6 de abril de 2014

Artes para crianças na Páscoa

Artes para crianças na Páscoa

(Anne Lieri)


A Páscoa está chegando e os professores sempre buscam novidades para fazer com as crianças nas aulas de Educação artística.


Que tal um lindo porta retratos de coelhinho?




Essa dica eu encontrei no blog: “Os melhores artesanatos” da Silmara. É um blog lindo e cheio de dicas legais para diversas ocasiões.


Para fazer esse porta retratos  é fácil:


Material necessário:


O1 prato de papelão branco
Tesoura
Cola branca
Cartolina branca e rosa
Algodão


Modo de fazer


Na parte central cole a fotografia de seu aluno
depois cole o algodão em volta.(do jeito que está na foto). A própria criança poderá colar com sua orientação.


Corte a orelha do coelho na cartolina branca.E a cartolina rosa corte em formato de orelha também,mas um pouco menor.




Decore as orelhas com algodão também e cole as orelhas na parte de trás do pratinho.


E pronto! Uma linda lembrança de Páscoa e sem gastar muito!


Veja no blog da Silmara o passo a passo bem explicadinho:









4 de abril de 2014

A História da Páscoa

Olá pessoal,

A Páscoa está quase chegando e que tal passar um vídeo para os alunos explicando seu real significado?

Abaixo, deixo uma sugestão linda de vídeo. Contada pelas crianças, a história da Páscoa é apresentada de forma simples, emocionante e muito, muito linda!

Se você não trabalha as datas comemorativas com seus alunos, não perca esta oportunidade. As crianças adoram, aprendem, enriquem vocabulário e o melhor de tudo, levam com ela o significado de fatos da nossa cultura, de nossa história, ampliando seu conhecimento sobre o mundo social e cultural por toda a sua vida!

Pense nisso!


Abraços,

24 de março de 2014

Ler... Porque ler é bom!

Oi gente!

Este ano estou trabalhando com o 2º Ano. E como vocês devem saber estou participando do PNAIC. Aqui em minha cidade começamos nossos encontros, ainda informais, mas já tenho tido bastante ideias interessantes para o trabalho do ano que segue. 

Uma delas, já é bastante conhecida de nós e está com um nome bonitinho... Letramento Literário, vocês já devem ter ouvido falar. A proposta do Letramento Literário é proporcionar ao aluno uma leitura, uma contação de história, uma reflexão mais livre dos textos. Digo livre pois não precisamos necessariamente trabalhar didaticamente os conceitos trazidos no texto escolhido. Seria, de forma resumida, uma leitura prazerosa. 

Eu gosto bastante desta ideia, primeiro poque já utilizava em minhas aulas e segundo por acreditar que as crianças, os adolescentes e os jovens também precisam e têm o direito de olhar a leitura como algo além das obrigações de interpretação e gramática que algumas/muitas vezes lhes são cobrados, por necessidade sabemos. 

Pensando nisto, vim compartilhar com vocês algumas sugestões de livros e histórias que podem ser interessantes para este trabalho com o Letramento Literário. Afinal, sempre é bom ter sugestões, não é verdade!?

A Professora encantadora - Márcio Vassallo

Conheci esta história por meio da minha dinamizadora lá no Pnaic. Me encantei com as histórias da professora Maísa. Vejam:

Ilustrações: Ana Terra
 Editora Abacatte
 Ano: 2010
Maísa era uma professora que olhava para tudo com olho de assombro e estranheza. Ela dizia que assombro é um susto cheio de beleza e que estranheza é o casamento do estranho com a surpresa.
As aulas da Maísa eram mesmo assombrosas, estranhas e surpreendentes. Na escola, ela se derretia de amor pelas palavras, pelas frases, pelos livros.
Mas a Maísa se derretia pelas pessoas ainda mais que pelos livros. Então, a professora contagiava a gente com todo aquele derretimento. E dava aula de esticar suspiro.
De olhos fechados, nós aprendíamos a suspirar fundo. E a Maísa suspirava junto com a gente, com aquele seu riso, às vezes freado, às vezes desembestado.
Ah, e para ninguém atrapalhar a aula com urgências sem importância, no lado de fora da porta a professora pendurava um aviso:

NÃO ENTRE AGORA. ESTAMOS SUSPIRANDO..


Trecho extraído daqui


O caderno da menininha - Rovênia Amorim

O Caderno da menininha me encantou antes mesmo de chegar em minhas mãos. Li um trechinho no blog da Rovênia e fiquei encantada. Agora ando por ai com o caderninho da menina como se fosse o meu caderninho espalhando as doces histórias que encontro por lá! (mais informações aqui)

Ilustração:Virgínia Caldas
Editora: Novo Século
Ano: 2013
Há uma menina que ouve histórias. De seu avô, de seus pais, da vida que se faz aos poucos, do mundo que se cria ao seu redor. Histórias de amoras, de assombrações, de pescarias, de bicicletas. São histórias simples, deliciosas e bem-humoradas. Histórias que dão asas aos olhos e sugam o aroma dos pães da infância. Há uma menina que conta essas histórias com o doce sabor da lembrança. E contando, enfeita o mundo de outras meninas. E contando, faz com que a vida se torne mais rara. E contando, abre caminhos, espreita as manhãs. E consegue, mesmo através de janelas fechadas, deliciar-se com o azul dos horizontes. E por mais que as chuvas se façam e por mais que os frios nos encolham, essas histórias sempre acabam por nos devolver o sol. Um sol imenso feito de tardes onde a poesia se refugia em palavras que nos levam de volta às esquinas do coração. E porque há tantas palavras adocicadas, há meninas contando histórias para outras meninas, que as contarão para outras meninas, numa repetição que as encante e as ensine a viver.”


Texto de Sergio Napp  sobre os escritos da menininha... 
Extraído do blog da Da ti lo gra fe  editado pela Rovênia

Ficarei por aqui! Logo voto com mais sugestões! Espero que tenham gostado!



23 de março de 2014

Danças circulares para crianças

Danças circulares para crianças
(Anne Lieri)





As danças circulares surgiram por volta dos anos cinquenta com um coreógrafo, pedagogo e bailarino chamado Bernhard Wosien. Ele percorreu o mundo pesquisando sobre as diferentes danças populares.

No Brasil estas danças chegaram com Carlos Solano que foi hóspede na Fundação Findhorn por um longo tempo nos anos 80.

No trabalho com crianças são inúmeros os benefícios da prática dessas danças:

- Trazem alegria, serenidade, bem estar.

- Proporcionam a interação e fortalecimento do grupo.

- Desenvolvem apoio mútuo, cooperação e união.

- Promovem o auto conhecimento.

- Harmonizam o grupo antes ou depois das atividades do dia.

- Trazem musicalidade e ritmo para o cotidiano.

- Equilibram o corpo físico, mental, emocional e espiritual.

- Ampliam a percepção, a concentração e atenção.

- Encorajam as crianças a buscar seu lugar no grupo.

- Promovem flexibilidade e agilidade para a vida.

- Ajudam a combater o stress e a depressão.

Vejam esse pequeno vídeo e criem a sua!




21 de março de 2014

Dia Internacional Contra a Discriminação Racial


Enquanto a cor da pele falar mais alto, haverá guerra!

21 de Março é comemorado o Dia Internacional Contra a Discriminação Racial.  Dia de luta em memória ao Massacre de Shaperville, ocorrido na África do Sul no ano de 1960 onde mais de 20 mil negros a maioria jovem estudantes reivindicava pacificamente contra a "Lei do Passe". A Lei era uma espécie de cartão onde os negros deveriam ir. Revoltados com isso, houve o protesto que até então era pacífico, ao se depararem com os manifestantes, a polícia sul africana com rajadas de metralhadora, resultou na morte de 69 pessoas e 200 feridos.
Esse acontecimento em Shaperville chamou atenção do mundo todo sobre o Apartaid.  Hoje marca os 10 anos de luta contra a Discriminação Racial. Luta essa diária e necessária pelo reconhecimento e valorização dos negros no país.







12 de março de 2014

Filme Cordas e a Inclusão




Todos nós sabemos que a inclusão deve acontecer nas salas e aula,mas muitas não sabem como fazer isso da melhor forma. Esta semana assisti a animação Cordas e o que ficou bem claro para mim é que a inclusão está muito além de livros e cursos, claro que conhecimento é sempre importante,mas o que conta mesmo é a dedicação, o carinho e a vontade de fazer o melhor para o outro!

Fui assistindo ao vídeo e me recordando de um aluno que tive,com uma distrofia muscular que o impedia de andar. Nestes 20 anos de profissão foi um dos que mais marcou a minha vida como professora. Eu, recém formada, com uma turma numerosa numa escola municipal, sem auxiliar ou qualquer outra pessoa que me ajudasse, recebi um aluno que não andava( chegou a andar quando pequeno e depois foi perdendo os movimentos das pernas), ele não tinha cadeira de rodas, se locomovia em um velotrol. Estava apenas com 5 anos, mas já tinha passado por muita coisa nessa vida, acabara de perder o pai assassinado.

Ele era muito inteligente, um pouco envergonhado,mas participava das aulas. Quando ele queria ir ao banheiro, eu o levava no colo, e isso se repetia em todos os momentos em que tínhamos que sair da sala. Eu o pegava no colo e saía com as outras 29 crianças atrás de mim. Confesso que no início me assustei, chorei com medo de não conseguir fazer um bom trabalho, de não dar conta de cuidar dele e dos demais, naquela época não se falava de inclusão e muito menos havia capacitação para isso, mas a resposta para fazer um bom trabalho, não estava nos livros e nem em um faculdade, estava dentro de mim, dentro do coração de todos que conviviam com ele...E a cada dia que passava,nossa turma estava mais unida, meus alunos cuidavam do amigo especial com muito carinho.

Certa vez, não ouvi gritaria e bagunça na hora do recreio, fui ver o que estava acontecendo e estavam todos sentados, conversando. Eu fui chegando perto e ouvi de uma menina: "Tia, estamos aqui juntinho do Heberton, conversando e brincando com ele, assim ele fica mais feliz!"

As crianças queriam a sua companhia, queriam as suas brincadeiras e por isso preferiam brincar sentadinhos já que era uma maneira dele participar também!

E nos nossos dias, muita coisa foi mudando, a aula de Educação Física era tão divertida com todos sentados, brincando de acertar a bola no gol utilizando as mãos, de jogar boliche, de cartas, e tudo que ele também pudesse participar! E tinha pega pega também...eu o carregava no colo e saía correndo atrás dos amigos! Ele dava risada...

Só sei que foi um grande aprendizado para mim, aprendi com crianças de 5 anos que a inclusão acontece quando todos querem, quando todos amam e estão dispostos a fazer o outro feliz!

E a carinha alegre dele não me sai da memória. Um ano depois perdemos nosso amigo, seu coraçãozinho não aguentou e ele partiu, foi um dia muito triste para toda a escola! Ele se foi muito cedo,mas deixou sua história marcada em nossos corações!

Neste site você encontra o link para o filme Cordas. Vale a pena assistir!

Espero que com essa reflexão, cada professor possa buscar dentro do seu coração os melhores caminhos para que a inclusão de fato aconteça!

Professora Melissa

9 de março de 2014

Importancia das brincadeiras dirigidas

Importância das brincadeiras dirigidas

(Anne Lieri)




Brincar é uma maneira de aprender, mas não apenas livremente. Quando a professora dirige uma brincadeira a criança também aprende muito!

Reservar um tempo diariamente para brincadeiras dirigidas é uma prática que traz excelentes resultados no comportamento da sala em geral.

Dentre outras coisas brincar desenvolve a atenção, a disciplina, o respeito, a coordenação, o equilíbrio, a interação e a auto confiança.

Exaltar conteúdos é importante mas não é tudo, portanto para a próxima aula inclua uma saída para o pátio e promova uma brincadeira. Eles irão adorar e você verá os resultados no dia a dia!

Deixo aqui uma dica de brincadeira:

Apanhador de batatas

Material
Jornais e revistas, dois cestos de boca larga.

Desenvolvimento
Os participantes devem amassar várias folhas de jornal e revistas (serão as "batatas"). O educador deve distribuir as "batatas" em vários lugares. A um sinal do educador, os participantes, divididos em duas equipes, devem apanhar as "batatas" e colocá-las no cesto destinado ao seu grupo. Vence a equipe que apanhar o maior número de "batatas".



Quer mais brincadeiras? Clique no site abaixo:







7 de março de 2014

Você é uma figurinha


VOCÊ É UMA FIGURINHA. 


Texto de LUIZ RAUL MACHADO e RICARDO BENEVIDES 

Ilustrações de ALINE ABREU. 

Editora: Globinho I

Esta menina AMA álbum de figurinha e começa a montar a sua própia história através dessa ideia.

É uma alternativa para se trabalhar com temas em nossa escola.

Que tal sobre a Copa do Mundo?

O tema pode ser escolhido pela turma ou sugerido por você mesma educador.





6 de março de 2014

Quando as aulas vão começar de verdade?

Conversando com uma amiga professora, ela me disse uma triste realidade da educação brasileira, que "só começará a dar conteúdo depois do carnaval".

Na maioria das escola, as aulas começaram dia 3 de fevereiro, então os alunos ficaram mais de um mês sem matéria, conteúdo? É isso mesmo? Sim, é isso mesmo. 

Ao pedir para os alunos levarem o livro, eles se revoltaram e disseram que era 'ordem' da direção levar o livro depois do carnaval.

Bem, ela tentou. Passou atividades no quadro, xerocopiou algumas por conta dela, mas... sem muito sucesso.

A rotina nesse último mês foi regado de... NADA!

E olha que isso é só o começo, porque ainda teremos a Copa do Mundo e Eleições. Acredito que muitos pensarão que o ano só começará depois da Copa...

Hmmm, esqueci de mencionar a disciplina que essa professora leciona... Matemática! Sim, para a segunda etapa do Ensino Fundamental.

Lamentável.


Professora Genis Borges