opinião, eu acho ótimo que os profs estudem, independente da área a escolher. Prof tem que se atualizar, estudar e nunca parar. Eu sou meio viciada nos estudos...rsrsrsrs
Acabou o pensamento de que professor Infantil e Regular só tinha o curso de magistério.
Beijos e ótimo domingo pra vc!
Genis.

Vanessa G. Vieira disse...

Olá Genis. Também concordo com você sobre a Educação a distância. A cada dia que passa elas tem ficado melhores e, como você mencionou tem dado oportunidade de estudos àqueles professores que tem uma jornada de trabalho muito grande. A unica coisa que me preocupa é saber que os professores estão desistindo de sua profissão. Isso me deixa muito triste. Eles estão insatisfeitos e 'ninguém' se 'preocupa' em saber por que isso ocorre ou melhor, fazer alguma coisa interessante que mude esse quadro. Nosso Pais precisa de educação e que podem se tornar educadores estão indo embora... Isso é um caso muito sério!

Obrigada mais uma vez pelo carinho Genis! Beijo!